Entretenimento / Cinema

Adaptações Literárias do Cinema Nacional

A rica literatura brasileira já foi tema de muitos filmes. E o cinema nacional também já se trouxe histórias estrangeiras para o nosso país com resultados sensacionais. Veja a nossa lista de filmes brasileiros baseados em livros e prepare a pipoca!

O Auto da Compadecida

Guel Arraes, 2000

As aventuras de João Grilo e Chicó, nasceram na peça de mesmo título escrita por Ariano Suassuna. O filme também se inspira em outras obras do autor, como O Santo e A Porca. A história combina traços da cultura nordestina, literatura de cordel, tradições religiosas e elementos fantásticos. Se passa no sertão, onde os dois protagonistas criam todo tipo de trama para driblar a pobreza. A adaptação surgiu como uma minissérie e foi editada para ser lançada nos cinemas.

Compartilhar

Abril Despedaçado

Walter Salles, 2001

Inspirado no romance Prilli i Thyer (Abril Partido), de Ismail Kadaré, a história é transmitida da Albânia rural para o sertão do Brasil no início do século XX. Devido a rixa de sangue ancestral entre duas famílias, o protagonista Tonho, precisa vingar a morte do irmão mais velho. Porém se matar um membro da família inimiga, ele será o próximo alvo da luta. Tonho e seu irmão mais novo, Pacu, precisam encontrar esperança para sobreviver em meio a violência que acompanhará suas vidas.

Compartilhar

Dom

Moacy Góes, 2003

Inspirado no clássico Dom Casmurro, de Machado de Assis, o filme se passa nos tempos atuais. O protagonista, Bento, recebeu seu nome em homenagem ao Bentinho do livro. Isso cria no personagem a ideia de que está fadado a viver a mesma história. Assim nasce a desconfiança de que Ana e Miguel (Capitu e Escobar) estão tendo um caso às suas costas. A atriz Maria Fernanda Cândido repetiu o papel da mulher de olhos de ressacas na série Capitu, de 2008.

Compartilhar

Primo Basilio

Daniel Filho, 2007

No livro O Primo Basílio, do português Eça de Queirós, o conturbado romance entre Luisa e Basílio, se passa em Lisboa no séc. XIX. A adaptação trouxe a história para a São Paulo dos anos 1950. Na nova versão, o detalhamento da sociedade (que é um dos principais pontos do livro) foi enxugado para criar um filme mais dinâmico. Mas os principais elementos ainda estão lá: a crítica à classe média, o sedutor Basílio, o adultério de Luísa e suas consequências, e a conturbada relação entre a protagonista e sua amarga empregada, Juliana.

Compartilhar

Capitães da Areia

Cecília Amado, 2011

Baseada no livro de Jorge Amado, Capitães da Areia conta a história de um grupo de meninos orfãos, que realizam pequenos roubos nas ruas de Salvador, liderados por Pedro Bala nos anos 1930. Escrita e dirigida pela neta do autor, a adaptação traz jovens atores da região, encontrados em oficinas culturais de ONGs. Um destaque é Ana Graciela, que interpreta Dora, a única menina do grupo, que tem um romance com Pedro Bala. O sincretismo religioso e a cultura baiana, cruciais no livro, são bem ressaltados no filme.

Compartilhar

Memórias Póstumas de Brás Cubas

André Klotzel, 2001

O livro de mesmo título, escrito por Machado de Assis, é um relato do aristocrata Brás Cubas. O filme, uma premiada comédia dramática, carrega toda a ironia e o humor negro da história original, numa adaptação fiel. Logo de início, o protagonista morre. E no além, se põe a contar sua história. Brás Cubas olha para a câmera e fala diretamente com o espectador. E entre seus relatos de decepções, romances e sonhos interrompidos, o rabugento defunto acaba conquistando o público.

Compartilhar

Cidade de Deus

Fernando Meirelles, 2002

Baseado no livro de mesmo nome de Paulo Lins, Cidade de Deus foi uma das produções brasileiras de maior projeção nacional, recebendo quatro indicações ao Oscar. Para produzir o filme foi criada a ONG Nós do Cinema, e por meio dela, 200 moradores de favelas foram selecionados para atuar no filme. A história do menino Buscapé, que cresce entre violência da favela e a dúvida de embarcar ou não no mundo do tráfico, é reconhecido como um dos melhores filmes já feitos.

Compartilhar

Carandiru

Hector Babenco, 2003

Baseado no livro Estação Carandiru, escrito por Drauzio Varella, o filme conta toda a rotina autobiográfica do médico no maior presídio da América Latina.

Compartilhar

Tropa de Elite

José Padilha, 2007

Inspirado no livro Elite da Tropa, de André Batista e Rodrigo Pimental, que por sua vez foi baseado em relatos reais de ex-policiais do BOPE, esquadrão de elite da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Tropa de Elite foi um sucesso sem igual. O icônico Capitão Nascimento conquistou o país e, por conta disso, em 2010, o filme ganhou um continuação. Tropa de Elite: O Inimigo Agora é Outra, se passa 13 anos após a história do filme original. A sequência tornou-se o filme mais visto da história do cinema brasileiro.

Compartilhar

Quincas Berro D’Água

Sérgio Machado, 2010

Baseado no livro A Morte e a Morte de Quincas Berro D’Água, de Jorge Amado, a adaptação para o cinema é fiel ao clima do livro. O funcionário público, Quincas, larga a regrada vida junto a família e junta-se aos malandros divertidos dos bares de Salvador. Até o dia em que morre, na sua casa. Os amigos não aceitam a morte do companheiro, e decidem roubá-lo do funeral para viver mais uma noite de farra. O choque entre a moralidade da família burguesa e os parceiros de boemia é um dos pontos fortes do filme.

Compartilhar

O Tempo e o Vento

Jayme Monjardim, 2013

O Tempo e o Vento foi adaptado da trilogia de mesmo nome escrita por Érico Veríssimo. O filme acompanha a saga da família Terra Cambará e seus oponentes, os Amaral durante 150 anos. Da luta entre as duas famílias, também é abordada a formação do estado do Rio Grande do Sul. Cheia de heróis, a trama é regida pelo olhar das mulheres da família. Em especial, Bibiana que, já idosa, relata a sua história por meio de devaneios e flashbacks. Depois de ser exibido nos cinemas, o longa também foi transmitido como microssérie na Rede Globo.

Compartilhar

comentários

anterior

Curso para Casais

Melhore o seu relacionamento conectando alma e coração

próxima

Ney Latorraca

Os pensamentos de um dos maiores atores do Brasil