Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Casal de senhores tocando violão

Canções marcantes da Bossa Nova

O período da Bossa Nova foi um momento importante na história do Brasil. Com um banquinho e um violão, grandes artistas criaram músicas que falavam sobre amor, política e resistência. Será que você consegue lembrar de pelo menos 15 canções marcantes da Bossa Nova? Você já parou para analisar a letra de cada uma delas? Existe um mundo novo a ser desvendado pelos seus ouvidos! Confira o conteúdo que preparamos e aprenda mais sobre esse período tão importante da cultura nacional. Compartilhe com seus amigos e com seus familiares que viveram a Bossa Nova ou que sempre quiseram conhecer o que caracteriza esse momento singular da música brasileira.

continue lendo
Compartilhar

Você sabia - Bossa Nova

Pessoa tocando violão

Você sabia que a Bossa Nova foi um movimento da música popular brasileira? Esse movimento surgiu no final dos anos 50 e se caracterizou por uma grande influência do samba carioca e do jazz norte-americano. A expressão era uma gíria que significava "jeito de fazer as coisas". Assim, os artistas fizeram do termo "bossa nova" algo que sugeriria o que estavam compondo e cantando de uma nova maneira!

Soneto de Fidelidade - Vinicius de Moraes, 1939

"Eu possa lhe dizer do amor (que tive):

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure"



A música, que posteriormente se tornou parte de um livro chamado "Poemas, Sonetos e Baladas" ganhou muita fama por falar dos sentimentos de amor e fidelidade em um relacionamento, fazendo sucesso até os dias de hoje, mesmo que, naquela época o romance fosse muito mais apreciado.

Não sai da cabeça: frases marcantes!

Garota de Ipanema - Tom Jobim, 1962

Homem e mulher dançando no meio de árvores

"Olha que coisa mais linda

Mais cheia de graça

É ela, menina

Que vem e que passa"



Esse hino da Bossa Nova conta a história de uma garota que na época tinha 17 anos e trazia toda sua beleza, seu encanto e esbanjava simpatia nas praias de Ipanema, no Rio de Janeiro. A música fala de Helô Pinheiro, mas também foi uma forma de escrever, na época, sobre a serenidade da juventude.

Aquarela -Toquinho, 1983

Homem e mulher se abraçando em frente a uma escadaria

"Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo

E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo

Corro o lápis em torno da mão e me dou uma luva

E se faço chover, com dois riscos tenho um guarda-chuva"



Esse marco na história do Brasil é o hino, não declarado, da infância de todas as pessoas. A música tem sua versão até na língua italiana e ela resgata a criança que todos carregamos, independentemente da idade, classe social ou econômica.

Desafinado, João Gilberto, 1958

Pessoa tocando violão de frente para uma árvore

"Se você disser que eu desafino, amor

Saiba que isto em mim provoca imensa dor

Só privilegiados têm ouvido igual ao seu

Eu possuo apenas o que Deus me deu"



A canção lançada no álbum "Chega de Saudade" é um dos marcos do movimento da Bossa Nova, pois ela é considerada uma resposta à crítica da época, em que a Bossa Nova era vista como um composto de músicas para cantores desafinados.

O Barquinho - Roberto Menescal, 1961

"Dia de luz, festa de sol

E o barquinho a deslizar

No macio azul do mar"



A canção é baseada em fatos reais da vida de Menescal e do seu amigo Ronaldo Boscoli! Ela foi criada quando o barco que os amigos se encontravam ficou a deriva por horas durante um passeio no mar, próximo às cidades de Cabo Frio e Arraial do Cabo. Apenas com o barulho do motor quebrado, compuseram essa música em meio a paisagem.

As melhores frases de Rap nacional!

