Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Brasil nas Olimpíadas

Um resumo de toda a história do Brasil nos Jogos Olímpicos. É o MCA entrando no clima das Olimpíadas, que começam em breve. E o melhor de tudo: será aqui, na nossa terra. Venha saber mais sobre os brasileiros nesta competição.

Início

O Brasil começou a competir oficialmente nos Jogos Olímpicos em 1920, em Antuérpia, na Bélgica. A partir daí participou de todas as edições, com exceção dos jogos de 1928 na Holanda. Já nas Olimpíadas de Inverno o Brasil estreou apenas em 1992, na França.

Desempenho

em Londres o Brasil teve em relação a Pequim-08 e Atenas-04 desempenhos melhores em 14 esportes, mas foi pior em 10 modalidades (em outras 6 a performance foi semelhante).

O Futebol nas Olimpíadas

O Brasil é pentacampeã mundial e por muitas vezes foi considerado o favorito ao primeiro lugar do pódio. Porém nunca conseguiu alcançar a posição. Em 1984 e nos jogos seguintes (em 1988), ficou em segundo lugar, conquistando a medalha de prata. Em 1996, uma medalha de bronze foi conquistada . Foram muitos os destaques nos jogos da seleção nas Olimpíadas como Taffarel, Bebeto, Romário, Ronaldo fenômeno, Rivaldo, Roberto Carlos entre muitos outros.

Principiantes

Na sua primeira participação no Jogos em 1920, a delegação brasileira era formada por 22 atletas e todos eles homens. Conquistaram 3 medalhas no tiro desportivo, uma de ouro, uma de prata e uma de bronze. Os atletas pertenciam à Confederação Brasileira de Desportos.

Última Olimpíada

O Brasil conquistou em Londres 17 medalhas (3 de ouro, 5 de prata e 9 de bronze), superando o seu recorde de pódios (15, conseguidos em Pequim-08 e Atlanta-96). Apesar de ganhar mais medalhas, o país não teve uma evolução significativa no desempenho das modalidades.

Honraria

O atleta brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima foi um dos raros atletas mundiais a receber o maior prêmio dado pelo Comitê Olímpico Internacional: A medalha Pierre de Coubertin. Essa medalha é concedida a atletas e pessoas que demonstram alto grau de esportividade e espírito olímpico durante os Jogos. O nome dado à medalha corresponde ao criador dos Jogos Olímpicos modernos, o Barão Pierre de Coubertin e só foi dada 9 vezes na história dos Jogos.
Vanderlei Cordeiro recebeu a medalha devido ao ocorrido nas Olimpíadas de Atenas em 2004, onde durante uma prova de atletismo que ocupava o primeiro lugar, foi impedido de concluir a prova sendo empurrado para fora da pista por um espectador que invadiu o local. Mesmo com o imprevisto, o atleta conseguiu chegar em 3° lugar, conquistando a medalha de bronze.

Participações

Foram 30 participações do Brasil na história dos Jogos Olímpicos, sendo 22 na edição de verão, 6 na edição de inverno, 1 nos Jogos Olímpicos da Juventude de Verão e 1 nos Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno.

Mulher

Em 1932, o Brasil enviou a primeira atleta mulher de sua história, Maria Emma Hulga Lenk Zigler, mais conhecida como Maria Lenk. Foi a principal nadadora brasileira e a única a ser introduzida no Swimming Hall of Fame, na Flórida. Foi a primeira nadadora brasileira a estabelecer um recorde mundial e concedeu ao Flamengo (clube que representava) diversos títulos importantes.

CBD

A Confederação Brasileira de Desportos era uma organização responsável por todo o esporte no país e em competições oficiais extinta em 1979. Hoje, cada modalidade tem a sua confederação que, no caso das Olimpíadas, é o Comitê Olímpico Brasileiro.

Crise

Em 1924, a Confederação Brasileira de Desportos passou por uma crise financeira recorrendo à Federação Paulista de Atletismo. Com isso, conseguiu enviar sua delegação. Em 1928, por conta da quebra da bolsa, não foi possível enviar atletas aos Jogos.

Número de Medalhas

O Brasil conquistou em toda a história dos Jogos Olímpicos 108 medalhas sendo todas na edição de Verão. Dentre elas estão 23 de ouro, 30 de prata e 55 de bronze, tornando o melhor país da América do Sul nas Olimpíadas e o 4° maior ganhador das Américas, atrás apenas dos EUA, Canadá e Cuba. Antes, esta posição era ocupada pela arquirrival Argentina, sendo ultrapassada pelo Brasil nas Olimpíadas de Atenas em 2004.

Oscar Schmidt

Um dos maiores atletas brasileiros de todos os tempos. Nunca levou uma medalha de ouro para a casa, mas participou de cinco Olimpíadas: Moscou, Los Angeles, Seul, Barcelona e Atlanta. Embora nunca tenha subido no lugar mais alto do pódio, é o atleta com o maior número de pontos no basquete olímpico: 1093.

Olimpíadas de Inverno

O Brasil participou de sua primeira Olimpíada de Inverno em 1992 levando 6 homens e 1 mulher, todos competindo na modalidade esqui alpino. Em 2006 o Brasil alcançou o seu melhor resultados na competição com a atleta Isabel Clark no snowboard. Ela ficou em nono lugar na competição em Turim.

