Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Cartas de Despedida

O seu amor chegou ao fim? Coloque um ponto final nesse relacionamento e em toda a sua dor com uma carta de despedida. É hora de virar a página e deixar para trás aquilo que machuca. Diga adeus ao sofrimento.

O que é o amor?

Karoline Alves

Tanto tempo te esperando, tanto tempo imaginando que um dia você se apaixonaria por mim. Eu mal acreditava nisso, mas era o que continuava me levando de volta à você todas as vezes que chamavas por mim. Contou os meses? Muito tempo jogado fora. Por ti vivi os clichês de amor mais ridículos que podem existir. Chorar até não saírem mais lágrimas, levar o celular para todos os cantos, ficar acordada até tarde esperando por você, cortar contato por dias para saber se sentirias minha falta, sentir ciúmes mesmo sabendo que nunca serias meu, abrir mão da minha felicidade pra te ver sorrir, encarar o caos pra ter algumas horas da sua atenção, magoar pessoas certas por conta de uma errada, te encontrar em toda e qualquer música, acordar pensando em você e dormir rezando para que meu amor fosse recíproco. Fiz muito por você, mas tive nada em troca. Me amei menos pra poder te amar mais, deixei de dar atenção a quem só queria meu bem para poder ter você por perto.

Depois de tanto tempo servindo de base para curar seu tédio você descobriu que não sou quem você quer estar. Você a ama. Ignorarei frases feitas e não farei uso de hipocrisia dizendo que estou feliz se você está feliz. Ontem você disse que não ficaria um mês sem mim, e hoje, pede para que eu o deixe em paz. Você pediu e eu aceitei, agora eu peço uma última coisa. Me ensine algo para que eu possa seguir em frente. Me ensine a te esquecer. Como poderei enfrentar tardes inteiras e noites adentro sem pensar em você?

Me vou...

Michael Letto

Se quer me deixar, saibas que estou pronto. Porque agora, nessa tarde modorrenta, estou deixando você também. Acho que tu nunca tiveste mesmo medo de me perder. E se você não tem medo de perder é porque, no fundo não tem importância alguma. Pode ir. Estou indo. Porque tentar segurar com força alguém que dá indícios de que está indo embora, é a forma mais humilhante de fazer com que alarguemos os próprios passos para longe. Essa sua constante indecisão, se vai ou se fica, é sinônimo claro de não-amor. Então pode ir. Por isso eu fui.

Onde havia amor? Não posso acolher tua espera, desesperas, incertezas - além de negar o que sente no presente, acha que ainda poderá deixar o depois sempre pra mais tarde. Tentar entender teus argumentos para me ter são complexos demais para quem quer da vida paixão, ainda que fugaz. O tempo nos traiu e o que antes era amor, hoje nos resta um punhado de frio, a certeza de um tempo esgotado. Eu sentia tanta a sua falta, mas nunca parecia que você sentia a minha. E eu acho que por isso eu parei de sentir a sua também. Acho que foi por isso que eu não estou entregue faz tempo, faz tempo que eu me desapaixonei por você.

Deixo, essa carta, um bilhete e um abismo no lugar do meu afeto: “Não fui comprar cigarros, você sabe, parei de fumar há tempos. E eu jamais abandonaria alguém contando uma mentira dessas.” Se um dia o seu amor souber ser recíproco, e a sua vontade for de ser dois, me avise que talvez eu volte, e a gente recomeça de onde parou, paramos aqui. Por enquanto, adeus meu amor.

Ponto final

Tatiane Argenta

De todas as coisas que poderíamos ter sido, acabamos sendo nada. Paramos no meio do caminho como se a gasolina tivesse acabado e ficamos ali, sem saber o que fazer. Quem sabe o tempo passe e deixaremos de ser só metade de uma poesia. Talvez terminaríamos igual muitos amores por ai acabam. Ou realizaríamos nossos planos engavetados. Eu só não quero nosso amor inacabado, por favor. Preciso de um abraço daqueles de deixar seu cheiro doce em mim, uma carta de despedida com seu “eu te amo” rabiscado de um jeito tremulo. Um beijo apaixonado. Qualquer coisa que simbolize um ponto final onde ficou a virgula que tanto me atormenta.

É covardia da minha parte te cobrar algo tão desesperado, quando eu mesma deveria por esse ponto. Deveria colocar a gasolina no meu próprio carro e seguir viagem. Só me diz, me tira essa dúvida cruel, onde é que eu compro a coragem para dirigir por ai sem você do meu lado? Como faço para não olhar pelo retrovisor enquanto vou e nossa história fica? Onde guardo toda aquela bagagem de lembranças e risadas que transborda do meu porta malas? Deixaria tudo aqui, se não fosse egoismo demais deixar todo esse fardo pra você suportar sozinho. Pois sei, isso tudo pesa pra você também. Vive dizendo que não quer ponto final, mas essa nossa vírgula te arranha no meio da madrugada. Fingimos que não sentimos nada, que não dói. E nos cegamos para o fato de que enquanto não arrumarmos folego para seguir o resto da estrada sozinhos, continuaremos sem sair do lugar.