Textos Sobre Amor e Vida

A garota que roubava corações

Evandro Litieri

Sempre ouvia falar
Que um dia ia chegar
Alguém que roubaria um sentimento tão puro
Ah, como pude ser tão burro.
Até tentei criar um bloqueio
Mas aos poucos ela veio e foi como um devaneio
Não sei se foi errado, precipitado, ou mal encarado
Mas a minha realidade hoje é eu aqui “largado”.

Ela veio como uma luz no fim do túnel
Me salvando do esgoto onde me encontrava
E foi uma surpresa quando dentro de um presente tinha um anel.

Era tudo tão lindo e o tempo ao lado dela voava
A cada carinho que rolava.
Era como uma viagem, eu ia para o céu e voltava.
Mas a vida vinha me avisando
E eu como sempre as regras vou burlando.

E a cada dia que passava estávamos mais próximos de um final feliz
Mas nem sempre a vida pode nos dar um “bis”.
O ser humano tem um grande defeito
Que ao longo do tempo tudo que se realiza ainda não está bom
Mas ainda sofremos com esse efeito.

Dom este de deixar complicações e ser feliz?
Hoje sou um mero aprendiz
E ela foi embora, e não voltou.
Talvez algum mano seu coração já tocou
O que posso fazer?
Se não posso mais ter, a moça com que deveria me comprometer
O que me resta é viver só
É que as vezes suas lembranças em minha cabeça me dão um nó.

Ainda não sei como agir,
Cansei de brigar, lutar será que a melhor opção é fugir?
Sinceramente, não sei se pra outra vou me doar
Pois, você teve o poder de me transformar.

Aquele cara durão
Com você era igual manteiga no pão
Mas vou andando pelas ruas
É outono, e não dá pra ver as garotas semi-nuas
Isso serve de distração
Mas só no verão, agora não, daqui pra frente a gente pensa mais com o coração.

Daqui a pouco chega o inverno;
E eu me vejo em meio ao inferno
Não sei se está mais frio lá fora
Ou dentro do meu coração que você roubou e jogou fora.

Me sinto as vezes pior de que um cão
Mas é porque você ainda sabe que estou na sua mão
Pensa que é fácil ouvir um não?
Agora o que faço são versos tristes de alguém que se sente na solidão
E não há ciência que explique a negação, a paixão e a solidão.

Loucos

Evandro Litieri

O ápice de uma loucura pode ser considerado insano, ridículo entre outras, a cada movimento uma nova alucinação independente do que lhe ocasionou aquela “brisa”. Drogas ilegais ou legais, cada uma terá a sua particularidade ou efeitos diversos para o seu organismo. Em um ponto de vista geral, todos que curtem tais alucinações têm a verdadeira justificativa de fugir, esquecer ou driblar algum tipo de problema, ou apenas para relaxar de uma semana pesada entre trabalho, faculdade, família e etc. Mas o que ninguém pode negar é o sentimento fuga, pois, nenhum tipo de substância citada acima teria valia, se continuássemos em nosso estado normal.
Daí, aquele sermão que boa parte da sociedade pratica “Ah, não fuja de seus problemas, os enfrente”. Na teoria é tão fácil, não é mesmo? Então paramos por um instante e analisamos a vida social do tal indivíduo “politicamente correto”.
Será que ele administra a situação assim mesmo?
BADUMMMM!!!!!!!!
É...o cara realmente não usa drogas, o cara não fuma não bebe, mas toda a vez que acontece algo que lhe irrita ou lhe entristece o mesmo chega em casa e passa dias sem falar com a esposa, mal se fala com os filhos e quando fala quer brigar, briga porque o cachorro fez xixi onde não deveria e o manda embora pois, o SR. CONTROLADO não está com paciência. A pessoa se isola do mundo, nada que lhe fazem está bom, os amigos estão sendo falsos, seu vizinho está com o som muito alto. Cara, como pode tudo sofrer mudanças tão bruscas em dias apenas?
O seu vizinho insuportável com o som alto é o mesmo que estava com você no final de semana passado, junto com seus amigos “falsos” que não lhe querem bem. No mínimo estranho né ?
Creio que nenhum “ser humano” poderá afirmar que se tem controle e é capaz de administrar seus problemas com facilidade. Julgar, apontar, criticar os defeitos é muito fácil, mas procurar entender o porquê de cada um estar nessa situação que é o complicado. Pois, cada um tem um tipo de ação para demonstrar seus sentimentos ou encarar seus problemas, uns com algo que os deixam fora de si, outros com isolamentos e grosserias.
Ou seja, TODO MUNDO É MUITO LOUCO.

Comentários