Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Como ter mais empatia

Sempre exercite a sua empatia. Pratique-a sempre que possível, como um exercício diário. Só assim você viverá melhor ao lado das pessoas. Nunca deixe de oferecer apoio a quem precisa.

Conheça-se mais!

É difícil entendermos as emoções do outro quando não conhecemos as nossas próprias. Por isso, é importante saber estar em contato com suas emoções, saber entendê-las e se permitir senti-las. Não evite a tristeza ou a felicidade. Apenas deixe que as emoções fluam naturalmente e se livre do peso que elas têm quando ficam represadas.

Preste mais atenção

Preste mais atenção nas pessoas ao seu redor e ouça o que elas têm a dizer. Quando alguém precisar de um ombro amigo, ofereça o seu e ouça sem fazer julgamentos, sem criticar o que a pessoa diz. Mesmo que isso seja difícil, faça um esforço para permanecer neutro. Às vezes, as pessoas só precisam desabafar. Um ombro amigo e um abraço é o melhor que você pode oferecer.

Se coloque no lugar do outro

Às vezes é difícil entendermos a dor dos outros, mas devemos aprender a colocar em nossas cabeças que nenhuma dor é mais forte do que a outra. Toda dor é dor, então devemos respeitar os sentimentos dos outros. Para nós, pode não fazer sentido, mas, para o outro, pode fazer muita diferença. Por isso, é importante se colocar no lugar do outro, tentar entender suas emoções, o que ele passa... Essa é a melhor forma de desenvolver empatia.

A união faz a força

Ter empatia é, além de sensibilizar pelos outros, lutar por eles. Ajudá-los de coração. Sempre que deparar com alguém precisando de ajuda, coloque-se no meio, preste solidariedade. Ações dizem muito mais do que palavras e fazem toda a diferença para o outro!

E quando não gosto da pessoa?

É complicado não julgarmos ou fazermos vista grossa quando não gostamos de certo alguém, quando aquela pessoa não nos agrada. A empatia não deve ser seletiva. Ela precisa funcionar para todos, sem exceções! Faça um esforço para entender aquela pessoa e coloque a empatia acima de suas diferenças.

Se doe

Muitas vezes, as situações passam despercebidas por nós. Quantas vezes você viu alguém chorando no transporte público e não fez nada, por mais que tivesse vontade? Isso é empatia e você precisa lutar contra seus medos para transparecê-la. Não deixe de oferecer apoio a quem precisa!

Coração aberto

O mais importante é estar sempre de coração aberto para sentir e ajudar os outros. A empatia não é algo que pode ser colocado dentro de você do nada. Você precisa aprendê-la, precisa sentir vontade de tê-la. Como falamos, exercite sua empatia todos os dias para vê-la melhorar.

Mente aberta

É preciso entender melhor a dor do outro. Às vezes, é complicado quando a situação não faz parte da nossa realidade e não é comum a nós. Abra a cabeça e procure entender mais sobre isso; procure aprender mais sobre as coisas que não entende. De mente aberta, fica mais fácil se colocar na pele do outro e entender plenamente suas dores, mesmo que tão distantes do nosso cotidiano.

Saia da zona de conforto

Muitas vezes, não entendemos outras realidades porque não saímos de nossa zona de conforto, convivemos sempre com as mesmas pessoas e vamos aos mesmos lugares. De vez em quando, é bom ir a outros lugares e conhecer pessoas novas, novas histórias de vida, outras realidades. Isso ajuda a aumentar nosso sentimento de empatia.

Sinta as emoções

Às vezes, suas suas próprias emoções já são o bastante para que você se sinta mal, mas quando você começa a se sentir mal pelos outros, a tomar a dor deles, significa que está conseguindo ter empatia por quem está ao seu redor. Não é bom absorver energias ruins, mas permita-se, sim, sentir as emoções dos outros.

Demonstre

Mais importante do que se preocupar com as pessoas é mostrar a elas que você realmente se importa. Não adianta nada sentir empatia apenas para você, sozinho, em casa. Deixe que as pessoas saibam que tem com quem contar, que existe alguém que se importa com elas, que quer ajudá-las.

Pense no coletivo

Sabe aquela velha mania que temos de entrar em algum lugar, desejar bom-dia, responder que está tudo bem e ignorar o que acontece ao redor? Isso precisa acabar. Precisamos começar a ter mais pensamentos coletivos. Em vez de ignorar as pessoas, por que não perguntar de verdade como elas estão e responder com sinceridade se o seu dia vai bem? Pequenas atitudes podem fazer toda a diferença.

Exercite

Exercite sua empatia. Sim, é possível! Sempre que ouvir alguma história por aí, procure sentir empatia, não julge... É um exercício diário contra o que já estamos acostumados. E isso também vale para a ficção. Quantas vezes dizemos que certa personagem era tal e coisa, por motivos bem bobos? Isso também é uma questão de empatia!

É diferente

Sentir empatia é totalmente diferente de sentir pena e dó das pessoas. Não consegue entender a diferença? Pense nas situações: ao ouvir alguém chorar, você sente algo estranho, uma tristeza repentina, vontade de chorar também? Isso é empatia: sentir as mesmas emoções que o outro e não se colocar em um lugar superior, em que você vê outro com pena.

Pingos nos “i’s”

Mesmo com todas as diferenças, é preciso sentir empatia pelo outro, mas isso não significa que deve-se concordar com tudo o que ele faz ou diz. É possível separar as coisas. O outro pode ter um posicionamento completamente oposto ao seu e é possível que vocês não concordam em nada, mas as portas devem permanecer sempre abertas para que você o ajude ou para que ele o ajude.