Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Sucellus

Conhecido como o deus da agricultura, das florestas e da bebida alcóolica na mitologia celta, Sucellus é um dos grandes poderosos personagens mitológicos dessa crença. Quer se aprofundar na história desse deus? Aqui você poderá encontrar tudo que precisa saber para decifrá-lo!

continue lendo
Compartilhar

Sucellus

Sucellus é o deus da agricultura, das florestas e da bebida alcoólica na mitologia celta/gaulesa e também na mitologia lusitana. É casado com Nantosueta, também deusa da fertilidade. Seu nome significa “aquele que bate forte”. Esse deus seria um epíteto de Dis Pater, ascendente do povo gaulês, segundo o imperador Júlio César. Como a fome era algo constante à população celta, devido ao rigoroso inverno da região, é de imaginar a adoração ao deus que os concede a colheita.

Leia mais: Mitologia Celta — Conheça a mitologia que surgiu da religião politeísta!

Iconografia

Sucellus é geralmente apresentado como um senhor de meia-idade, de porte atlético, com longa barba, vestindo uma túnica ou uma pele de lobo. Também podia ser representado com uma coroa de folhas na cabeça e, ao seu lado, sempre estava um cão de caça. Às vezes, aparecia com vestes estampadas de círculos e cruzes, simbolizando uma conexão com o céu.

Martelo

O deus também era constantemente representado usando um martelo de cabo longo, sendo muitas vezes usado como seu símbolo. Ele usava tal instrumento para bater e ferir a terra, acordando as plantas a fim de anunciar o início da primavera. Algumas interpretações também sugerem que este martelo era, na verdade, uma arma, tornando-o, portanto, um grande guerreiro ou um caçador. De qualquer forma, o martelo não deixa de ser importante como forma de representá-lo.

Taça de bebida e cerveja

Muitas vezes, a figura de Sucellus o mostrava com uma vara cuja ponta continha um pote de cerveja em uma de suas mãos e, na outra, segurava uma taça contendo alguma bebida alcoólica. Esta representação simbolizava o produto das colheitas, que foram feitas graças às suas bênçãos.

Nantosuetta, sua esposa

Nantosuetta, ou Nantosuelta (“rio serpente”), era, assim como o marido, uma deusa ligada à fertilidade. Além disso, era uma deusa do lar e da vida doméstica, além de seu sulco ser curativo e revigorante. Era usualmente representada com longos cachos, carregando uma cornucópia (símbolo de abundância) e sendo rodeada por corvos. Como cuidava das raízes das plantas, muitas vezes vagava pelo Reino Subterrâneo, o que faz com que seja comparada à deusa grega Perséfone. Ela também é associada à deusa Morrigan entre os celtas britânicos.

Relação dúbia

Sucellus era conhecido por embebedar belas jovens e violentá-las, porém, também era responsável pelas plantações e boas colheitas. Portanto, havia uma relação dúbia quanto ao culto a este deus, pois os homens necessitavam manter Sucellus por perto, a fim de colher os frutos da primavera, entretanto, também precisavam proteger suas esposas e, sobretudo, suas filhas para que não fossem as próximas vítimas do deus.

 

Deus Silvano

Muitos confundem Sucellus com o deus da Roma Antiga Silvano, por apresentarem iconografias muito semelhantes. Silvano, também chamado de Fauno, é o deus das florestas para os romanos e também é associado ao deus grego Pã.

fechar