Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Abrir mão é preciso

Será que você tem tudo aquilo que precisa ou tem ainda mais do que o necessário? Para conquistar todos os novos objetivos e alcançar a vitória é preciso deixar algumas coisas de lado. Você está preparado?

continue lendo
Compartilhar

Viva sem máscaras

Vivemos em função do outro. De aparências, de ser aceito, de parecer bonito, bom, aprazível, e para quê? Vemos o tempo todo na televisão, nas revistas, nas conversas das pessoas, que devemos atender a determinado padrão, ouvimos dizer que uma coisa é ruim e outra é boa, mas quem estabeleceu essa regra? Então vamos aparando nossas arestas, vestindo máscaras, andando com cuidado... E quem a gente realmente é acaba se perdendo no meio de tantas futilidades. Vale a pena ser infeliz para agradar alguém? Para ser socialmente aceito? Será que as pessoas que gostam de você gostam de você ou do que elas acreditam que é certo você ser? Se desprenda dessas amarras. Se liberte dessa obrigação de ter um status social. Ser você mesmo não tem preço.

Ajuste as coisas

Quando algo te custa muito, em qualquer sentido possível, é bom ficar atento aos limites, isto é, até que ponto aquilo compensa para vocês. Pois quando nos gastamos muito por algo ou alguém, esperamos também que o contentamento que aquilo trará supere todo o gasto. Isso tem acontecido? Considere os fatos e deixe um pouco de lado as emoções e os sentimentos. Numa análise racional, você deve determinar qual a real relevância dos acontecimentos, quais investimentos está fazendo e quais retornos tem recebido. Se você está se doando demais ou de menos, se existe algo desnivelado, é bom que ajuste para que isso não seja um total desperdício em sua vida.

Seja simples

Vivemos uma época de realização pessoal versus reconhecimento. Todos estão obcecados em parecer alguma coisa, em ser apontados como tal, portamos uma tal felicidade emoldurada, postamos fotos para mostrar ao mundo onde estamos e como estamos, nos esquecendo do que mais importa, que é aquilo que cada um carrega dentro de si. Desligar-se das vaidades pode te dar acesso a coisas incríveis em você mesmo que talvez nem soubesse que existiam. A simplicidade é de uma beleza indescritível. Se você parar para pensar um pouco, concordará que não compensa nos esforçamos para receber algo alheio, quando, com o mínimo de desprendimento, podemos nos presentear com experiências grandiosas. E somente nossas.

Não aceite menos do que você merece

Só a sabedoria nos faz enxergar quando estamos, sem perceber, trocando uma coisa boa por uma ruim. Quando estamos bem próximos de conquistar algo pleno, muitas ofertas nos são feitas e, por vezes, ignorantes do nosso próprio conhecer, nos contentamos com uma coisa muito menor do que realmente merecemos, às vezes por cansaço, às vezes por medo de não aceitar aquilo e acabar de mãos vazias. Acontece que nesses momentos, precisamos ter a frieza de renunciar a um bem aparente e a visão de que abrir mão daquilo nos abrirá caminho para uma enorme realização. Temos que saber abrir mão de coisas aparentemente boas, identificando que podem ser ciladas. Sempre analise o que realmente é compatível com o teu esforço. Não aceite menos do que você merece.

Cuide de você antes de cuidar dos outros

Se você tem aguentado uma barra calada, tem sofrido, sido humilhada, rejeitada e desvalorizada, comece a pensar somente em você. Você está se esforçando para se manter em uma situação que só te faz mal e não agrega nada de bom em sua vida. Uma relação é construída por duas pessoas, cada uma se ajustando e se doando onde pode, prezando o próprio bem e o bem do outro. Você não pode construir um castelo para que outro reine e você sirva. Não vale o seu esforço. Não aceite ser diminuída para que alguém pareça maior. Comece a dedicar suas forças para quem merece: você.

É preciso ter cautela quando nos arriscamos

Tenha cautela. Mesmo tomando uma atitude que automaticamente nos torna responsáveis pela consequência, é sempre bom estar precavido dos possíveis danos que aquilo pode causar. Agir precipitadamente pode desencadear muitas complicações para sua vida. Nem sempre a vida nos dá a chance de consertar as coisas, nem sempre há uma reparação possível. Talvez você esteja se dedicando demais a uma coisa que não é fundamental e não haja mais tempo para que volte atrás, corrija e dê um novo fim para a sua história. Atente-se enquanto ainda há oportunidade, analise o que quer fazer e como vai fazer, se é isso mesmo que deseja. Procure não agir de forma que previsivelmente vá se arrepender.

Pessoas insaciáveis costumam nos esgotar

Você está lá dando tudo de si e parece que nada é suficiente. O problema não é você. Se você não tem sido correspondida, apenas pare de se doar. Observe bem para quem está direcionando suas energias, pois uma relação unilateral só vai te desgastar e fazer você se sentir insuficiente, incapaz, quando isso não é verdade. Olhe para si mesma, veja como você está se sentindo e se é assim mesmo que você se vê. Se a resposta for negativa, se preserve. Se economize e não gaste suas forças com quem não está dando a mínima para o que você está fazendo, por maior que seja. Coloque a cabeça no lugar e não se culpe. O problema não é você.

