Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Lucas Silveira

Vocalista da Fresno, Lucas começou na música ainda no colégio e não parou mais. Além de ser um dos líderes da banda, o músico também se dedica à carreira solo. Conheça mais sobre ele.

01/12/1983
continue lendo
Compartilhar

De cantor a produtor

Lucas Silveira

É uma coisa para a qual eu procuro me organizar bastante, pois preciso ter tempo e tranquilidade para fazer todas as coisas que eu gosto. E eu gosto de fazer as duas coisas. Inclusive uma das coisas mais legais que fiz ultimamente foi produzir o disco da minha própria banda, a Fresno. Foi quando eu uni as duas coisas que eu mais gosto de fazer: criar e produzir.

Papai de primeira viagem

Lucas Silveira

Minha vida virou outra coisa, eu tenho que conciliar, sou obrigado a fazer isso. Por exemplo, estava no estúdio gravando, mas a nenê começou a chorar de um jeito que a gente não sabia o que ela estava fazendo... acho que era sono! Mas paramos de gravar pra ver o que estava acontecendo! O legal é que todos esses desafios e sensações novos servem de inspiração.

Internet a favor da carreira

Lucas Silveira

Hoje, tu consegue saber em que países chegou o teu post, que música foi ouvida em cada cidade, dá para ir até o perfil do cara e agradecer na língua dele. As ferramentas são incontroláveis, e isso hoje em dia é parte integrante da carreira de uma banda, não tem mais como separar.

Crescimento da Fresno

Lucas Silveira

Saudade é normal. A gente viveu muitos momentos especiais. Por exemplo, em 2003, quando a banda começou a ficar mais séria, a gente não sabia exatamente porque tinha começado a pintar gente que a gente não conhecia nos shows. Não eram mais só nossos amigos. Mas a gente achava aquilo normal: tu começava a tocar, as pessoas começavam a gostar, a banda começava a crescer.

A indústria do Rock no Brasil

Lucas Silveira

O rock é uma cena que nunca morre, porque tá sempre acontecendo no underground. Não sei se existe underground do popularzão, porque ali tem muito pistolão, aparecer no Faustão. O público consome o que faz muito sucesso. No rock, é outra coisa.

Justin Bieber

Lucas Silveira

Esse trabalho novo é muito bom. Ele toca nas festas, e todo mundo começa a dançar e sorrir. Mas eu sei que é trabalho dos produtores. Talvez, a maturidade do Justin Bieber permitiu que ele fosse lá e dissesse que queria o som assim.

 

O que ainda sonha fazer

Lucas Silveira

Tem muita coisa pra fazer ainda! Mas uma coisa que eu estou fazendo agora é produzir os discos de outras bandas. Com esse tempo que eu tenho de Fresno, que são quase quinze anos, já deu pra aprender muita coisa que eu posso repassar pra uma banda que está começando. Mas além, disso tem um monte de coisas! Eu queria muito me envolver em um projeto infantil, alguma coisa que não tivesse nada a ver com a Fresno. Queria muito ter um desenho animado, alguma coisa assim.

CD quase todo autoral

Lucas Silveira

É uma mensagem muito condensada e concisa. E realmente, o Eu Sou a Maré Viva é um disco que fala sobre a gente largar mão do que nos prende aqui, do que nos limita, do que é fútil e de tudo que pode ir embora amanhã. Seja o dinheiro, a imagem, as aparências, as opiniões alheias. Ser importante pra quem é importante pra gente. O disco tem essa mensagem da empatia, do que realmente é importante, do que a gente precisa celebrar. É o dinheiro ou o amor?

Como a crise no Brasil influencia sua arte

Lucas Silveira

Eu só consigo falar de maneira objetiva sobre isso quando os momentos passam, depois de algum tempo, com o distanciamento necessário para se fazer uma auto-análise correta. Eu não filtro muito meus assuntos, minhas abordagens, e não me mantenho imune ao que vamos vivendo enquanto sociedade, então é inevitável que isso tudo tome forma de música.

Carreira solo

Lucas Silveira

Não foi nem um desejo, não me senti pressionado a fazer. Foi algo que eu sempre tive, mesmo quando a Fresno não tinha uma pretensão muito grande, eu já vinha fazendo discos sozinho gravava em casa, músicas minhas, como se fosse um estágio. Aí quando percebi já tinha um processo solo e a oportunidade de lança-lo como um trabalho paralelo surgiu com a vida.

Coisas da vida

Lucas Silveira

É impossível ser uma banda jovem para sempre. Não impossível, mas ridículo. A gente percebe que, cada vez mais, não dá para ser uma banda que fala sobre dois anos da vida de uma pessoa.

Emo

Lucas Silveira

Tudo que vai, volta, principalmente em se tratando de indústria cultural. A cena emo produziu muitas obras que eu acho maravilhosas mas, como tudo que vira um sucesso comercial, traz consigo uma enorme quantidade de subprodutos descartáveis que acabam sujando a imagem de uma manifestação genuína.

Redes sociais

Lucas Silveira

Nós fomos uma das primeiras bandas que saíram do colégio já sabendo usar a internet. Mas não algo que a gente tinha estudado, a gente sabia porque usava. Nos pediam dicas, na época, e a gente não fazia a menor ideia do que falar. Quando eu criei um perfil no Orkut, vi que já existia uma página de fãs da Fresno com 70 pessoas. Tudo que eu queria, na época, era chegar a mil. Ia ser muito louco ter mil fãs. Só que, em muito pouco tempo, já tinha mais de 10 mil, e eu achei aquilo maluco. No dia seguinte, tinha 10 mil e 400. Foi quando eu comecei a ter noção do tamanho.

fechar