COB

O Comitê Olímpico Brasileiro é, na hierarquia das organizações esportivas, a maior entidade do Brasil. Fundada em 8 de junho de 1914, só foi realmente entrar em funcionamento apenas em 1935, por conta da I Guerra Mundial. O COB tem por objetivo representar o Olimpismo em território brasileiro. Atualmente tem como presidente Carlos Arthur Nuzman. A sede da COB fica na Barra da Tijuca no Rio de Janeiro.

Prêmio

O Prêmio Brasil Olímpico é um evento de premiação do COB (Comitê Olímpico Brasileiro). Tem por finalidade homenagear os melhores atletas do Brasil na modalidade olímpica e paraolímpica. Premia também os melhores técnicos brasileiros nestas mesmas modalidades.

Sem Medalhas

O Brasil, após a primeira medalha de ouro em 1920, só voltou a ganhar medalhas em 1948 com uma medalha de bronze para o basquete masculino. Em 1952, voltou a ganhar um ouro com o atleta Adhemar Ferreira da Silva no atletismo. Após este fato, o país vem conquistando medalhas em todas as edições dos Jogos.

Duas Delegações

Nas Olimpíadas de 1936, a Confederação Brasileira de Desportos e o Comitê Olímpico Brasileiro enviaram, cada uma, uma delegação. Antes que o COI (Comitê Olímpico Internacional) proibisse a participação do Brasil nos Jogos, as delegações se fundiram e desde então, o COB organiza e leva os atletas aos Jogos.

Atleta Verde e Amarelo

Pesquisadores atuais descobriram, porém, que o primeiro brasileiro a competir nos Jogos Olímpicos o fez em Paris 1900. Trata-se de Adolphe Christiano Klingelhoeffer, cidadão brasileiro nascido em Paris, filho de um francês com uma brasileira. Ele competiu nos 60 m rasos, 200 m rasos e 110 metros com barreiras. Klingelhoeffer não é reconhecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro porque em 1900 ainda não existiam comitês olímpicos nacionais.

Maria Lenk

Maria foi a primeira mulher brasileira a participar de uma Olimpíada. Mais do que isso: foi a primeira atleta sul-americana na competição. Na ocasião, tinha apenas 17 anos e participou dos Jogos realizados em Los Angeles. Chegou às semi-finais da natação, na modalidade 200m peito. Nos jogos de 1936. Se destacou pelo seu estilo na hora de nadar: as pernas se movimentavam como no nado peito e mãos e braços se mexiam para fora d’água. Era o início do nado borboleta. Em 1939, Maria bateu recordes nos 200m e 400m nado peito e era uma das favoritas para as Olimpíadas do ano seguinte, adiada devido à Segunda Guerra Mundial.

Joaquim Cruz

O único atleta brasileiro a vencer uma prova de pista em uma Olimpíada. Desembarcou em Los Angeles como uma das grandes promessas para a competição. Foi melhorando o tempo a cada corrida e, na última competição do 800m, bateu o recorde mundial, chegando 3 metros à frente do britânico Sebastian Coe. Em Seul, liderava a prova até os metros finais, quando foi ultrapassado pelo queniano Paul Ereng e ficou com a medalha de prata.

Guilherme Paraense

Foi o primeiro atleta brasileiro a conquistar uma medalha de ouro olímpica, em 1920. Na ocasião, Paraense, do tiro, competia com um revólver emprestado da delegação americana, porque um vendaval enchera sua arma de areia e a estragou.

João do Pulo

João Carlos de Oliveira foi um dos melhores atletas do salto brasileiro mesmo sem ter ganhado um ouro olímpico. oi um atleta que impulsionou a modalidade e serviu de exemplo para outros competidores brasileiros da modalidade. Era o favorito nas Olimpíadas de Montreal, mas sua marca foi superada pelo soviético Viktor Saneyev e pelo americano James Butts. Em Moscou, nos Jogos de 1980, protagonizou uma polêmica: 3 dos seus 6 saltos foram anulados pelos juízes e ele acabou ficando com a medalha de bronze por isso.

Torben Grael

Este brasileiro coleciona medalhas de todas as cores. O iatista brasileiro, apelidado de Turbina, conquistou cinco medalhas olímpicas, sendo duas de ouro. A paixão pela vela é familiar: Grael aprendeu a velejar com o avô aos cinco anos de idade e iniciou a carreira ao lado do irmão Lars Grael, também medalhista olímpico.

Rio 2016

É o primeiro país da América do Sul a receber a edição dos Jogos Olímpicos, com a vitória do Rio de Janeiro na candidatura do país-sede das Olimpíadas de 2016.

Vagas

Em toda a história dos Jogos Olímpicos foram mais de duas mil vagas preenchidas por brasileiros até o momento.

Primeira Medalha

Em 1920, na primeira participação do Brasil em Olimpíadas, o atleta Guilherme Paraense conquistou sua primeira medalha de ouro e a primeira do país país na modalidade de tiro esportivo.

Gustavo Borges

Exemplo para uma linhagem de atletas olímpicos que hoje arrasam nas piscinas, Gustavo Borges deu as primeiras braçadas no interior de São Paulo, em Ituverava, cidade onde aprendeu a nadar. Nos Estados Unidos, onde se graduou em Economia, se tornou um atleta profissional. A primeira medalha, prata, viria em Barcelona. Mas foi em Atlanta que Gustavo se consagrou: além de uma medalha de prata e outra de bronze, dividiu o pódio com os brasileiros Fernando Scherer, Carlos Jayme e Eduardo Valério, com quem competiu o revezamento 4 x 100m livre.