 

Não se sujeite a coisas ruins

Algumas coisas só servem para nos afundar. Ficamos viciados em situações ruins, em pessoas ruins, em relacionamentos abusivos, porque algumas circunstâncias nos levaram a crer erroneamente que somos muito menores do que realmente somos. Somos levados a acreditar que devemos nos sujeitar a coisas ruins para não sermos rejeitadas ou terminarmos a vida sozinhas, mas isso não é verdade. Acreditamos também que devemos reconsiderar toda a parte negativa por causa de uma positiva e isso também não é verdade. Não beba mais nenhuma dose do veneno que tem te matado. Renuncie.

Você não é o pilar de ninguém

Se você não se sente bem sustentando alguma relação em sua vida, seja uma casinha de madeira ou uma catedral em estilo gótico, lembre-se de que não é sua obrigação ser pilar para nada, a não ser do seu próprio bem-estar. Não é egoísmo repensar qual benefício determinada coisa te traz e quais prejuízos isso acompanha. Não é egoísmo cuidar de si mesmo, se amar e escolher o que é melhor pra si. Não leve em considerações cobranças ou chantagens emocionais, só você está sob sua pele, só você sabe onde o seu sapato aperta, então decida o que for melhor para você. Não é vergonha nenhuma desistir de lutar em uma guerra na qual você sabe que vai morrer.

Renuncie

Às vezes, para se ter algumas coisas, é preciso que sacrifiquemos algum capricho, alguma regalia. Um bom jogador, deve renunciar a algumas horas de lazer ou descanso para praticar mais e, como consequência, ser um destaque. Quando se tem um objetivo maior, vale a pena abrir mão do que for necessário para alcançá-lo. Seu esforço será recompensado quando você perceber o que os teus momentos de sacrifício te trouxeram. Não sofra por abrir mão de algo, pois isso faz parte do processo. Em certas ocasiões, não se pode ter tudo, mas tenha em mente qual é o teu propósito e encare o que for necessário.

Não precisa estar tudo bem sempre

Você tem se escondido e camuflado suas tristezas. Você anda sorrindo por aí, acenando positivamente com a cabeça, todos acreditam que está tudo bem. Você tem ficado tão preocupado em não incomodar ninguém, em não vazar as dores, em manter uma imagem, que tem se esquecido de se cuidar. Você precisa juntar todas as forças que nem tem pra dar um sorriso enferrujado que despiste a tua grande amargura. Não se esforce para manter uma imagem falsa. Se permita sentir o que você sente, cuide dos males que têm te habitado, peça a ajuda das pessoas que te amam, procure ajuda. Se esforce para ficar bem de verdade. Abra mão das aparências e reconheça que, de vez em quando, todo mundo precisa de um tempo pra descansar. Pegue leve com você mesmo.

Vale a pena?

A vida se torna cada vez mais plástica, cada vez mais falsa, nossos rostos são submetidos a cada vez mais filtros, cada vez mais consertos. O natural tem sido rejeitado, nada parece ser bom o suficiente, nada consegue saciar essa fome que as superficialidades têm. Regras silenciosas gritam cada vez mais alto que o que a gente é não serve, que não é aceito, que, se você não for como as garotas magras da revista, não será feliz. Então você se esforça pra entrar naquela calça, se esforça para alisar o cabelo, se esforça para se inserir numa coisa que não é a sua natureza e isso desgasta. Desgasta porque, como diz a poeta, ninguém se torna o que não é. E, em troca do seu esforço para se encaixar, você ganha uma aceitação extremamente delicada. Isso tudo é de verdade? Responda para si mesma: vale a pena?

Abra mão dos caprichos

A gente se apega a cada coisa minúscula por não conseguir abrir mão de uma suposta "razão" e, por causa disso, acaba perdendo pontos numa relação importante. Egoísmo não constrói nenhuma felicidade a dois, o teu ego não vai estar lá pra te apoiar quando você precisar, ganhar uma briga ou discussão não vai te servir de companhia. Perceba o quanto é mais importante fazer uma trégua e seguir em paz do que agravar uma situação ruim, machucando quem você ama. Abrir mão de seus próprios caprichos mostra o quanto você se importa. Não hesite em consertar as coisas por alguém que valha a pena.

Desistir pode ser a sua vitória

Às vezes a melhor decisão que podemos tomar em relação a certas coisas é a desistência. Arrependimentos são sinais de crescimento, afinal, se você é capaz de olhar para trás e pontuar o que teria feito diferente, isso apenas demonstra que aprendeu. Abortar algumas missões é muito mais vantajoso que tentar voltar atrás de corrigir o estrago. Não adianta tentar secar o oceano: quando o erro for grande demais para que você consiga fazer alguma correção sem sofrer muito por isso, abandone aquilo, supere e siga sua vida, sempre levando como lição o que sentiu ao errar, a fim de não errar novamente.

Seja livre

Temos o hábito de estabelecer medidas apropriadas para todas as ações. Temos mania de medir o nosso sentir. Me pergunto até que ponto é saudável conter o que guardamos por dentro. É muito árduo tentar conter a fúria de um vendaval apenas com um guarda-chuva. É muito difícil não se molhar, não se entregar à tempestade, quando tudo que você mais quer é se molhar. É horrível se forçar a fingir que sente algo, mas se forçar a fingir que não sente algo que lateja dentro do seu peito é extremamente doloroso. Todo esforço é para quê? A vida é uma só.

fechar