Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Poemas sobre paixão

O prazer do amor é amar e sentirmo-nos mais felizes pela paixão que sentimos do que pela que inspiramos.

Paixão Inventada

Allinie de Castro

Reinventei a paixão, agora é paixão inventada,
E desta vez é uma paixão carnal,
Chega de amores platônicos ou imaginários,
Quero boca na boca, olhos nos olhos,
Quero pele, quero fôlego, cheiro,
Chega de recato ou vergonha,

Tudo que qualquer paixão de verdade tem,
Só não ponho a prova meu coração, coitado,
Paixão inventada, no coração só de passagem,
Porem de todo o pomo provado,
Ao máximo degustado, mais saindo ileso,
Imune a dor qualquer do pós-amor,

Amo os regalos das paixões inventadas,
Pois no fim acaba sendo ela a verdadeira,
Não machuca, mas é desfrutada de verdade,
Finjo que é paixão, enquanto me divirto
Sem tortura, nem ciúmes, ciente do fim,
Sem ilusões do pra sempre, do perfeito,

Curto mais, sofro menos, diversão garantida,
E no final não existem decepções,
Já que não houve cobranças nem esperanças,
Acaba sendo muito mais real, muito mais legal...
Essas minhas loucas paixões inventadas!

Romance

Ah! Esses teus olhos...
Estrada tão antiga.
Manuscrito
Pergaminho de nós dois
Mar morto
Arqueologia dos poetas.

O que é a paixão?

Carlos Alê

É aquele sentimento
que em excesso se reprova?
Quando não correspondido
cada dia se renova
e se guarda em segredo
como faz a lua nova?

É o desejo de viver
um romance permanente
que se quer definitivo
sempre intenso e ardente
e que tenha a expansão
da lua em quarto crescente?

É o caminhar na praia
de um casal que não receia
ter seus passos um por um
apagados na areia
porque vão iluminados
no esplendor da lua cheia?

Ou apenas um ardor
que se almeja constante
mas se mostra com o tempo
uma chama hesitante
que só vai diminuindo
como a lua no minguante?

Comumente É Assim

Vladimir Maiakóvski

Cada um ao nascer traz sua dose de amor, mas os empregos, o dinheiro, tudo isso, nos resseca o solo do coração.
Sobre o coração levamos o corpo, sobre o corpo a camisa, mas isto é pouco.
Alguém imbecilmente inventou os punhos e sobre os peitos fez correr o amido de engomar. Quando velhos se arrependem.
A mulher se pinta.
O homem faz ginástica pelo sistema Muller.
Mas é tarde.
A pele enche-se de rugas.
O amor floresce, floresce, e depois desfolha...

Teus lábios menino

Esses teus lábios tão bem desenhados
Parecem ser tão bem procurados,
Ah! Esse teus lábios gelados
Que me torturam, me procuram,

Esses teus lábios proibidos menino,
São tão desejados e calmos
Que fico observando mesmo calados,

Mas sempre em segredo,
Pois meu olhar já trilhou
Cada linha desta sua boca,

Já usei toda força em recusa,
Mesmo sedenta desde teu gosto
Mesmo desejando provar desse...
Teu pomo proibido garoto...

Pare de me tentar baixinho
No pé de meu ouvido,
Tire de vista esse teu lábio

Não chegue tão perto falando,
Tape essa boca moço bonito
Antes que eu te roube pelos cantos
Um beijo meu doce menino,

Anjo atrevido que venho resistindo,
Ah! Os contornos dessa tua boca,
Desses teus lábios proibidos menino.

Deixou saudade

Carlos Alê

Foi embora o meu amor
me deixando a solidão
Ficou no meu coração
pulsando esse amargor
Sinto no peito uma dor
de espada passando o fio
Não sei se alguém já sentiu
com tamanha intensidade
você não mede a saudade
que deixou quando partiu.

Meus dias são de desgosto
desde a sua despedida
O tamanho da ferida
no meu lamento é exposto
O pranto banha meu rosto
e vai descendo sutil
desaguando como um rio
num mar de infelicidade
você não mede a saudade
que deixou quando partiu.

