Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Estações do Amor

Leia frases que mostram como o amor torna-se lindo quando nasce e forte para enfrentar as tempestades que virão. Assim como uma flor, esse amor deve ser regado constantemente. Essas frases podem ser o seu alimento.

continue lendo
Compartilhar

Jardins

É chegada a primavera. As flores se abrem a um novo amanhecer. Tudo reflete um brilho intenso. Tímidas, as violetas nos mostram suas pequeninas flores. As margaridas já enfeitam os jardins. A rosa, que antes era botão, nos transmite um suave perfume. O que seria dos jardins se as flores fossem apenas rosas?

Flor

O amor, assim como uma flor, deve ser regado diariamente para manter-se vivo.

Novo Começo

Se não existisse a singela violeta nem as simples margaridas, o jardim das flores não teria o mesmo encanto e a primavera perderia seu brilho. A primavera é o amor que nos enche de alegria, de paixão e entusiasmo. É o amor delicado, meigo e singelo. É o amor que a cada dia nos inspira a um novo começo.

Aquece e Desperta

O verão é o amor que aquece e desperta a sensualidade. É o amor que contagia e nos torna mais alegres, festivos e cheios de vida.

Imortal

O outono é o amor que não morre. É o amor que transmite calma e suavidade. É o amor que aguarda a chegada de um novo amanhecer.

Ciclos

Nascer, viver e morrer nada mais são do que ciclos de uma mesma intenção: a de existência absoluta de tudo o que fomos, somos e seremos, até o infinito inimaginável.

 

Ousadia de Amar

Me pego submerso na perfeita e inevitável ciclicidade do amor, dos amores, das experiências amorosas, dos encontros sedentos, de uma forma amorosamente poderosa, a ponto de desfazer todos os medos e libertar toda a ousadia de amar.

Temperamentos

Impossível seria falar de ciclos, perfeição e amor sem fazer referência aos mais inspiradores e absolutos ciclos da natureza: a 4 facetas do tempo, dos elementos, das temperaturas e dos temperamentos.

Inebriante

Nos apegamos e atribuímos pessoa e medidas ao que não nos cabe mensurar, Porque nem notamos o espetáculo que pulsa em cada um de nós. Se sentíssemos cada ciclo, desfrutaríamos do que pode haver de mais inebriante.

Curiosidade

A adolescência é como o verão. Quente, petulante, libidinosa. Parece que não vai haver tempo para fazer tudo o que se quer e o que se teme. É musical e fotogênica. Dúvidas, dúvidas, dúvidas em frente ao mar. Mergulha-se no profundo e no raso. Pouca roupa, pouca bagagem. Curiosidade.

Aconchego

O inverno é o amor que busca aconchego. É o amor que quer estar junto, que busca a segurança do abraço. É o amor que se prepara para o despontar das cores e da luz do sol.

Amor e as Estações

O que seria do amor se não fossem as estações? O que seria das estações se não fossem as flores, o sol, a chuva, o frio, o calor, o vento, as folhas, a neve, o tempo? O que seria de tudo isso se não fosse o amor?

Chão do Mundo

Primavera, Verão, Outono e Inverno, começam e recomeçam, sem nunca terminar, como se dançassem - vida e amor- num deslizar constante sobre o chão do mundo, no sutil compasso do criador, num ininterrupto desabrochar, florescer, murchar e morrer, tão belamente, tão magnificamente, embora quase nunca conseguimos perceber.

Desfolhar

Outono: Desfolhar, despedaçar para encontrar-se puro e nu. Esvaziando-se do ego, de expectativas, de ilusões baseadas em cores, formas, flores... um amor maduro.

Paixão

Verão: encontrar a paixão, o fogo que arde e fertiliza. Floresce num gozo de vida, cheio de Sol. Amor feito lava de vulcão em chamas.

Interiorização

Inverno: a interiorização, a introspecção, a sabedoria do desfecho, a beleza oculta da morte. Mas não a morte como um fim, mas sim um recomeço. Uma maravilhosa oportunidade de tornar nova todas as sensações, todos o sonhos, todos os sentidos, toda forma de amor. Porque tudo é divinamente cíclico e perfeito.

Série de Surpresas

A infância é como a primavera. É pura novidade e um calor que não sufoca nem faz pensar bobagens. Tem uma inocência quase cafona e traz no íntimo a certeza de que pela frente vem coisa boa. A gente quer que passe logo, mas sabe que nunca mais será tão protegido. É quando as coisas acontecem pela primeira vez, é quando num arbusto verde vemos surgir alguns vermelhos, é surpresa, a primeira de uma série.

Conservar

A maturidade é como o outono. Um longo e instável outono, que alterna dias quentes e frios, que nos emociona e nos gripa. Há mais beleza e o ar é mais seco, porém é quando se colhem os melhores abraços. Ficar sozinho passa a não ser tão aterrorizante. Fugimos para a praia, fugimos para a serra, as idéias aprendem a se movimentar, a fazer a mala rápido, a trocar de rota se o desejo se impuser, e não é preciso consultar o pai e a mãe antes de errar. É o outono que tentamos conservar.

Grisalho

O inverno é como a velhice. Tem sua beleza igualmente, exige lã, bolsa de água quente, termômetro e uma janela bem vedada. O que não queremos que entre? Maus presságios. O inverno é frio como despedida de um grande amor, mas sabemos que tudo voltará a ser ameno. Queremos que passe, temos medo que termine. O inverno é branco, é cinza, é prata. É grisalho.

Verdade

Eu queria que tudo fosse verdade, que a vida fosse assim dividida em quatro estágios que mais parecem estações do ano, mas que não acabasse, que depois do inverno viesse outra primavera, e outro verão, e outro outono, que nunca são iguais, mas sempre se repetem, sempre voltam.

fechar