 

Manhã de carnaval - Luiz Bonfá, 1959

Casal de senhores dançando

"Manhã, tão bonita manhã

Na vida, uma nova canção

Cantando só teus olhos

Teu riso, tuas mãos"



Luiz Bonfá emplacou vários sucessos, mas esta música é a mais popular de sua carreira, foi até gravada na trilha sonora do filme Orfeu Negro. Ela se tornou um legado brasileiro pois é reconhecida internacionalmente, tocada em meios de jazz estadunidense e também, regularmente, por muitos artistas internacionais!

O pato - João Gilberto, 1960

"O pato

Vinha cantando alegremente

Quém! Quém!

Quando um marreco sorridente pediu

Para entrar também no samba"



A alegre canção acabou caracterizando um outro e novo lado da Bossa Nova, um lado mais cômico pois é encontrado na letra que descreve a exótica cena de um quarteto vocal, formado: por um pato, o marreco, o ganso e o cisne ensaiando à beira da lagoa.

Pela luz dos olhos teus - Tom Jobim, 1977

Pessoa fazendo acorde no violão

"Quando a luz dos olhos meus

E a luz dos olhos teus

Resolvem se encontrar

Ai, que bom que isso é, meu Deus

Que frio que me dá

O encontro desse olhar"



A música é considerada um das cantigas de amigo, uma tradição onde os trovadores portugueses assumiam um eu-lírico feminino, em uma época em que elas não podiam escrever e até hoje não se possuem registros que elas faziam isso. Assim, a música conta sobre a força e a paixão que a troca de olhares possui.

Samba da benção - Vinicius de Moraes, 1965

Pessoa tocando violão sentada no chão

"É melhor ser alegre que ser triste

Alegria é a melhor coisa que existe

É assim como a luz no coração"



A música causa polêmica até os dias de hoje, mas é bem vista por muitos. Isso porque Vinicius se intitula o "branco mais preto do Brasil" e fala, o que era um tabu na época, de uma religião que sofreu e sofre muitos preconceitos, a umbanda. Ele traz termos como "saravá, linha de direita, Xangô" e chama atenção pela simplicidade dos arranjos e da melodia.

Rosa de Hiroshima - Vinicius de Moraes, 1973

"Mas oh! Nao se esquecam

Da rosa, da rosa

Da rosa de Hiroshima

A rosa hereditária

A rosa radioativa"



O poema transformado em música, escrito pelo cantor e compositor Vinicius de Moraes, é um protesto sobre as explosões de bombas atômicas ocorridas na cidade de Hiroshima e Nagasaki, no Japão, durante a Segunda Guerra Mundial.

Resposta - Maysa, 1956

Homem sentado no sofá tocando violão e mulher sentada no chão olhando para o homem

"Ninguém pode calar dentro em mim

Esta chama que não vai passar

É mais forte que eu

E não quero dela me afastar"



Maysa compôs essa música como uma espécie de desabafo pelos inúmeros acontecimentos de sua vida e do país na época, tanto que a música acabou destoando das demais músicas de seu álbum, quando lançado. A música faz parte da Bossa Nova com um toque de samba e se tornou um dos maiores sucessos da cantora.

Cálice - Chico Buarque, 1973

"Pai, afasta de mim esse cálice, pai

Afasta de mim esse cálice, pai

Afasta de mim esse cálice

De vinho tinto de sangue"



Apesar da música ter sido composta em 73, a mesma só foi lançada em 1978 pois ela foi censurada pela ditadura militar, que acontecia no Brasil. Na apresentação de estreia, o microfone dos cantores foi desligado e eles foram instruídos a não cantarem mais ... mesmo assim, isso não a impediu de ser um sucesso quando lançada oficialmente.

30 frases tumblr de músicas

Apesar de você - Chico Buarque, 1970

Casal dançando em um restaurante

"Hoje você é quem manda

Falou, tá falado

Não tem discussão, não

A minha gente hoje anda

Falando de lado e olhando pro chão"



A canção, composta e interpretada por Chico Buarque, só foi liberada para tocar na rádio depois de oito anos de sua composição, por causa do período que o Brasil se encontrava, a ditadura militar, durante o governo de Médici.

fechar