Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

As vantagens de ter animal de estimação

Capazes de influenciar nossa saúde e bem-estar, os animais de estimação nos ajudam em muitos fatores, além de companhia e carinho. Saiba um pouco mais sobre essas vantagens.

continue lendo
Compartilhar

Socialização

Animais de estimação fazem parte de um tema de interesse comum, frequentemente alvos de conversas que estimulam a aproximação entre pessoas. Por ser um animal social, ou seja, que requer convívio com outros cães para a manutenção de sua qualidade de vida, o cachorro naturalmente oferece um estímulo para que os donos frequentem parques e outros ambientes que favorecem a interação social.

Liberação de "hormônios da felicidade"

Estudos indicaram que a troca de afetividade entre humanos e animais tem como um dos principais efeitos o aumento da produção e liberação de serotonina e dopamina, os responsáveis pela sensação de prazer e alegria.

Redução da pressão arterial

O mesmo bem-estar provocado pela interação com o pet reduz os níveis de adrenalina – relacionados ao aumento da pressão arterial – e libera da acetilcolina. Esse neurotransmissor está envolvido no estado de tranquilidade, na diminuição de pressão arterial, frequência cardíaca e frequência respiratória, além de desempenhar um importante papel nas funções cognitivas, como a aprendizagem. Donos de animais com doenças crônicas podem ter o coração mais saudável do que as pessoas que vivem sem a companhia de um pet.

Um estímulo para a criação das crianças.

Para as crianças, os benefícios são múltiplos. Isso tanto de um ponto de vista fisiológico quanto psicológico. Os animais de companhia permitem à criança desenvolver mais rápido o seu sistema imunitário. A probabilidade delas desenvolverem infecções respiratórias baixa 30% , além de serem menos sujeitas a doenças de ouvido, tipo a otite. Elas também precisam de menos antibióticos que as outras crianças. Os animais de estimação também favoreceriam o desenvolvimento de suas competências comunicativas e compreensivas do mundo em geral. O animal de estimação é identificado como o melhor amigo e confidente da criança, permitindo-a desenvolver características sociais como a lealdade, a fidelidade e a noção de responsabilidade.

Gato ajuda contra asma

Por incrível que pareça, os pelos de gato que ficam pela casa não são de todo mal. O trabalho, realizado na Universidade de Virginia, mostrou que crianças que são criadas em contato com bichanos têm mais resistência ao desenvolvimento de asma. O mecanismo é o mesmo das alergias: ao conviver com o animal, o sistema imunológico fica mais forte e há menos riscos de ter o problema.

Um terapeuta surpreendente nos lares de idosos.

Para os idosos, os animais podem trazer benefícios inesperados às atividades internas das casas de repouso como o desenvolvimento da mobilidade, dos sentidos, das expressões e até mesmo da memória. Acariciando um gato, por exemplo, uma pessoa idosa está trabalhando o músculo do ombro sem saber… Uma maneira interessante de tornar o momento temido da reabilitação um pouco mais agradável!

Proteção contra alergias

Uma hipótese levantada recentemente por pesquisadores é a de que o relaxamento obtido com o contato com os cães, por exemplo, pode elevar os níveis de imunoglobulina A, um anticorpo presente nas mucosas que evita a proliferação de vírus ou bactérias e é de grande importância na prevenção de várias doenças, inclusive as alergias. As crianças que convivem com cães têm menos chances de apresentar alguns tipos de infecções nos ouvidos ou problemas respiratórios do que aquelas que não têm bichos de estimação, segundo um estudo divulgado

Saúde IG

 

Alívio do estresse

Estudos indicam que a interação entre homem e animal traz uma sensação de bem-estar e conforto, resultando na diminuição dos níveis de cortisol – hormônio relacionado ao estado de alerta e que também é conhecido como o "hormônio do estresse", causando diversos problemas à saúde quando encontrado em níveis elevados na corrente sanguínea.

Combate à depressão

As trocas de carinho, compreensão, apoio e segurança observadas na relação humana com os animais de estimação favorecem o aumento da autoestima, o senso de valor próprio, o estabelecimento de hábitos positivos e o interesse pelo outro, questões que estão entre as centrais da depressão.

Incentivo à prática de atividades físicas

Xô, sedentarismo: ter um animal de estimação (em especial, um ou mais cães) obriga até o mais ferrenho sedentário a pelo menos duas visitas diárias às calçadas e/ou parques e praças da vizinhança, uma medida sanitária essencial para a saúde do bichinho. Tal "exercício" pode ser o primeiro passo em direção a uma rotina de atividades físicas regulares, essenciais à saúde humana.

Elevação da autoestima

Ao sentir o carinho, o amor e a atenção do pet, o dono de um animal de estimação se dá conta do quão importante é para a vida de seu animalzinho. Isso faz com que se sinta também mais importante e confiante em suas próprias capacidades.

Cachorros ajudam a detectar câncer

Cães podem ser úteis aos donos e médicos na detecção de câncer em diversas regiões do corpo, como pele, bexiga, pulão, mama, ovário e colo. O diagnóstico é feito ao farejarem o local doente e é possível que os cachorros sejam até treinados para fazer esse tipo de descoberta. De acordo com especialistas, a precisão deles pode variar nas faixas de 80% e 90%.

Senso de responsabilidade

Cuidar de um animal envolve uma série de rituais diários e eventuais, como alimentação, manutenção da higiene, banho e passeios. Assumir tais compromissos envolve responsabilidade da parte do dono – assim, ter um pet pode ser uma incalculável lição de responsabilidade e compromisso para as crianças, por exemplo.

Diminuição da solidão

Seja pela companhia do próprio animal e/ou pela estimulação de uma maior interação social por meio dos passeios com o pet, a sensação de solidão tende a ser amenizada a partir da convivência com um parceiro para todas as horas que o acompanha e espera pacientemente (ou, às vezes, nem tanto...) 24 horas por dia, sete dias na semana.

fechar