Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Por uma sociedade mais justa

Encontre histórias de justiça e honestidade que farão você restaurar a sua fé na humanidade. Leia e acredite que o bem é maioria. Faça sua parte!

continue lendo
Compartilhar

Justiça Vem de Berço

Ceará - Brasil

Durante uma aula de história do 6° ano da manhã na Escola Municipal José Barros de Alencar, Ana Karine Marques, de apenas 10 anos, folheava seu livro quando encontrou R$300,00 em meio as páginas. Ao ver o dinheiro, a menina logo avisou ao professor sobre o que tinha acontecido. Um colega de classe, presenciando a cena, perguntou o porquê ela não ficou quieta e guardou o dinheiro. Ana foi dura: "Eu não quero ficar com nada de ninguém". A criança, então, foi levada de sala em sala como um exemplo de honestidade já que o bairro onde fica a escola é considerado humilde e em meio à periferia. Mas, de quem era o dinheiro e como foi parar dentro de um livro? Dias antes do acontecido, a mãe de uma aluna foi à escola, desesperada, em busca de um dinheiro que havia perdido. Segundo a mãe, ela havia dado à filha que acabou perdendo. Após o ocorrido com Ana que nem sabia sobre a perda do dinheiro, a direção da escola checou as informações e percebeu que o dinheiro achado era realmente o perdido pela mãe, destinado à compras domésticas. A mãe agradeceu emocionada à aluna.

A Honestidade Vem de Táxi

Rio Grande do Norte - Brasil

Fernando Salustino de Sena, 65 anos, trabalha como taxista há 35 anos. Após um dia normal de trabalho, Seu Fernando foi buscar a esposa no serviço quando, ao entrar no carro, ela viu uma mochila. Curiosa, abriu e encontrou muito dinheiro. Somando, os valores ultrapassavam 15 mil reais que pertencia a um casal de passageiros que esqueceu no táxi. Seu Fernando então começou uma jornada pela cidade para encontrar os donos. Rodou todos os lugares possíveis, mas sem sucesso. Até que José Gonzaga percebeu a falta da mochila e foi até o ponto encontrar o taxista, mas ele não estava lá. No dia seguinte, o empresário foi novamente ao ponto e, horas depois, conseguiu encontrar o taxista e se queixou de ter esquecido uma mochila. Seu Fernando, para evitar golpes, perguntou à José Gonzaga o que havia dentro da mochila e logo ouviu: "15 mil reais". O dinheiro foi devolvido, mas acompanhado de uma bronca do taxista, afirmando que José deveria ter mais cuidado com as coisas, pois ele havia perdido o sono na noite anterior pensando nisso.
"Aquilo não é da gente, não deve ficar com a gente. A honestidade acima de tudo.", disse Seu Fernando. O taxista foi retribuído pela honestidade com R$500,00 que relutou, mas acabou aceitando.

Na Copa do Mundo

São Paulo - Brasil

Adilson Luiz da Cruz, 43 anos é taxista em São Paulo. Durante a Copa do Mundo levou um grupo de passageiros mexicanos até o hotel. Feito o serviço, Adilson percebeu que dois deles haviam deixado os ingressos dentro de seu carro. E não era 2 ou 3 entradas, mas sim 40 ingressos! O taxista disse que deixou os estrangeiros no Novotel São Paulo Morumbi, na Zona Sul da capital paulista. Os turistas aparentavam estar alcoolizados e, segundo Adilson, derramaram cerveja no interior do táxi. Ao limpar o automóvel, o motorista se deparou com uma pasta esquecida no banco de trás e decidiu então voltar ao hotel. "Quando eu cheguei em casa, abri a porta do banco de trás e encontrei a pasta com 40 ingressos. Às vezes, cai na mão de pessoas que não têm preocupação e corre o risco de perder", afirmou o taxista. Adilson reconheceu os passageiros por meio de um celular de um amigo deles. O taxista contou que voltou ao hotel para buscar os donos das entradas para o Mundial o quanto antes, pois o primeiro jogo do México aconteceria no dia seguinte contra Camarões, em Natal. "Espero que eles tenham cuidado a partir de agora", destacou.

