Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Titãs

Confira frases dos Titãs que passaram pela banda e dos que a mantém viva após 30 anos de letras e muito rock.

continue lendo
Compartilhar

Uma mistura chamada Brasil

Marcelo Fromer

Esse público novo está em contato com mais músicas, eu acho que as pessoas mais jovens estão sacando que não precisa ter preconceito com música. Você pode gostar de vários estilos. Eu acho que a gente, também, representa um pouco desse poder de navegar por vários universos da música, por vários estilos, poder tocar reggae, rock, MPB. Eu acho que essa juventude está aprendendo que o Brasil é uma grande mistura de tudo.

Depois dos 30

Paulo Miklos

Estamos numa fase muito legal, a banda tá renovada e em momento muito feliz, com uma formação nova comigo na guitarra e o Branco e o Britto ficam revezando no baixo, também entrou o Mário Fábio que é o baterista e amarrou super bem a história toda, tá ajudando a gente a tocar melhor finalmente. Depois de 30 anos a gente aprendeu alguma coisa.

Banda tosca de rock

Paulo Miklos

O público tá vendo uma banda íntegra no palco, as pessoas vão ao show e se deparam com a banda mesmo, não tem músicos convidados, tem só a gente, uma banda tosca de rock como a gente sempre foi, se revezando nos instrumentos, e não tem firula, e tudo do jeito que a gente sabe fazer. Pra gente foi uma coisa revigorante também. Tô apaixonado, fazendo um puta estrondo com o meu amplificador.

 

Composições

Sérgio Britto

Canção é o casamento exato entre melodia e letra. Não é preciso ser poeta para fazer uma boa canção e nem tampouco ser músico, no sentido tradicional. Adoniran Barbosa não era nem uma coisa nem outra e fez grandes canções. Por outro lado, um poeta pode não conseguir fazer uma canção que preste. Independente disso, gosto de poesia e procuro fazer com que esse universo também faça parte das canções que componho.

Criação

Sérgio Britto

Para mim, a prioridade é sempre a criação, não importa a forma que ela tome. Fazer coisas individualmente pode fortalecer a nossa vontade de trabalhar juntos.

Altos e Baixos

Tony Bellotto

O momento mais incrível de todo esse tempo foi quando abrimos o show dos Stones em Copacabana, em 2006. O momento mais terrível foi, certamente, a morte do Marcelo Fromer.

Autodidata

Marcelo Fromer, 1998

A gente não sabe ler música, a gente é autodidata. Aprendemos juntos a tocar violão e guitarra, na raça. A banda foi formada um pouco assim. Até por isso nossas bases são muito simples.

Mudanças

Tony Bellotto

Era diferente quando a gente começou, o tempo mudou, todos nós já somos diferentes, mas o espírito continua o mesmo. O amor que sentimos pelo nosso serviço continua o mesmo.

Rock diferente

Tony Bellotto

Hoje você pode colocar sua música para o público pelo computador, antes não dava se você não caísse nas graças do cara da gravadora. Se você procura um pouco, você vê que há uma variedade grande. Não se faz um rock pior, se faz um rock diferente.

Crítica

Sérgio Britto

Muitas vezes, lamentavelmente, a crítica especializada costuma ser inclemente com artistas nacionais e muito condescendente com qualquer novidade que venha de fora. Para mim parece muito fácil, muito cômodo, trabalhar seguindo essa cartilha.

Família

sobre a morte de Rachel, esposa do Paulo Miklos

Foi difícil acordar hoje sem a presença da nossa querida Rachel e aceitar que não mais poderemos encontrá-la. Mas ela, com seu jeito meigo e discreto, sobreviverá de uma maneira muito carinhosa e especial em nossas lembranças. O Paulo e a Manoela já sabem há muito tempo que os Titãs, mais que uma banda, são uma família com quem eles podem contar sempre.

Reconhecimento singelo

Nando Reis, 1998 - Folha

Eu acho que a gente tem de fazer uma diferenciação entre aquela crítica que fala sobre música e uma outra, que é agressiva, ataca. Em geral, no Brasil tudo o que faz sucesso é discriminado. Então a gente não se interessa, não se importa muito com essas opiniões, não é verdade? A gente prefere mais esse tipo de reconhecimento. Uma platéia tão diminuta como essa, de 120 pessoas, é mais significativa que 1,7 milhão de cópias. É por isso que a gente toca.

fechar