Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

10 Poemas de Charles Bukowski

O poeta e escritor alemão Charles Bukowski, autor de diversas obras, é um dos escritores mais conhecidos e amados da nova geração. Amante do álcool e das mulheres, o velho safado sempre soube se expressar de forma crua.

16/08/1920 09/03/1994
continue lendo
Compartilhar

Gelo para as águias

Charles Bukowski

Eu continuo a me lembrar dos cavalos
sob a Lua
Eu continuo a me lembrar de alimentar os cavalos
com açúcar
Torrões brancos de açúcar
que mais pareciam gelo,
e eles tinham cabeças como as de
águias
cabeças calvas que podiam ter me mordido,
mas não o fizeram.

Os cavalos eram mais reais que
meu pai
mais reais que Deus
e eles poderiam ter pisado no meu pé,
mas não o fizeram
poderiam ter feito comigo toda sorte de horrores,
mas não o fizeram.

Eu tinha quase 5 anos,
mas ainda não esqueci;
oh meu deus eles eram fortes e bons
aquelas línguas vermelhas
babando suas almas.

Eu conheci um gênio

Charles Bukoswki

Eu conheci um gênio no vagão
hoje
de uns 6 anos de idade,
ele se sentou ao meu lado
e quando o trem passou pela costa
e avistamos o mar
ele olhou pra mim e disse
isso não é bonito.

Foi a primeira vez que
percebi isso.

A estória final

Charles Bukowski

Deus, lá vem ele bêbado novamente
contando as mesmas velhas estórias
de novo e de novo
à medida que eles o empurram para
mais - alguns com nada melhor
pra fazer, outros
secretamente bisbilhotando
este grande escritor
tagarelando
babando
no seu camundongo de
estimação
falando sobre a
guerra
falando sobre as
guerras
falando sobre o valente
peixe
sobre as touradas
e até mesmo sobre
suas mulheres.

as pessoas
vêm até o
bar
noite após noite
para o mesmo
espetáculo
o qual ele um dia
acabará
sozinho
estourando seus
miolos contra a
parede.

O preço da criação
nunca é alto demais.

O de se conviver
com outras pessoas
sempre é.

Cerveja às 2 p.m.

Charles Bukowski

Nada importa
a não ser ficar se virando no colchão
com sonhos tão baratos quanto a cerveja
enquanto as folhas morrem e os cavalos morrem
e as donas-de-casa olham nas janelas;
avivando a música das cortinas se fechando,
a última caverna de um homem
em uma eternidade de enxame
e explosão;
nada além da torneira da pia pingando,
a garrafa vazia,
euforia,
juventude cercada,
esfaqueada e barbeada,
instruída,
indo contra a morte.

Os melhores da raça

Charles Bukowski

Não há nada para
discutir
Não há nada para
lembrar
Não há nada para
esquecer

É triste
e
não é
triste

Parece que a
coisa mais
sensata
que uma pessoa pode
fazer
é
se sentar com um drink
na mão
enquanto as paredes
lançam sorrisos
de despedida

Uns passam por
tudo isso
com uma certa
quantidade de
eficiência e
bravura
e então
vão embora

Alguns aceitam
a possibilidade de
Deus
os ajudar a suportar

Outros
aguentam o tranco

E para estes

Eu bebo esta noite.

Sobre o velho safado:

Charles Bukowski foi um poeta e escritor alemão, que viveu e morreu nos Estados Unidos. Autor de diversas obras, é um dos escritores mais conhecidos e amados nos EUA.

Nasceu em Andernach, na Alemanha, a 16 de agosto de 1920, filho de um soldado americano e de uma jovem alemã. Aos três anos de idade, foi levado aos Estados Unidos pelos pais. Criou-se em meio à pobreza de Los Angeles, cidade onde morou por cinqüenta anos, escrevendo e embriagando-se. Publicou seu primeiro conto em 1944, aos 24 anos de idade. Só aos 35 anos é que começou a publicar poesias. Foi internado diversas vezes com crises de hemorragia e outras disfunções geradas pelo abuso do álcool e do cigarro.

Durante a vida, ganhou certa notoriedade com contos publicados pelos jornais alternativos Open City e Nola Express, mas precisou buscar outros meios de sustento: trabalhou 14 anos nos Correios. Casou, se separou e teve uma filha. É considerado o último escritor “maldito” da literatura norte-americana, uma espécie de autor beat honorário, embora nunca tenha se associado com outros representantes beat, como Jack Kerouac e Allen Ginsberg.

