Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Saudade na Literatura

Veja a descrição do que é saudade através das mais belas palavras escritas pelos mais diversos poetas. Enxergue o lado poético deste sentimento.

Desejo

Um desejo do estar perto
de quem está longe de nós!
Um ai! que não sei ao certo
se é suspiro ou uma voz.

Espinho

Saudade, palavra doce,
que traduz tanto amargor.
Saudade é como se fosse
espinho cheirando a flor.

Soluço

Um sorriso de tristeza,
um soluço de alegria,
o suplício da incerteza
que uma esperança alivia.

Coração

Nessas três sílabas há de
caber toda uma canção:
bendita a dor da saudade
que faz bem ao coração.

Amor

Um longo olhar que se lança
numa carta ou numa flor;
saudade - irmã da Esperança;
saudade - filha do Amor.

Saudade

Uma palavra tão breve,
mas tão longa de sentir!
E há tanta gente que a escreve
sem a saber traduzir.

Ausência

Luiz da Costa Pinheiro

Ausente de ti querida
Que alegria posso ter
Quanto mais tempo se passa
Suspiro por não ti ver
Tanto tem a tua ausência
Como tem meu padecer

Basta dizer-te que vivo
Nesta cruel solidão
Me lembrando do momento
De nossa separação
Sentindo uma atroz saudade
Dentro do meu coração

Constante sempre serei
Nesta vida até a morte
Pedindo a Deus paciência
Para cumprir esta sorte
Fora de ti mais ninguém
Eu não quero por consorte.

Solidão

Pablo Neruda

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já...
Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...
Saudade é sentir que existe o que não existe mais...
Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...
Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.
E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido.

Grande Coisa

Luiz da Costa Pinheiro

Grande coisa é amar
Quando é grande o bem querer
O amor é como o tempo
Não há quem faça-o morrer
Do amor parte a saudade
Para aumentar o sofrer.

Horroroso é se amar
Nem o outro querer bem
O amor é um mistério
Que de muito longe vem
É ele absoluto
Não presta conta a ninguém

Irei sempre te amando
Com mais pura lealdade
Não posso viver ausente
De ti, pois tenho saudade
Serei firme ao teu amor
Até na eternidade.

Gosto Amargo

Gosto amargo de infelizes,
foi como a chamou Garret;
coração, calado, dizes
num suspiro o que ela é.

A palavra é bem pequena
mas diz tanto, de uma vez!
Por ela valeu a pena
inventar-se o português.

Meu Peito

Luiz da Costa Pinheiro

Dentro do meu peito tem
Um cravo com um botão
Murchando por não tiver
Prenda do meu coração
Tua ausência me perturba
Meu peito sente aflição

Eu triste sempre serei
Sem a tua companhia
Sem tu querida não posso
Viver contente um só dia
Em vivermos separados
Meu peito sente agonia

Falando sempre a verdade
Porque não posso negar
Amo-te sempre deveras
Não deixo de te amar
Quando Deus mandar a morte
Deixarei de te amar.

Tardes Fagueiras

Casimiro de Abreu

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!

Falta

Luiz da Costa Pinheiro

Xexeuzinho de coqueiro
Que vive sempre cantando
Vai dar notícia ao meu bem
Que aqui estou penando
A falta de seus carinhos
Vivo sempre suspirando

Ypiranga hino sagrado
Do nosso belo Brasil
Muitas vezes tu cantavas
Com o teu gesto gentil
A voz subia ao espaço
Do horizonte cor de anil

Zombar não zombo de ti
Porque te tenho paixão
Nas letras deste A B C
Te dei minha explicação
Te ofereço meu amor
Guardas no teu coração

Plena Alegria

Luiz da Costa Pinheiro

Orando sempre a Jesus
Toda noite e todo dia
Para que tu venhas logo
Me dar repleta alegria
Não tenho amor ao viver
Sem a tua companhia

Pensativo sempre ando
Sem tuas faces querida
Pedindo a Deus que não seja
Minha esperança perdida
Minha ausência me tortura
Não tenho gosto na vida

Coisa Linda

Vinicius de Moraes

Mas se ela voltar
Se ela voltar que coisa linda
Que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos
Que eu darei na sua boca.

Cadê Você?

Vinicius de Moraes

E por falar em saudade
Onde anda você
Onde andam os seus olhos
Que a gente não vê
Onde anda esse corpo
Que me deixou morto
De tanto prazer?

Viver Sem Mim

Vinicius de Moraes

Dentro dos meus braços, os abraços
Hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim

Que é pra acabar com esse negócio
De você viver sem mim
Não quero mais esse negócio
De você longe de mim
Vamos deixar esse negócio
De você viver sem mim