Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Neuroses cotidianas que precisamos eliminar

Nossas neuroses cotidianas podem não gerar grandes transtornos na rotina, mas podem atrapalhar a saúde e o convívio social. Que tal rever os seus conceitos?

Reclamações

Reclamar do tempo, do país, do trânsito. Para muita gente, reclamar se torna a forma primária de conversação. Para quê puxar assunto com tópicos interessantes se duas ou mais pessoas podem reclamar do que mutuamente não gostam? Só que essa negatividade só atrai mais problemas e, quando algo de bom acontece, você quase nem percebe. Ok, tirar um tempo para desabafar raivosamente de algo que te incomodou é normal e talvez até necessário para desestressar. Só não pode se tornar um hábito diário.

Dependência de redes sociais

Quanta gente já não jurou ter se desapegado de uma rede, mas quando vê já está viciado em outra? As redes sociais são ferramentas excelentes para conectar amigos, conhecer gente com interesses em comum, divulgar projetos e negócios, exibir fotos de momentos importantes ou simplesmente nos divertir. Porém, em excesso, podem causar ansiedade e estresse, atrapalhar relacionamentos reais e até trazer abstinência quando não é possível se conectar. Com uma boa dose de autocontrole e equilíbrio, é possível usar as redes de forma que elas não afetem sua vida.

Necessidade de estar sempre feliz

Isso pode surgir precisamente por causa do uso excessivo das redes sociais. Nossa imagem é muito mais compartilhada atualmente. E, para isso, escolhemos a imagem que queremos projetar aos outros. Isso é uma atividade normal, afinal, nos comportamos de forma diferente quando junto a família do que no ambiente de trabalho. Nas redes sociais, queremos mostrar nossa vida da melhor forma possível. Isso cria duas neuroses: a primeira é a obrigação de parecermos sempre felizes; a segunda é a frustração que surge ao ver que nossa vida não é tão animada quanto a dos outros. Porém, isso não passa de impressão. É preciso se preocupar mais com a vida que se vive do que com a que se projeta.

Gadgets

Mais uma das nossas dependências de tecnologia. Não basta ter o celular o tempo inteiro no bolso, criando até a síndrome da vibração fantasma, é preciso ter o modelo novo. Ou, então, trocar o antigo tablet pelo mais moderno. Funções que nunca fizeram falta de repente se tornam necessidade absoluta, mesmo que você nunca nem as use tanto assim. E, conforme as novidades chegam, há quem não tenha paz até não consegui-las.

Frustração na carreira

Nas gerações recentes, começamos a ver o trabalho como algo além de uma forma de sustento e decidimos procurar trabalhar com aquilo que amamos. Essa noção é excelente, mas não perfeita. Quando você se desencanta do que costumava fazer ou o projeto que ama não está rendendo nada, acreditamos que falhamos, pois não alcançamos a felicidade profissional almejada. Achar o meio-termo é o segredo para superar essa neurose. É preciso entender que não é só porque você não está no emprego dos seus sonhos que falhou profissionalmente, o importante é se sentir bem e poder ter qualidade de vida com o que você faz.

Mentir para si mesmo

Às vezes não queremos nos abrir para os outros e revelar nossos conflitos e frustrações. Porém, guardar isso dentro de si também é um incômodo, então dizemos para nós mesmos que está tudo bem. Mas é claro que essa sensação superficial de resolução não dura muito, e pode voltar até pior, na forma de irritação e agressividade. Não é que a solução seja se tornar uma reclamação, sempre se lamentando sobre a vida, apenas ser sincero sobre o que lhe incomoda, principalmente consigo mesmo. Esse é o primeiro passo para tentar mudar a sua situação.

A busca impossível pelo sucesso

Geralmente, essa preocupação nasce quando ouvimos as incríveis histórias de superação de outras pessoas. Alguém que se tornou milionário ainda jovem, alguém que venceu obstáculos muito piores do que o seu apenas com força de vontade. Certo, essas são boas fontes de inspiração. O problema acontece quando elas viram cobrança. Quando você começa a pensar: “Se tal pessoa conseguiu, eu preciso conseguir também”, você apenas agrava o problema. Isso leva a frustrações e sentimentos de incapacidade. Não se compare com os outros, você só tem o dever de superar a si mesmo.

