Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Definindo o amor

O que é o amor para você? Nós encontramos algumas definições para esse sentimento que não pode ser explicado, tamanha a sua complexidade. Que tal tentar com a gente?

continue lendo
Compartilhar

Defina o amor

Ana Albanez

Se eu pudesse parafrasear meus sentimentos, escrever minhas alegrias, colocar ponto final na minha tristeza, reticencias nos dias de sorriso largo, eu certamente seria capaz de definir o amor. O sentimento mais esperado e desejado, até pelos mais insensíveis, até pelos de coração gelado (que certamente só estão gelados, porque em algum momento se frustraram no amor, se frustraram no amar).

Sorrateiro

Ana Albanez

Acredito que o amor pode chegar sorrateiro, como um amigo, como uma boa companhia, ele pode chegar quase mudo, falando só o necessário, discreto. Ele pode ser calmo. Ele pode dar só a tranquilidade que você precisa para ser feliz. Ele pode fazer um carinho de leve, passar a mão nas suas costas, sussurrar no seu ouvido. Ou ele pode vir travestido de uma avalanche e te levar tudo. Bagunçar sua vida, virar sua cabeça, transformar as noites em dia e os dias em longas esperas para um novo encontro. Pode fazer suar a palma das suas mãos, dar cala-frios, pensamentos constantes na noite anterior. Luz nos corredores escuros, cheiro nos lugares neutros, pode botar som no silêncio, calor no frio, sorriso bobo na mensagem recebida.

O amor...

Ana Albanez

Pode confundir sensações, disparar a ansiedade, fazer falar milhões de palavras por minuto, ou ser mudo. Pode te proporcionar o mundo, te dar os sonhos, fazer sua mente voar em planos e pensamentos de dias maiores e melhores. Ele pode te fazer ver além do que você algum dia imaginou, pode dar a liberdade de expressar seus maiores desejos, mas pode liberar seus medos. Pode te fazer dar um passo para trás, pode travar sua fala. O amor pode ter um lado difícil de encarar. O lado de se doar, o lado de dividir seu tempo, sua opinião, de se entregar verdadeiramente para alguém, de dizer para esse outro alguém que um pedaço da sua vida está com ele.

Definir o amor

Ana Albanez

Para alguns o amor assusta. A mim, me confunde. A mim me acalma e me agita. Muda meu comportamento a cada passagem de dia, a cada hora vivida. Ele me enlouquece, ele me dá certezas de dúvidas e dúvidas de certezas. Ele me tira do prumo, me faz perder o rumo, faz desistir de algumas verdades e querer algumas mentiras. Faz meu coração pulsar mais forte, irrigar mais rápido, algumas vezes faz até parar. Diminui o ritmo, acalma a alma. O amor se pudesse ser narrado, ao meu olhar, ele seria um curta metragem intenso, sem cortes, com o mais puro calor das emoções, cheio de cenas de carinho com pitadas calientes, teria troca, seria completo, insano, instável, enlouquecedor, mas incrível, satisfatório, e feliz. Para amar precisa estar apto a entrega completa do seu ser, entrega e recebimento, ambos os departamentos precisam estar operantes. Para amar precisa querer, para amar precisa saber ter, precisa saber esperar e acima de tudo, saber doar. Sei lá, sei lá se assim é que é definir o amar.

Preenche minha alma

Ana Albanez

Apareceu como se nada importasse, chegou de mansinho, me trouxe de volta aquele sorriso bobo de uma mensagem a uma hora qualquer do dia, você tá perto, meio longe, meio logo ali. Te aciono você vem, as vezes não tão breve, as vezes some nas horas que queria que estivesse comigo. Vem e vai. Mas quando está, preenche.

A gente se entende no olhar, ri das bobagens que falo e da minha mania de dramatizar qualquer picada de mosquito. Você tem um jeito bom de me entender. O jeito que você me coloca pro lado de dentro da calçada quando estamos voltando daquele bar que a gente frequenta às quartas, aquele que a gente toma Jack, fuma um cigarro do lado de fora e fala coisas sem sentido. Você tem um jeito diferente de me olhar.

Só amor...

Ana Albanez

Se só o amor bastasse, a manhã de domingo seria regada a café na cama, bem demorado, a ponto de parecer eterno. Na segunda chuvosa seria proibido levantar e fazer qualquer atividade que nos aborrecesse. O beijo seria a escala máxima da cumplicidade, o abraço seria um laço eterno de nosso entrelaço.
Se só o amor bastasse, nosso drink teria um refil ilimitado e o dia seguinte não teria ressaca, o relógio pararia todo dia ao meio dia e nossos almoços seriam mais demorados. As lagrimas que escorrem seriam sempre de alegria, a tristeza não teria espaço de se aproximar, meu coração pulsaria a batida do seu.
Se só o amor bastasse, nada dependeria de fatores externos, só nossa verdade, o dia viraria noite e o amanhã não teria hora. Nada se compraria, tudo seria consumido a medida da nossa intensidade.

Destino

Juliana Manzato

Não sei ao certo quando me apaixonei por você, mas soube em pouco tempo que você era tudo aquilo que eu sempre quis. Gostei da sua risada naquela primeira vez que nos vimos. Gostei do seu jeito sério na segunda vez que nos vimos. Gostei daquela chuva que tomamos juntos indo para o carro depois que a festa tinha acabado e você havia se tornado a minha única carona.

Gostei também daquele dia que falamos sobre família. Gostei do seu jeito sistemático, organizado, sorriso largo e gingado. Gostei de você todas as vezes que nos encontramos, por escolha do destino e própria.

