Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Ensinamentos essenciais Monja Coen

Ex jornalista, palestrante, atual presidente do Conselho Religioso da Comunidade Zen Budista Zendo Brasil e autora de diversos livros, a Monja Coen é referência pelas suas palestras e ensinamentos sobre o budismo, religião e a vida. Confira aqui os ensinamentos e reflexões mais populares.

continue lendo
Compartilhar

Como desenvolver o amor-próprio

Monja Coen

Temos uma tendência muito grande de olhar defeitos e faltas. Começa a olhar as suas qualidades, no que que você tem de bom. O que é bom em você? O que que você faz que beneficia a si e aos outros? E onde é que está faltando? Você sente que as pessoas não gostam de você? Você sente que você é menos do que alguém? É porque você ainda está comparando. Então é você deixar de lado as comparações. Você é quem você é! Resultado de todas essas experiências, inclusive da ancestralidade que faz com que você seja quem você é neste momento e perceba que é perfeita(o) como é… Que ao mesmo tempo está em transformação e que pode ser cada vez melhor. É só isto, não é mais do que isto. Eu tenho jeito, porque eu sou ser humano e o ser humano tem infinitas possibilidades. Aprecie a sua vida.

Conheça a filosofia Asiática milenar do Budismo

Se tiver que escolher algo na vida, escolha ser

Monja Coen

Estamos o tempo todo fazendo escolhas e não prestamos muita atenção à repercussão que essas escolhas podem ter na nossa vida, porque uma coisa é certa: está tudo interligado, interconectado. Nada existe separado. Tudo o que nós fazemos, falamos, pensamos, como nós agimos no mundo vai transformar coisas à nossa volta. Tinha um grande fotógrafo chamado Cartier Bresson que dizia que existe uma coisa que se chama o momento decisivo. Às vezes ele ficava lá um tempão para tirar fotografia de alguma coisa, mas ele dizia que existia um momento decisivo. Às vezes de repente o pássaro passou. Tava tudo quieto, tudo igual, mas tem um momento que alguma coisa acontece e que transforma a mesma fotografia. Isso é a nossa vida. Tem momentos decisivos, momentos que a gente tem que perceber qual é a decisão correta. Se eu clico na câmera ou não, se eu gravo isto ou não, se eu me manifesto neste momento ou não. É preciso estar desperto, acordado. Se eu estou meio adormecido eu perco o momento decisivo. Eu perco o momento da minha ação adequada no mundo.

A tranquilidade de uma mente vazia

Monja Coen

Alguns dizem que é preciso esvaziar a mente. Eu pergunto: como esvaziar o que já está vazio? Basta perceber que nada é fixo, nada permanente – isto é o vazio. A mente vazia é aberta e flexível. Chora e ri. Pensa e não pensa. Não precisa ser esvaziada – já é vazia. Sendo vazia é clara e iluminada, em constante atividade e transformação. Apenas escolha com o que alimentá-la. Você mesma(o) é o programa e o programador, o computador e seus acessórios. Cuide-se bem.

Quando você olha para dentro, transforma o lado de fora

Monja Coen

Nós somos feitos de tudo que existe no universo. Se não cuidarmos de tudo, não estamos cuidando de nós. Quando nós nos engajamos em ações sociais, de cuidar daqueles que precisam sem a intenção de estar sendo bonzinho, mas percebendo que o outro sou eu, que todos os outros que nós encontramos são aspectos de mim mesmo, é que a minha doação é livre e solta de intenções. Ela se torna uma ação efetiva de transformação.

 

Gratidão

Monja Coen

Que tal você tirar a palavra limite e pensar o que que é gratidão? O que é conformar-se, o que é aceitar? O que é gratidão verdadeira mesmo sem ter nada? Às vezes tendo nada temos mais, por que não tem nada a perder. As coisas mudam. Não há nada fixo, nem nada permanente. Então não reclame. Quanto mais você reclama mais você entra num círculo vicioso de não poder sair do buraco em que se meteu.

O poder da resiliência

Monja Coen

Resiliência é aquela capacidade de não desisto do meu propósito. A vida é cheia de obstáculos, de dificuldades e a grande bênção é que a gente não desiste dela. Eu não preciso lutar com o outro, eu não preciso matar o outro. Eu preciso encontrar o caminho de chegar até lá. Que salto eu tenho que dar?

fechar