Fitness

Se dedicar a um esporte para melhorar a qualidade de vida e abandonar o sedentarismo é excelente. O problema, como sempre, é o exagero: quando a malhação e o novo estilo de alimentação viram o tema de todas as conversas, tudo o que você posta nas redes sociais. Quando você começa a fazer pressão sobre os amigos que não seguiram a onda. Até o que faz bem pode acabar fazendo mal, e a onda fitness também tem seu lado negativo. A moderação é essencial! É importante lembrar que a decisão de fazer um esporte veio porque você se preocupa com você mesmo, não porque tudo na sua vida agora é sobre esporte.

Excesso de cobranças

No trabalho, na família, na educação, entre os amigos. Em tempos onde tudo é imediato, ninguém quer ter que esperar muito por resultados. Isso pode ter facetas tão variadas quanto aquele projeto profissional com prazo apertadíssimo ou quando a sua mãe está te cobrando netos, agora que você já casou. Nós cobramos e somos cobrados, e esse ciclo só faz mal. A pressão de cumprir as mudanças, ou o mal-estar sentido quando não se consegue fazer as coisas, traz ainda mais irritação.

Busca pelo novo

Ultimamente, coisas “autênticas” despertam muita atenção. Cervejas artesanais, comidas gourmet. E isso é legal! Procurar novidades sobre produtos que lhe interessam é uma boa atividade. Porém, é muito comum pessoas que não veem graça numa coisa no momento em que ela se torna moda — se não é novidade, já não tem mais graça. E assim, a vida se torna uma eterna procura pelo que é inovador e nem se tem tempo de aproveitar o prazer que as coisas podem oferecer.

Discussões no Facebook

Essas se exacerbam em tempos de instabilidade política e polarização nacional. Mas, na verdade, a briga pode começar por qualquer assunto. Às vezes com amigos e parentes, às vezes com desconhecidos nos comentários do link de uma notícia qualquer. A vontade de expressar nossa opinião sobre um assunto qualquer é tanta que, quando se vê, já estamos trocando ofensas devido a algo que nem tem tanta importância assim. E, ainda mais, que não vai adiantar nada: não vai resolver o problema nem vai mudar a opinião de ninguém. O único resultado dessas discussões é trazer estresse para todos os envolvidos.

Experiências

Você não está viajando pelo mundo, fazendo curso de mandarim em Shangai ou serviços sociais em Timbuktu. E sente que por causa disso sua vida está passando pela janela. Existe aquele ditado de que se deve gastar dinheiro com experiências não com coisas, mas a verdade não é tão fácil assim. Talvez agora você queira se focar na sua carreira, juntar um pouco de dinheiro ou curtir o conforto da sua casa, mas é tanta insistência em sair para conhecer o mundo que você se sente culpado por estar afim de ficar por aqui mesmo. Mas não há razão nenhuma para isso. Existe o momento certo para tais viagens e quem determina isso é somente você.

Esquecimento

É como se a nossa mente estivesse nos traindo. Não chega a ser uma falta de memória patológica, apenas pequenos detalhes que nos escapam. A culpa disso é a falta de atenção. Tentamos nos focar em tantas coisas ao mesmo tempo que acabamos perdendo várias. É o lado mais danoso de ser multitarefas. Tirar um momento para relaxar e depois nos focarmos numa coisa de cada vez não vai atrapalhar todo o seu dia. Pelo contrário, vai te ajudar a se livrar desses esquecimentos diários. Para aqueles que se desacostumaram a escrever, anotações também ajudam!

Falta de tempo

Não importa o quanto corremos, parece que sempre nos falta tempo. Estamos atrasados, perdemos este ou aquele programa. O dia podia durar mais umas dez horas e ainda não seria o suficiente. Talvez isso aconteça porque estejamos querendo fazer coisas demais. Vai ser simplesmente impossível dizer sim para toda oportunidade que surgir. Somos humanos, afinal de contas. E temos que levar em conta o trânsito, o metrô lotado ou ônibus parado por causa da chuva. Não é melhor se programar para fazer apenas o que é possível e ter menos estresse com atrasos durante o dia?

Pressões sociais

A sociedade espera que todos sejam bem-sucedidos profissionalmente, felizes no amor, bem-resolvidos com sua personalidade, animados, simpáticos, bonitos e estejam sempre em forma. Uma perfeição que é impossível de se alcançar, mas que lança suas pressões sobre todos nós. O resultado é que muita gente gasta tempo e energia tentando alcançar esses padrões. Essas noções estão tão enraizadas em nosso dia a dia que é preciso esforço para lembrarmos que nossas particularidades e imperfeições são parte de nossa personalidade e nos fazem únicos.