Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Frases João Ubaldo Ribeiro

João Ubaldo Ribeiro é um dos maiores escritores brasileiros, com livros como "Sargento Getúlio" e "Viva o povo brasileiro". Confira mais sobre este grande escritor e jornalista com algumas frases que o MCA separou para você!

Escrever crônicas

João Ubaldo Ribeiro

Se escrever crônicas é bom para um romancista? Não deixa de ser, pois haja ou não a chamada inspiração — a qual, aliás, eu não acredito muito, talvez até por causa da experiência do jornalismo —, a crônica tem que sair.

Humanidade

João Ubaldo Ribeiro

Não sou muito otimista quanto à humanidade. Somos uma especiezinha muito criticável. Somos todos uma contradição imensa. Nossa ruindade animalesca prevalece, apesar da racionalidade.

Atrocidades

João Ubaldo Ribeiro

Enquanto estamos aqui convivendo pacificamente agora, tem alguém estrangulando alguém. Vivemos fazendo esse tipo de coisa e não aprendemos nada. No curso na história humana, continuamos a repetir as mesmas atrocidades, muitas delas de maneira mais refinada.

Não sei como

João Ubaldo Ribeiro

Não sei como esses livros venderam tanto, não faço ideia, as coisas não acontecem repentinamente.

Difícil

João Ubaldo Ribeiro

“Viva o povo brasileiro” é um livro considerado difícil. Não acho tanto assim, mas talvez, pelas circunstâncias do Brasil, seja um livro difícil.

Súditos

João Ubaldo Ribeiro

Nós, até hoje — é meio deprimente constatar isso —, nos comportamos muito mais como súditos do que como cidadãos.

Encomenda

João Ubaldo Ribeiro

Quando digo que escrevo por dinheiro, em primeiro lugar, estou seguindo uma tradição e uma norma. Norma não, mas um exemplo, digamos assim, muito dignificante, porque foi assim que viveu Charles Dickens, foi assim que viveu Honoré de Balzac, foi assim que viveu Walter Scott. As pessoas acham que encomenda é uma coisa aviltante, quando, na verdade, a encomenda é regra.

Papo literário

João Ubaldo Ribeiro

O papo literário a que eu me refiro não é o papo com escritor, é papo com amador. Não que eu tenha algo contra, evidentemente que não, mas essa chatice raramente ocorre com profissionais.

Eu sou

João Ubaldo Ribeiro

Eu sou uma pessoa totalmente destituída de rabo preso. Nunca roubei ninguém, não tenho antecedentes criminais, nunca fui dedo-duro, é difícil desencavar em meu passado algo mais grave do que ter enganado uma namorada, e assim mesmo muito eventualmente.

Boêmio

João Ubaldo Ribeiro

Vivo dentro de casa, não gosto de sair, estou casado há 30 e poucos anos, eu e minha mulher nos damos muito bem, conversamos muito, batemos papo, e aí não posso mais ser chamado de boêmio.

Lassitude moral

João Ubaldo Ribeiro

Nós vivemos num ambiente de lassitude moral que se estende a todas as camadas da sociedade. Esse negócio de dizer que as elites são corruptas mas o povo é honesto é conversa fiada. Nós somos um povo de comportamento desonesto de maneira geral, ou pelo menos um comportamento pouco recomendável.

Cotas escolares

João Ubaldo Ribeiro

Eu vejo essa ideia com profunda desconfiança e muito desagrado. Em minha opinião, ela representa um esforço para dividir este país, pela primeira vez, em linhas raciais.

Escrevo por dinheiro

João Ubaldo Ribeiro

Como muitos escritores, eu escrevo por dinheiro. Eu sempre admirei quem vive do prazer de escrever, mas o fato de escrever por dinheiro não quer dizer que eu não tenha talento ou que a obra seja ruim.

Sucesso de vendas

João Ubaldo Ribeiro

Não aconteceu de repente, então, nunca houve impacto. Sempre gostei que meu livro vendesse, mas nunca fui um sucesso estrondoso, acho eu. Aliás, acho não, nunca fui. Então, já tive livros que ficaram muitos anos em listas de mais vendidos — mas não estourando.

Perde-se o livro

João Ubaldo Ribeiro

O romance, se a gente deixar, abandonar, na volta desanda, perde-se o livro. Quem me ensinou essa expressão foi o Rubem Fonseca, que é muito amigo meu. E ele tem toda razão.

Poesia não dá camisa

João Ubaldo Ribeiro

No mundo todo, os poetas são geralmente professores universitários, bibliotecários, enfim, exercem outras profissões porque a poesia não costuma dar camisa a ninguém.

Realidade

João Ubaldo Ribeiro

Na realidade, escritor, como qualquer pessoa, gosta de dinheiro e quer.

Literatura

João Ubaldo Ribeiro

A literatura nunca vai perder sua força. O leitor não pode assumir a passividade que assume assistindo a um filme, vendo TV ou até ouvindo música.

Governo (PT)

João Ubaldo Ribeiro

O governo é de uma extraordinária incompetência. Não conseguiu formular nenhum projeto, nenhuma visão nacional.

Bebida

João Ubaldo Ribeiro

Passei não sei se 11 ou 12 anos sem beber, não bebia absolutamente nada. Hoje não tenho mais vontade de beber uísque. Mas antes, só não bebia dormindo, mas bebia o tempo todo. Mas de um tempo em diante começou a me prejudicar de uma forma avassaladora, daí parei. Quer dizer, não foi fácil, não foi num estalar de dedos, foi aos trancos e barrancos, mas acabei parando.

Uma verdade

João Ubaldo Ribeiro

O brasileiro é tão subserviente que, quando alguém critica Lula chamando-o, por exemplo, de ignorante – o que não é uma difamação, é uma verdade –, diz-se que o presidente está sendo desrespeitado.

Alegria da velhice

João Ubaldo Ribeiro

Não chego ao ponto de dizer que a alegria da velhice é poder peidar em público, mas é algo deste jaez, talvez menos escatológico.

Anjo da guarda

João Ubaldo Ribeiro

Meu anjo da guarda me segurou. Ele chama Pepe. Não devia divulgar, na Bahia não se revela o nome do anjo da guarda.

Sem esforço

João Ubaldo Ribeiro

O mais incrível é que não sinto a mínima vontade de beber. Eu poderia dizer que tenho uma imensa força de vontade, mas não seria verdade. Eu não faço esforço nenhum.

Dificuldade

João Ubaldo Ribeiro

Apesar de manejar bem a técnica, continuo escrevendo com dificuldade. Ainda mais com computador, que torna o trabalho mais lento. Com a facilidade de mexer no texto a gente acaba fazendo mais mudanças do que deveria.

Interromper um romance

João Ubaldo Ribeiro

Não se pode interromper um romance, senão desanda. E perder o livro acontece muito, não só comigo. Você larga o livro três dias e quando volta não encontra mais os personagens, perde o contato.

Não vou beber só por hoje

João Ubaldo Ribeiro

Ninguém pode dizer que nunca mais vai fazer nada, mas estou sem beber. Adotei o lema dos Alcoólicos Anônimos: "Não vou beber só por hoje". É uma meta realista e mais fácil de cumprir diariamente. Me sinto mais lúcido e bem disposto sem a bebida.

Individualismo

João Ubaldo Ribeiro

Nós aprendemos a ser apáticos, dominados e a ter pouco senso de comunidade, ou seja, pouco senso de interesse coletivo. Nós temos uma formação que eu não sei de que buraco saiu, não tenho vontade de fazer grandes análises, mas temos uma tradição, até hoje presente, com pequenas variações, aqui e ali, de individualismo.