Poemas / Amor

Poesias de Amor

Seu coração pode se encher de amor ao ler lindas poesias, sabia? Confira abaixo uma seleção de lindos poemas amorosos e aproveite para compartilhar!

Os românticos

Charlie Santana Fialho

Os românticos, não querem saber
Se são certos ou errantes;
Apenas seguir avante
Da forma que sabem,
Num romance.

Os românticos, amam
Tudo que existe;
A beleza de um amor perfeito
Ou a dor sem jeito
De uma despedida triste.

Amam aos seus
Mais que a si próprio,
Cultivam da existência a flor;
Vivem abertos:
Romântico é ser amor!

compartilhar

Esplendor

Oriza Martins

Fantásticos momentos que juntos passamos,
Plenos de promessas que juntos juramos,
Ricos de ternura, prazer e emoção...
Suspiros intensos, olhares calientes,
Afagos, abraços e beijos, ardentes,
Momentos dourados como o sol de verão.

A brisa que sopra ao entardecer
Que aos outros um pouco de frio vem trazer,
Em nós reacende o desejo, o fervor...
Não existe clima que apague essa chama
Que a nós incendeia, acende, inflama,
Pois nosso amor é puro esplendor!

compartilhar

Vem, meu amor

Razia Santos

Vem meu amor
Vem ver o sol nascer…
Vem ver a dança das borboletas,
Enquanto colhemos as margaridas
Que enfeitam nossa vida.
Vem meu amor contemplar a beleza
Dos lírios que florescem nos campos!
Vem meu amor enxugar meu pranto!
Vem ver a luz do sol!
Meu amor torna minha tristeza
Em alegria!
Vem antes que me esqueça.
Antes que eu murche e perca meu viço.
Vem regue-me com seu amor!
Vem fique comigo até que eu adormeça
E a noite escura desapareça.

compartilhar

Porque eu te amo?

Claudio Lopes

Abrir

"Amo por sua grandeza...
Amo por seus carinhos...
Amo por sua beleza...
Amo por seu Amor!"

compartilhar

Tua Presença

Por que teria que anoitecer e eu adormecer?
Simplesmente passaríamos de amanhecer em amanhecer
Assim eu não teria que esperar
Outro dia pra poder te encontrar

O tempo brincou todo o tempo com a gente
Não consigo tirar isso da minha mente
Em tempos diferentes chegamos a este mundo
Não poderia eu entrar em sono profundo?

Esperaria por você todo este tempo
Se soubesse que viria logo com o vento
Assim estaria eu no seu caminho
Para poder te dar muito carinho

Choraria anos por você esperando
Estaria contando cada minuto aguardando
Para saber se seu olhar era como eu tinha sonhado
E se sua boca era como a que no sonho eu tinha beijado

Necessito da tua presença desde antes de você nascer
Necessito do teu olhar mesmo antes de você me ver
Seus lábios quando tocam os meus, você não percebe
Mas perco o chão como alguém que padece

Sua presença me faz bem e sinto falta dela
É o ar que eu respiro e que me faz sobreviver
Sua presença é algo que nunca senti
É por esse sentimento e por você que eu sempre vou viver.

compartilhar

Reflexo

Pablo Neruda

Se sou amado,
quanto mais amado
mais correspondo ao amor.

Se sou esquecido,
devo esquecer também,
Pois amor é feito espelho:
tem que ter reflexo.

compartilhar

Amar

Carlos Drummond de Andrade

Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
e o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

compartilhar

Emoções

O amor, complexo perfeito,
finda e renasce,
mesmo com a interferência do bom senso
imperfeito da humanidade.
Cuja qual, mistura-se nas cinzas da evolução,
de sensações robotizadas, frias!
No entanto, o que somos?
Seres evoluídos ao ponto de manipular
as próprias emoções e as de outrem,
a fim de fomentar o próprio interesse.
Será esse um mundo quadrado,
imperfeito, sem rumo, sem jeito?
Essa é a grande realidade,
como um banho de água fria...
Enquanto emoções de plástico ganham o mundo,
que mundo é esse?
Mundo de xadrez, damas, baralhos e dominós...
Figurantes, errantes, cheios de nós...
Perdidos no grande tabuleiro do jogo da vida,
Fascinante, quando não deixamos de lado,
O Amor!