O Celular Que Rendeu Um Emprego

Brasília - Brasil

Gustavo Lemos era morador de rua em Brasília. Certo dia encontrou um iPhone 5s em um estacionamento na área nobre de Brasilia. Lemos então não descansou até encontrar o dono do aparelho. O proprietário Leonardo Buzzi, empresário, chegou a oferecer R$100, 00 como recompensa, mas Lemos surpreendeu ainda mais. O morador não aceitou a quantia e pediu, em troca, um emprego. Dono de uma organização que oferece open bar, Buzzi encontrou outra forma de demonstrar agradecimento: contratou Lemos para ser auxiliar de bar nos dois dias de uma festa de réveillon no Pontão do Lago Sul, por R$ 300. "Fui fazer uma transferência em caixa eletrônico e acho que, quando desci, meu telefone caiu e eu não percebi. Só vi em casa. Liguei, deixei mensagem, nada. Depois, dava como desligado – e eu já esperava, porque tinha acabado a bateria. Horas depois tentei e, para minha surpresa, ele me atendeu e disse que tinha encontrado o celular.", explica o empresário. O morador de rua conta que achou o equipamento – que custa R$ 2,2 mil na versão básica – já sem bateria e procurou um quiosque onde poderia carregá-lo. Então, esperou até que o dono aparecesse para poder devolver o iPhone. O encontro aconteceu no local onde o aparelho foi achado, que é também onde Lemos costuma dormir e vigiar carros. O empresário levou dez camisetas e bermudas, além do dinheiro. O caso ganhou as redes sociais. "Fiquei muito feliz, muito contente por estar trabalhando", disse Lemos.

Um Exemplo de Gari

São Paulo - Brasil

“Que o Brasil siga seu exemplo”, foi o que ouviu da bancária Ana Luísa, o gari José Gomes da Costa, Sucesso, que havia encontrado cheque de R$ 2.514,00 no lixo e o devolveu ao dono. Pela manhã, ele foi recebido com abraços, lágrimas e orgulho por seus colegas varredores. À tarde, foi aplaudido na Lapa pelas pessoas que se aglomeravam diante da agência do Banco do Brasil, na rua Clélia, para assistir à devolução ao motoboy Renato Pedro Silva que transportava o cheque quando o perdeu, em 18 de maio. Às 10 e meia da noite, Sucesso partiu de trem para Francisco Morato, região metropolitana de São Paulo, onde mora em um bar-garagem com pequenas divisórias.

Pelos Mares

São Paulo - Brasil

Um marinheiro, Oziel Garcez, de 36 anos, da balsa de São Sebastião no litoral norte de São Paulo, encontrou uma carteira com cerca de R$ 40 mil, procurou o nome do dono pela internet e devolveu o dinheiro e os documentos para ele. Oziel encontrou a carteira perdida por volta das 6h da última quinta-feira, quando estava saindo do trabalho. Ele disse que percebeu o objeto no chão onde os motoristas aguardam para entrar na balsa, mas a embarcação já havia partido e não havia mais ninguém no local. Ele decidiu então pegar a carteira e verificar se encontrava o dono posteriormente. "Ao chegar em minha casa, eu verifiquei que na carteira tinha dois cheques de R$ 20 mil e cerca de R$ 90 em dinheiro, com cartões de crédito e com minha esposa decidi procurar pelo dono. Procuramos o nome dele pela internet e conseguimos encontrar um telefone dele", conta o marinheiro. Oziel e a esposa ligaram para o dono da carteira que, segundo o marinheiro, já estava no posto do Poupatempo em Caraguatatuba fazendo o cancelamento dos documentos que havia perdido. O marinheiro e o dono da carteira se encontraram no mesmo dia na casa de Oziel, no bairro Topolândia, e os pertences foram devolvidos ao proprietário. "Eu pago aluguel, meu único veículo de transporte é uma bicicleta e atualmente só eu estou trabalhando em casa, já que minha mulher está desempregada, mas o dinheiro não era meu. Só fiz o que era certo", disse Oziel. Com a boa ação, o marinheiro Oziel espera influenciar outras pessoas. “Meus pais passaram essa educação para mim e eu sempre segui. Tenho um filho de seis anos e ensino as coisas que são certas para que ele siga esse exemplo futuramente”