A saudade quando aflora
seu travor dentro de mim
é como aquele cupim
que a madeira devora
e quando ele vai embora
por dentro deixa vazio
Faz sentir um calafrio
sem haver necessidade
você não mede a saudade
que deixou quando partiu.

No meu peito a amargura
de não ter você comigo
é para mim um castigo
Ferida que não sutura
Essa dor que me tortura
multiplicada por mil
é um estado febril
sem prazo de validade
você não mede a saudade
que deixou quando partiu.

Saudade devia ser
ligeira recordação
Ocupar o coração
pra não fazê-lo esquecer
Mas quando nos faz sofrer
é um sentimento hostil
que eu não diferencio
de uma grande ansiedade
você não mede a saudade
que deixou quando partiu.

Eu por ela estou a esperar

Carlos Alê

Como a terra espera o arado
Como o vaso espera pela flor
Como o livro espera o leitor
Como a linha espera o bordado
Como o tempo espera pelo fado
Como o nó esperando desatar
Como o barco espera navegar
Como o barro espera o oleiro
Como a festa espera o sanfoneiro
Eu por ela estou a esperar

Como o tema espera a canção
Como a causa espera o efeito
Como a honra espera o respeito
Como a taça espera o campeão
Como a rede espera o camarão
Como a ave que espera gorjear
Como a lua espera por brilhar
Como o prato que espera pelo queijo
Como a boca que espera pelo beijo
Eu por ela estou a esperar

Como a casa espera o visitante
Como trem esperando passageiro
Como a flor esperando o jardineiro
Como a estrada espera o viajante
Como a tropa espera o comandante
Como o sábio espera ensinar
Como a dor que espera por passar
Como o sócio espera o capital
Como a cama espera o casal
Eu por ela estou a esperar

Como o vinho espera pelo frio
Como o réu que espera a decisão
Como a terra que espera pelo grão
Como o porto espera o navio
Como o mar que espera pelo rio
Como o rio que espera desaguar
Como o orfão espera por um lar
Como o barco que espera pelo vento
Como a fome espera o alimento
Eu por ela estou a esperar

Como aluno espera a lição
Como a urna espera pelo voto
Como o álbum espera pela foto
Como o erro espera a correção
Como a harpa que espera afinação
Como o grão que espera vicejar
Como estrela que espera encantar
Como o sol que espera pra sair
Como a ânsia espera o porvir
Eu por ela estou a esperar

Preciso respirar você!

Lucio Mauro Marques de Almeida

Em meu breve respirar, algo me faz falta
Parece uma nuvem sem chuva ou algo caindo sem chegar ao chão...

Como saber se a falta ainda me faz respirar. Ou...
Se respiro o que me falta?

Talvez seja impossível definir o que realmente me falta nesse momento
Me falta quase tudo! Sim! Quase tudo!

Ao passo que respiro, só o teu cheiro me torna vivo, mas... Nada posso tocar!

Como continuar se o teu cheiro e o teu corpo permanecem em mim?

Então, o que falta? Já tenho tudo que preciso! Ou... quase tudo. O que eu faço?

Se permaneces em mim... Sem falta! Vou seguindo... Mas permaneça aqui... Sem falta!

Pareço insistir em algo louco... Eu sei, mas agora resta esperar sua volta. E até lá, guardo você comigo!

Quase nada me falta! A não ser esse breve respirar.
Alimentado por esse cheiro e esse corpo permeando meu pensar.

Fica o desejo de tê-la por inteira... Sem nada faltar! Me ajude! Preciso respirar você!

Beijo que me toma

O beijo forte como uma tormenta de águas; ainda me sacode como uma folha solta ao vento; me leva ao longe dentro de meu peito, me acolhe nesse seu coração que anseia o afago.
Conforta esses lábios que também anseia os seus e clama o suspiro de sua alma,
como o cântaro dos pássaros que também voam ao calor da brisa quente;
O que me faz lembrar, o respirar ofegante de seu ser em mim!