Apelidado de velho safado, sua literatura é de caráter extremamente autobiográfico, e nela abundam temas e personagens marginais, como prostitutas, sexo, alcoolismo, ressacas, corridas de cavalos, pessoas miseráveis e experiências escatoló­gicas. De estilo extremamente livre e imediatista, na obra de Bukowski não transparecem demasiadas preocupações estruturais. Dotado de um senso de humor ferino, auto-irônico e cáustico, ele foi comparado a Henry Miller, Louis-Ferdinand Céline e Ernest Hemingway.

Ao longo de sua vida, publicou mais de 45 livros de poesia e prosa. Bukowski morreu de pneumonia, decorrente de um tratamento de leucemia, na cidade de San Pedro, Califórnia, no dia 9 de março de 1994, aos 73 anos de idade, pouco depois de terminar Pulp.

 

Foi há pouco tempo

Charles Bukowski

Quase amanhecer
pássaros no fio do telefone
esperando
enquanto eu como o sanduíche
do dia anterior
às 6h da manhã
de uma calma manhã de domingo.

Um sapato no canto
de pé
o outro deitado ao seu lado.

É, algumas vidas foram feitas para
serem desperdiçadas.

Até

Charles Bukowski

Nós temos que viver com a perda e
talvez jogar com uma mão de cartas
ruim
e
nós sabemos o tempo todo qual é o placar.
Nós o suportamos como Hemingway
ou o descartamos como
Camus
mas nós sabemos
nós sabemos.

É assim que funciona e
damos corda no relógio e
esperamos pela

madrugada ou o parque de diversões
um sanduíche ou o
lixeiro.

Nós vivemos com isso e vivemos com isso até
morrermos.

A Genialidade da Multidão

Charles Bukowski

Há suficiente traição, ódio, violência, absurdo no ser humano comum
Para abastecer qualquer exército a qualquer momento.

E os melhores assassinos são aqueles que Pregam Contra o assassinato.
E os melhores no ódio são aqueles que pregam amor.
E os melhores na guerra - enfim - são aqueles que pregam paz.

Aqueles que pregam Deus, precisam de Deus.
Aqueles que pregam paz, não tem paz.
Aqueles que pregam amor, não tem amor.
CUIDADO COM OS PREGADORES
Cuidado com os conhecedores.

Cuidado com aqueles que estão sempre lendo livros.
Cuidado com aqueles que ou detestam a pobreza ou orgulham-se dela.
CUIDADO com aqueles rápidos em elogiar
Pois eles precisam de louvor em retorno

CUIDADO com aqueles rápidos em censurar:
Eles temem o que desconhecem.
Cuidado com aqueles que procuram constantemente multidões;
Eles não são nada sozinhos.

CUIDADO.
O Homem Vulgar. A Mulher Vulgar.
CUIDADO com o amor deles.

Seu amor é vulgar, busca vulgaridade
Mas há força em seu ódio
Há força suficiente em seu ódio para matá-lo,
para matar qualquer um.

Não esperando solidão
Não entendendo solidão
Eles tentarão destruir
Qualquer coisa que difira deles mesmos

Não sendo capazes de criar arte
Eles não entenderão a arte

Considerarão seu fracasso como criadores
Apenas como falha do mundo

Não sendo capazes de amar plenamente
Eles ACREDITARÃO que seu amor é incompleto
ENTÃO TE ODIARÃO

E seu ódio será perfeito
Como um diamante brilhante
Como uma faca
Como uma montanha
Como um tigre
COMO cicuta

Sua mais refinada
ARTE

Para a puta que levou meus poemas

Charles Bukowski

Alguns dizem que nós devemos manter
um remorso pessoal dos nossos poemas,
manter-se abstrato, e até há certa
razão para isso, mas jesus!
Doze poemas se foram e eu não guardo cópias.
E você levou minhas pinturas também,
as melhores: é sufocante!
Você está tentando me esmagar, assim como o resto deles?
Porque você não levou o meu dinheiro? Elas geralmente levam
da minha calça de bêbado jogada no canto.
Da próxima vez leve meu braço esquerdo,
ou uma nota de $50,
mas não meus poemas: eu não sou Shakespeare,
mas em algum momento
não haverá mais nenhum, abstrato ou o que quer que seja;
Sempre existirão putas, dinheiro e bêbados,
até a última bomba,
mas como disse Deus, cruzando as pernas,
Eu vejo que fiz vários poetas,
mas não muita poesia.

fechar