compartilhar

Minha Namorada

Vinicius de Moraes

Meu poeta eu hoje estou contente
Todo mundo de repente ficou lindo
Ficou lindo de morrer
Eu hoje estou me rindo
Nem eu mesma sei de que
Porque eu recebi
Uma cartinhazinha de você

Se você quer ser minha namorada
Ai que linda namorada
Você poderia ser
Se quiser ser somente minha
Exatamente essa coisinha
Essa coisa toda minha
Que ninguém mais pode ser
Você tem que me fazer
Um juramento
De só ter um pensamento
Ser só minha até morrer
E também de não perder esse jeitinho
De falar devagarinho
Essas histórias de você
E de repente me fazer muito carinho
E chorar bem de mansinho
Sem ninguém saber porque

E se mais do que minha namorada
Você quer ser minha amada
Minha amada, mas amada pra valer
Aquela amada pelo amor predestinada
Sem a qual a vida é nada
Sem a qual se quer morrer
Você tem que vir comigo
Em meu caminho
E talvez o meu caminho
Seja triste pra você
Os seus olhos tem que ser só dos meus olhos
E os seus braços o meu ninho
No silêncio de depois
E você tem de ser a estrela derradeira
Minha amiga e companheira
No infinito de nós dois.

compartilhar

Penso em ti

Penso em ti sem roupa
No teu corpo como queria tocar
Todo ele eu afagar
Como te desejo de desejar
Penso em ti e quero te toda beijar
Com as minhas mãos te acariciar
Ter-te toda minha
Só eu te poder amar
Que momentos mais desejados
Que instantes loucos de amar
Penso nos momentos desejados
Num louco amor te excitar
Ouvindo os teus gemidos e o teu gritar
De prazer até ficarmos loucos de amar.

compartilhar

Ao Amor Antigo

Carlos Drummond de Andrade

O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio ou de presença.
Nada exige nem pede. Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.

O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.

Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante,
a antigo amor, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.

Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor.

compartilhar

Amor e seu tempo

Carlos Drummond de Andrade

Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.

É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe

valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde.

compartilhar

Toada do Amor

Carlos Drummond de Andrade

E o amor sempre nessa toada!
briga perdoa perdoa briga.
Não se deve xingar a vida,
a gente vive, depois esquece.
Só o amor volta para brigar,
para perdoar,
amor cachorro bandido trem.

Mas, se não fosse ele, também
que graça que a vida tinha?

Mariquita, dá cá o pito,
no teu pito está o infinito.

compartilhar

Poesia de Amor

Carlos Drummond de Andrade

Sossegue!
O amor é isso que você está vendo:
hoje beija, amanhã não beija,
depois de amanhã é domingo
e segunda-feira ninguém sabe o que será.

compartilhar

Sugar e ser sugado pelo amor

Carlos Drummond de Andrade

Sugar e ser sugado pelo amor
no mesmo instante boca milvalente
o corpo dois em um o gozo pleno
Que não pertence a mim nem te pertence
um gozo de fusão difusa transfusão
o lamber o chupar o ser chupado
no mesmo espasmo
é tudo boca boca boca boca
sessenta e nove vezes boquilíngua.

compartilhar

Poema de Amor

Fernando Pessoa

Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem sabe porque ama, nem o que é amar
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência, não pensar.

compartilhar

comentários

anterior

Eu quero saber do seu amor

Já não me importa as outras pessoas, quero ser feliz!

próxima

Os dois lados da verdade

Porque a mentira não tem vez na vida de quem é verdadeiro