 

Alma

Ana Albanez

Mas ó, não queria mais que você só invadisse e dominasse minha cama, ela é cativante, eu sei. Queria que você preenchesse de vez essa minha alma, que está cheia de coisas e planos para viver com você. Não se acanhe, vamos mudar a nossa rotina de nos vermos uma vez por semana, vamos deixar as coisas darem um passo a mais. Quero saber mais de você. Quero tomar um café da manhã sem ser correndo. Quero poder ficar fazendo nada sem pressa para levantar. Vem, vamos fazer as coisas com mais calma. Vem, preenche mais que minha cama, preenche minha alma.

Espaço

Ana Albanez

Se só o amor bastasse, ah, tanta coisa aconteceria, até mesmo nossa história poderia ser eterna, nossas brigas inexistentes, nossas lágrimas secas, nossas feridas curadas, nosso passado apagado, nosso ciúme, risadas, nossa doença de nós mesmos, superada.
Se só o amor bastasse, certamente haveria leveza nos momentos difíceis, doçura no suco de limão azedo, saudades em nossas brigas. Você me veria com bons olhos, teria mais gentileza, faria surpresas boas nos dias difíceis. Nosso relacionamento seria fácil, você respeitaria meu espaço, saberia lidar com meu mau humor.
Se só o amor bastasse… ele não basta, para se ter uma história tem que ter mais do que amor, tem que ter uma lista de coisas que precisam ser exercidas dia após dia, tem que saber ficar sozinho, ser sua primeira companhia, tem que poder conviver com seu próprio barulho. Para se relacionar tem que quebrar barreiras, entender as diferenças e saber a hora de dizer não. Tem que dar espaço quando o outro quer o silêncio.

Passatempo

Joce Rodrigues

Todo mundo tem um passatempo preferido. Uns gostam de jogar cartas, outros preferem ler ou ouvir música. Enquanto isso, algumas pessoas especiais preferem sonhar acordadas com o dia em que o amor lhes fará uma visita informal pra tomar um café e jogar um pouco de conversa fora. São essas as pessoas que mais admiro no mundo inteiro, pois são capazes de acreditar e buscar aquilo que não dá pra ver ou tocar.

Eu sei, foram muitas as vezes que disseram pra você parar de sonhar acordada e colocar os pés no chão e que também foram muitas as vezes em que você parou pra pensar seriamente no assunto. Afinal, foram tantas decepções e tantos esforços desperdiçados por quem não valia a pena, não é?

Encontro de felicidade

Joce Rodrigues

Algo no fundo diz pra você não se render, pra seguir adiante e apostar algumas fichas mais, e você hesita. Eu te entendo, juro. Leva tempo até conhecermos alguém a fundo, leva tempo pra confiarmos qualquer coisa nossa a alguém, imagina então quando essas coisas são nossos sentimentos e nosso coração.

Somos movidos por desafios, pelo menos essas pessoas especiais das quais falei ali em cima são. Entre uma dor e outra elas são capazes de encontrar sentido nos erros e nos acertos, sentem dor, choram, xingam, brigam, se arrependem, pedem perdão e também perdoam. As regras de quem ama são flexíveis como a vida.

Por isso, da próxima vez que você achar que encontrou alguém, ao invés de medo, eu desejo que você sinta-se à vontade pra tentar, que tenha paciência e sinta confiança para acolher os erros e acertos daquilo que está por vir como algo novo, não como uma sombra daquilo que já passou – o mesmo vale para aquelas recaídas que vez ou outra acontecem em nossa vida e que às vezes passam disso, de uma simples recaída, para uma história novinha em folha.

Sensacional

Joce Rodrigues

Quem vê fraqueza em quem ama está, no mínimo, equivocado. Palavra batida, mas de sentidos e interpretações quase infinitas, ele transcende a lógica e continua a responder ao ceticismo com um sorriso maroto, quase sensual.

Não segue regras nem roteiros, levanta e faz cair, faz da briga um afago, torna o amigo enamorado. O amor é sensacional!

Com você

Juliana Manzato

Foi com você que tive o melhor beijo roubado, a dança mais sincronizada, o olhar doce trocado. Foi você que me fez ver o mundo de maneira mais positiva. Foi você também que me fez relaxar dentro do avião. Foi você que fez os melhores elogios. Foi você que me ensinou que o travesseiro mais confortável é o seu peito e o melhor lugar do mundo, o seu abraço.

Eu só poderia agradecer o destino e abraçar aquilo que havia chegado de maneira tão inesperada. A melhor parte da vida chegou através de uma amiga e decidiu que era hora de ficar em uma manhã de janeiro. Naquele dia você conseguiu ser melhor do que os outros caras que passaram por aqui.

Amor

Juliana Manzato

Quando a gente decidiu ficar junto eu entendi que era amor. Aprendi com você o que nenhum outro cara me ensinou em relacionamentos de horas ou anos. Você foi cotidiano quando eu queria planos. Foi paciência quando eu gritava ansiedade. Foi chocolate em dias ruins. Foi homem quando eu agi como menina. Foi amigo quando o choro caia. Foi amor quando eu achei que era amizade. Você me amou muito antes. Você me quis sem eu nem imaginar que era você. Você me apresentou a linha do horizonte e disse que dividir isso com alguém era especial.

Continuo não sabendo qual foi o dia que me apaixonei por você, mas continuo comemorando a cada mês aquele dia que te conheci. Talvez tenha sido ali que a minha felicidade cruzou com a sua e quis ser tua. Quando a gente decidiu ficar junto eu desisti de ser um para virar dois. E decidiria isso quantas vezes fosse necessário, porque no amor a gente acredita e também tenta. No amor a gente admira e também se reinventa. No amor a gente decide ficar um pouco mais junto todo dia. No amor é dia-dia, lado a lado, laço dado.

Quando a gente decidiu ficar junto, o destino sabia que era amor.

fechar