Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Benicio Del Toro

O ator Benicio Del Toro se destaca no cinema há vários anos, sempre com papéis marcantes. Conheça mais desse grande astro de Hollywood através de uma porção de frases.

19/02/1947
continue lendo
Compartilhar

Como é ter portas para outros atores latinos

Benicio Del Toro

O que isso significa? Bom, para mim isso significa o mundo. Quando eu cheguei em Hollywood havia uns três nomes de atores latinos, três ou quatro nomes, talvez cinco. Tinha o Raul Julia, Edward James Olmos, Andy Garcia, Antonio Banderas e Jimmy Smits. Agora têm muitos. Eu acho que agora há mais cineastas, mais roteiristas, mais diretores, vários deles vindos do México ou Espanha. Eles conseguiram fazer filmes em Hollywood que funcionam, então eu não diria que sou apenas eu. Eu acho que existe toda uma geração de latinos mas acho que já mudou bastante desde que eu comecei. Eu acho que Hollywood - não apenas a Universal, mas Hollywood - se tornou mais parecida com o mundo. Acho que agora, mais do que nunca, temos mais pessoas vindas de diferentes partes do mundo. E não só os latinos. Há alguns anos uma atriz francesa ganhou o Oscar de melhor atriz. Isso é bom. Traz a indústria de volta para era do cinema mudo, por exemplo, onde havia muitos diretores de várias partes do mundo, e atores do mundo todo, fazendo só filmes de Hollywood.

Primeiras coisas

Benicio Del Toro

As primeiras coisas que eu fiz, mesmo no teatro, eram bandidos. Eles são papéis de carne para a maior parte. Com o mau indivíduo você tem mais liberdade para experimentar e ir mais longe do que com um bom rapaz.

 

Ter uma visão

Benicio Del Toro

Eu acho que ter uma visão pode fazer alguém um homem influente. Eu não estou falando de agir ou qualquer coisa assim, eu estou falando sobre as pessoas que eu admiro, se é um escritor ou um músico ou uma figura de esportes ou um político, qualquer um que seja.

Computação gráfica

Benicio Del Toro

Bom, eu acho que a computação gráfica pode aprimorar um filme... Quando à tela verde, é bem parecido com atuar no palco. Você precisa fingir que existe uma janela, fingir que ali está alguma coisa que na verdade não está ali e convencer a plateia. Faz parte da atuação. Então eu não tenho problema com a tela verde.

Planos para fazer o filme ''Che''

Benicio Del Toro

Anos depois [de ler o livro com as cartas], me encontrei com Laura. Ela havia comprado os direitos de uma biografia [Che Guevara - Uma Biografia, de Jon Lee Anderson]. Tentamos fazer um filme, lutamos por muito tempo, mas perdemos tudo. Aí nos encontramos em Traffic e Soderbergh nos animou. E desde então se passaram sete anos.

Mudanças na vida e na carreira ao ganhar o Oscar

Benicio Del Toro

Eu não me lembro muito desse dia, mas acho que mudou bastante. Não sei se eu estaria aqui sem aquele Oscar, para ser sincero. Tem alguma coisa no Oscar que dá confiança e você sente que pode cometer a ousadia de entrar num estúdio e dizer "E aí galera, que tal essa ideia de eu interpretar o lobisomem?". Eu acho que o Oscar de dá um tipo de coragem, ou algo assim, te dá a ilusão de que você consegue fazer tudo. É bom para os negócios.

Não planejei

Benicio Del Toro

É engraçado, mas quando vim para a Califórnia para começar a faculdade eu estava mais interessado em me tornar um surfista e um cruzeiro ao longo da vida de uma praia a outra. Não planejei nenhuma grande carreira para mim.

Objetivo como ator

Benicio Del Toro

Meu objetivo como ator sempre foi o de chegar a um nível onde você pode encontrar um monte de trabalho interessante, e eu acho que estou nesse ponto agora. O Oscar me deu um monte de reconhecimento.

Sobre assumir o papel de produtor em O Lobisomem

Benicio Del Toro

Nós fomos ao estúdio e lançamos a ideia de fazer um remake do filme original do Lobisomem, com a intenção de prestar homenagem àqueles filmes clássicos de terror da Universal, como Frankenstein. Quando digo prestar homenagem, quero dizer se manter fiel à história e ter a maquiagem como componente significativo, ter o ator maquiado como parte do filme - e eles gostaram dessa ideia. Eu acho que Andrew Kevin Walker entrou para o projeto, e aí Rick Baker entrou e começamos a andar. Eu sou um grande fã de todos esses filmes de terror. Desde que eu me lembro, estes foram os primeiros filmes - os filmes dos Monstros da Universal - em que eu sabia o título do filme e também o nome dos atores. Eu acho que eu já sabia isso antes do Chitty Chitty Bang Bang ou do Dr. Dolittle. Esses são os filmes que eu cresci assistindo. E isso quando eu tinha quatro, cinco, seis, sete anos.

fechar