Após a Calamidade

Santa Catarina - Brasil

Uma menina de 5 anos, moradora de Ilhota (SC), uma das cidades mais atingidas pelas fortes chuvas que atingiram o estado em novembro, encontrou R$ 20 mil escondidos na manga de um casaco de couro e pele. A família dela recebeu o casaco como doação, depois de perder a casa em que morava. A criança brincava com a peça quando teve a surpresa. O avô da menina, o agricultor Daniel Manoel da Silva, de 58 anos, resolveu devolver o dinheiro e foi atrás do doador, que seria morador de Concórdia (SC). "Se o dinheiro fosse entregue nas minhas mãos, teria aceitado com certeza, pois agora precisamos. Mas é uma questão de criação, fui educado assim e estou com a consciência limpa", disse ele, que recebeu R$ 1 mil de volta. O agricultor plantava cana e fabricava cachaça artesanal. Ele disse que a família não se interessou pelo casaco por achar que era "muito fino" e, por isso, a peça seria repassada a outras vítimas de enchentes e deslizamentos. A casa da família foi encoberta pela lama e cinco pessoas morreram soterradas.

 

Humilde e Justo

Missouri - EUA

Billy Harris era só mais um dos mendigos que, infelizmente, ocupam as ruas de centenas de cidades. Mas tudo mudou com uma esmola: Sarah Darling ofereceu umas moedas a Billy e, sem notar, deixou cair seu anel de diamantes. O mendigo não teve dúvidas e devolveu o que não era seu. Sarah ficou maravilhada com a honestidade de Billy e decidiu abrir uma conta para arrecadar fundos para o pedinte pela internet e por meio de campanhas sociais. Desde o dia 14 de fevereiro de 2013, a conta já foi aumentada em 86 mil dólares, cerca de 170 mil reais.
"Não sei como você acabou nessa situação, mas depois que testemunhei o que você fez, eu tenho certeza de que você é um homem honesto e de bom coração", disse Volanda Shields, doadora de mil dólares para a campanha, criada em um website que recebe cerca de 3 mil visualizações por dia, alcançando picos de 20 mil.
"Palavras não podem expressar como é se sentir parte de algo como isso", disse Bill Krejci, marido de Sarah, que administra o site da campanha. Billy ainda deu uma explicação surpreendente: "No que o mundo se transformou quando alguém devolve o que não é seu e tudo isso acontece?", disse ele.

Tudo Em Dia

Rio Grande do Norte - Brasil

Thaísa voltava do trabalho quando encontrou duas contas para pagar e R$ 100 no chão de um ônibus em Natal. A estudante de Pegagogia, que tem 18 anos, até pensou em ficar com o dinheiro, mas decidiu fazer diferente: usou a quantia para pagar os boletos de água e luz que estavam junto com o dinheiro e devolveu o troco para a dona. A dona do dinheiro e das contas é Katherine Pontes Nunes, de 38 anos, que foi até a casa da família para buscar o troco, os boletos e agradecer. A auxiliar administrativa foi achada duas horas após Thaísa publicar uma foto nas redes sociais à procura da desconhecida que havia perdido o dinheiro e as contas. "Quando recebi a ligação não acreditei. Ser honesto e boa pessoa não tem preço, é algo muito valioso. No mundo de hoje não é fácil de acontecer", afirma Katherine.

Dinheiro no Lixo

São Paulo - Brasil

Durante a madrugada, um morador de rua e sua mulher, encontraram sacos plásticos com R$ 20 mil em dinheiro numa calçada e os entregaram à Polícia Militar. Segundo a PM, os moradores de rua passavam pela Radial Leste, na capital paulista, quando ouviram o alarme de uma empresa de ferragens disparar. Em seguida, foram verificar do que se tratava e encontraram um malote e um saco plástico de lixo repletos de envelopes com dinheiro. Eram cerca de R$ 17 mil em notas e R$ 3 mil em moedas. De posse do dinheiro, os moradores de rua procuraram um segurança da empresa e pediram para ele chamar a PM. O morador diz que, assim que encontrou a quantia, lembrou da mãe: "A única coisa em que eu pensei foi ficar ali e acionar o 190. Quando os policiais chegaram e viram a quantia não acreditaram que eu estava devolvendo o dinheiro. Eu parei para pensar no que minha mãe falou para mim, para nunca roubar nada que é dos outros", disse. A polícia suspeita que a quantia foi roubada de um restaurante japonês localizado próximo de onde a quantia foi encontrada. O caso está sendo registrado no 30º Distrito Policial, no Tatuapé, na Zona Leste da capital paulista.

fechar