Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Edu Lobo

Convidado para a Flip 2014, Edu Lobo é referência em composições de músicas teatrais. O MCA preparou uma página com frases e pensamentos do artista.

Um Pouco Sobre...

Edu Lobo

Filho do compositor Fernando Lobo, nasceu em 29/08/1943. Ganhou seu primeiro prêmio em 1965 com Arrastão (com Vinicius de Moraes) e em 1967 com Ponteio. Compõe trilhas sonoras para peças teatrais. O disco Meia-Noite recebeu prêmio Sharp de melhor disco de música popular brasileira do ano de 1995. O disco Cambaio, com Chico Buarque, levou o Grammy Latino de melhor álbum de MPB em 2002.

Durabilidade

Edu Lobo

Tenho uma tendência a gostar mais das baladas, das canções mais tristes. Porque acho que elas duram mais tempo.

Nervosismo

Edu Lobo

Não ficar nada nervoso não é bom. Uma adrenalina faz bem. Quando entro no palco começa a melhorar. O único jeito de resolver o problema é entrando. A reação do público determina tudo. Perceber que estão acompanhando, pedindo coisas, isso é muito bom.

Caseiro

Edu Lobo

Saio de casa muito raramente. Apenas para jantar, encontrar amigos, sou mais caseiro. Não sou muito de festa.

Gostos Musicais

Edu Lobo

Ouço tudo que chega às minhas mãos, que vou descobrindo nas lojas. Muito jazz, música brasileira, clássico.

Sobre trabalhar com prazos

Edu Lobo

Se não tiver a data para entregar, a gente não entrega. Mas quando dão o prazo, ele nunca é curto. Não existe prazo curto. Quando você se interessa, passa viver o dia inteiro pensando nisso.

Inspiração

Edu Lobo

Vejo essa questão de forma menos mística, menos misteriosa. Aquela coisa de estar dirigindo e, de repente, vir uma melodia na cabeça, isso nunca aconteceu comigo. Minha inspiração é me concentrar, procurar pensar em alguma coisa.

Saudades

Edu Lobo

Tenho saudade do Rio de Janeiro que não existe mais. Eu me lembro das coisas que eu fazia. Tinha a época daquelas formaturas. Eu me lembro que a gente constantemente saía da festa e ia pra praia, às 5h da manhã, deitava e dormia, acordava com o barulho das crianças chegando com as babás. Imagina hoje em dia se alguém pode fazer isso?

Relação com a Internet

Edu Lobo

Não acho que seja uma coisa espetacular ficar baixando música. Isso vai ter que ser resolvido em algum momento. A Internet vai ter que existir, mas vão ter que pagar ao baixar música. Eu baixo porque tem milhões de músicas minhas lá. Mas não parei de comprar disco.

Partitura

Edu Lobo

Deve ser ótimo você escrever direto na partitura, mas isso não faz de você melhor ou pior.

Volta aos Palcos

Edu Lobo

Hoje em dia para mim é muito bom fazer show, eu gosto. Tenho agora um repertório que me interessa mostrar, de todas as épocas, eu me sinto bem, por isso estou fazendo. Quando estou no palco, aproveito. Estou pleno.

Sobre compositores que criaram uma marca musical

Edu Lobo

Você ouve uma música do Gershwin e sabe que é dele. Do Tom a mesma coisa. Tem essas marcas que são muito profundas e muito interessantes mesmo. Acho que foi isso que eu procurei a vida inteira para mim. Pessoas que criam, que inventam. Gente que você olha a música e diz: essa música só pode ser deste compositor. E isso não tem nada a ver com talento comercial.

Sucesso

Edu Lobo

Quando eu comecei vi todo mundo chegando, de vários lugares. Pessoas muito boas eram imediatamente contratadas. Hoje em dia não é mais assim. Você pode ser muito bom e não ter uma gravadora atrás de você. A conversa entre artistas e a gravadora hoje em dia é mais complicada do que, por exemplo, nos anos 60.

Medo da Morte

Edu Lobo

Passei por ela há pouco tempo, com pouca chance de sobreviver. Mudou minha vida, algumas coisas ficaram diferentes. Se eu tivesse alguma crença, que não tenho mais, talvez teria uma relação diferente com as coisas, mas acho que a gente acaba, quando morre. Você deixa um trabalho, é o que fica, porque, de maneira geral, é tudo pó.

Sobre o porquê de estudar no exterior

Edu Lobo

No início da minha carreira, eu tinha vida de cantor. Na época era complicado fazer show porque o equipamento era muito pobre, eu não gostava daquilo, queria ter minha profissão. Eu sou compositor, mas não sei fazer música em hotel, em guardanapo, adoraria saber. Preciso ter meu canto, minhas coisas, é assim que produzo. O que faço é escutar muita música e sempre lendo a partitura. Eu tenho uma super coleção de partituras.

Sobre os rótulos já dados a ele

Edu Lobo

O que eu sempre achei muito chato era o que se chamava de "música de protesto". Eu me lembro do pessoal de teatro que tinha uma letra, tal, mas a música era uma merda. A primeira turnê que eu fiz, pela Alemanha, cheguei lá e me apresentavam como o "Bob Dylan brasileiro". "Bob Dylan brasileiro"? Esses rótulos me incomodavam, não sou compositor de protesto, sou compositor e ponto.

Hábitos

Edu Lobo

O que faço é escutar muita música e sempre lendo a partitura. Eu tenho uma super coleção de partituras. Quando fui para os EUA estudar orquestração, criei esse hábito que pra mim hoje é, primeiro, um divertimento, e segundo, uma forma ótima de você estar sempre em contato com a música.

Coisa Chata

Edu Lobo

O que eu sempre achei muito chato era o que se chamava de "música de protesto". Eu me lembro do pessoal de teatro que tinha uma letra, tal, mas a música era um saco.