Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Curiosidades sobre pintores clássicos

Cada artista tem uma pincelada original, mas também um pouco de mistério e até esquisitices. Os pintores mais famosos do mundo mostram que também são humanos e cheios de manias diferentes! Confira.

continue lendo
Compartilhar

Ticiano

Jamais pinte uma mulher velha, sejam quais forem as circunstâncias, pregava o artista Ticiano. Mas ele mesmo foi obrigado a quebrar essa regra quando a duquesa de Urbino pediu ao marido que o contratasse para pintá-la despida. Um amigo de Ticiano sugeriu que ele chamasse a moça mais atraente do bordel para posar e pintasse o seu corpo. A cabeça do retrato seria da duquesa, com alguns retoques. Ao ver o quadro pronto, a duquesa ficou maravilhada. Ainda mais porque a obra recebeu o nome de A Vênus de Urbino. O duque de Urbino também não se conteve diante do quadro e exclamou: Se eu pudesse ter o corpo dessa moça, mesmo com a cabeça de minha mulher, seria um homem muito mais feliz!

Guia dos Curiosos

Edvard Munch

Cientistas da Universidade do Texas (EUA) descobriram, com a ajuda de computadores e muita pesquisa histórica, o motivo do "grito" no quadro de Munch. Segundo os pesquisadores, o pânico, que fica bem claro na pintura, foi sentido pelo artista em 26 de agosto de 1883. Naquele dia, um grande tsunami tirou do mapa a ilha vulcânica de Krakatoa, em Java, na Indonésia. De acordo com relatos da época, a explosão de lava vulcânica colidindo com imensas ondas pôde ser vista em várias partes do mundo. O pintor, que passeava com amigos na zona portuária de Oslo, afirmou nunca ter visto um crepúsculo como aquele. "De repente, tudo ficou vermelho e uma profunda melancolia e tensão se apossou de mim. Meus amigos foram embora e eu fiquei só, trêmulo e ansioso, como se tivesse ouvido um grito cortante e interminável atravessando a natureza", anotou Edward em seu diário.

Édouard Manet

Seu quadro Almoço sobre a relva (1863) chocou Paris com a imagem de uma mulher nua num piquenique com dois homens vestidos.

Rembrandt Van Rijn

O holandês Rembrandt pintou o quadro Os síndicos da guilda dos fabricantes de tecido em 1662. Não agradou aos clientes que o haviam encomendado. Disseram que a obra não tinha sido "decentemente pintada". Hoje o quadro é considerado uma das obras-primas do artista holandês. Ele fez mais de 75 auto-retratos e, dessa forma, registrou praticamente todos as fases de sua vida.

Salvador Dalí

Em 1936, o artista deu uma palestra inteira sobre artes vestido com uma roupa de mergulho, acompanhado de três cachorros russos. Salvador Dalí produziu cerca de 1.500 pinturas ao longo de sua vida. Morreu no dia 23 de janeiro de 1989, aos 84 anos. O corpo do pintor está enterrado em seu museu localizado em Figueras, sua cidade natal. O túmulo foi projetado para ficar exatamente em cima do banheiro feminino.

Henri de Toulouse-Lautree

Na adolescência, Toulouse-Lautree levou 2 tombos em que quebrou os ossos das 2 coxas. Isso fez sua altura estacionar em 1,55 metro. Aos 27 anos, pintou o primeiro cartaz para o cabaré Le Moulin Rouge e começou a ficar famoso. Ele adorava a dançarina Jane Avril e a pintou em vários quadros.

Vincent Van Gogh

Vicent van Gogh produziu cerca de 800 telas, em um período de apenas 8 anos como pintor. No final de sua vida, o artista teve uma produção intensa: chegou a pintar quase um quadro por dia. Ele só vendeu um quadro em vida - "O Vinhedo Vermelho" - por 400 francos, apenas 4 meses antes de sua morte.

 

Sandro Botticelli

Alessandro di Mariano do Vanni Filipepi era o nome verdadeiro do pintor italiano Sandro Botticelli. Ele ganhou esse apelido porque era gordinho. Botticella em italiano quer dizer pequeno barril.

Francisco de Goya

Pintar uma mulher nua era algo raro na Espanha da Inquisição. Mas Goya não se intimidou. Pintou La maja despida e disfarçou fazendo também La maja vestida, quadro que ele pendurava sobre o primeiro. As duas obras estão hoje no Museu do Prado, em Madri. Acredita-se que a modelo tenha sido Pilar Teresa Cayetana, a duquesa de Alba, amante do pintor, pois os quadros pertenciam à sua coleção.

Claude Monet

O pintor francês Claude Monet prestou serviço militar na África. Ele gostava tanto de pintar a água e seus reflexos que chegou a montar um estúdio flutuante. Guardava seu material de pintura e desenho num barco e saía navegando num rio para pintar.

Jacques-Louis David

Jacques-Louis David, pintor oficial da corte francesa, retratava acontecimentos do reino. O quadro A consagração do Imperador Napoleão I (1806-1807) levou um ano para ser finalizado e apresenta mais de cem figuras.

Albert Eckout

Albert Eckout veio ao Brasil em expedições na época do Descobrimento e retratou muito do que viu aqui. De volta à Europa, fez com que os europeus conhecessem nosso país pintado terras brasileiras em tetos de palácios.

Pierre Auguste Renoir

Aos 13 anos, o pintor deixou de estudar para se tornar decorador de porcelanas. Aos 21 anos, se matriculou na Escola de Belas-Artes de Paris, onde ficou amigo de Alfred Sisley, Bazille e Monet. Em 1870, se alistou para lutar na guerra franco-prussiana. Acabou dando baixa em um ano por conta de doença. Ele sofria de artrite, mas mesmo assim não deixou a arte de lado. Chegou a amarrar pincéis na mão e produziu cerca de 6 mil obras ao longo da vida.

Michelangelo Buonarroti

O pai e os irmãos do pintor batiam nele por causa de sua inclinação pelas artes. Eles achavam vergonhoso ter um artista na família. Em sua obra, o artista retratou principalmente o corpo humano. Para isso, estudou anatomia e dissecou cadáveres.

Pablo Picasso

Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Martyr Patricio Clito Ruíz y Picasso nasceu em 25 de outubro de 1881 em Málaga, na Andaluzia, Espanha. Seu pai era professor de desenho. Cerca de 350 trabalhos do pintor já foram roubados, mais do que de qualquer artista na história. A obra Menino com Cachimbo, feita pelo pintor quando tinha 24 anos, se tornou a mais cara do mundo em 2004. Ela foi vendida em um leilão em Nova York (EUA) por 104,1 milhões de dólares. Até então, a tela de maior valor pertencia ao pintor holandês Van Gogh (Retrato do Dr. Gachet), estimada em 82,5 milhões de dólares.

fechar