Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Mulher comendo pipoca e assistindo televisão no sofá

Filmes que falam sobre a Discriminação Racial

É comum vermos alguma situação em que presenciamos um caso de discriminação racial. Em um mundo onde evoluímos em muitos aspectos, é triste essa falta de respeito e amor ao próximo. O que é levado para a ficção, na maioria das vezes, é um retrato do que acontece na realidade e no cotidiano das pessoas. Reparar isto tudo é uma missão bem difícil, afinal só quem sofreu um caso deste tipo é que sabe o quão doloroso é ser discriminado por causa da cor da pele. Estas obras servem para nos fazer refletir e, de alguma forma, transformar o mundo em um lugar melhor para se viver. Veja filmes que abordam este assunto:

continue lendo
Compartilhar

Corra!

2017 - disponível na Netflix

Capa do filme Corra, com todos os personagens

Dirigido por Jordan Peele, o suspense com terror (melhor traduzido como "thriller") "Corra!" traz a história de um jovem negro que vai conhecer os pais da namorada branca quando uma série episódios sinistros acontecem, principalmente em relação às pessoas negras que trabalham na casa da família.

Com este longa, podemos perceber a desvalorização da pessoa negra como ser humano, sendo vistos e quistos apenas por seus "atributos físicos".

Estrelas Além do Tempo

2017 - disponível no Telecine Play

Capa do filme Estrelas além do Tempo

Baseado em fatos, a trama mostra a inspiradora história de três mulheres negras que trabalhavam na NASA e, mesmo com todas as adversidades por causa de gênero e cor, conseguiram mostrar seu valor e se destacar por seus talentos na ciência num ambiente e época extremamente machistas e racistas.

O filme nos mostra que inteligência e aptidões realmente não escolhem cor ou gênero. Qualquer pessoa pode fazer qualquer coisa quando tem o privilégio de ter suas habilidades desenvolvidas.

Moonlight - Sob a Luz do Luar

2017 - disponível na Netflix

Capa do filme Moonlight

Vencedor do Oscar de Melhor Filme em 2017, a trama, além de abordar o racismo, traz questões sobre homossexualidade, pobreza e criminalidade. A história mostra a vida de Black, um garoto da periferia de Miami que cresce num meio bastante adverso, mas nunca deixando de tentar escapar da criminalidade e de sonhar com um futuro melhor.

Podemos notar com este longa que realmente não existe meritocracia. O personagem principal, Black, se enquadra em diversas categorias de exclusão social (negro, pobre e homossexual) e podemos acompanhar "de perto" a dificuldade que uma pessoa com essas características tem para conseguir seu espaço na sociedade.

Preciosa - Uma História de Esperança

2010

Capa do filme Preciosa

Claireece "Preciosa" Jones é uma jovem de 16 anos negra, obesa, grávida, analfabeta e que sofre de violência doméstica. Mesmo em meio a todos esses problemas, Preciosa não desiste de sua alegria e busca ajuda numa escola alternativa.

“Preciosa” nos faz enxergar uma realidade que, para alguns, é impossível de existir, além de ressaltar o tratamento muitas vezes indigno que as pessoas à volta da personagem têm com ela por ser pobre, negra, obesa e mulher.

12 Anos de Escravidão

2014 - disponível na Netflix

Capa do filme 12 anos de Escravidão

Outro ganhador do Oscar de Melhor Filme, o longa conta a história se Solomon Northup, um músico que vivia feliz com sua família até ser sequestrado e vendido como escravo após aceitar um trabalho em outra cidade. Na trama, o personagem passa 12 anos vivendo em condições desumanas, passando pelos mais diversos tipos de humilhações e privações.

Por meio de um “falso escravo” podemos enxergar, na trama, a realidade da escravidão e o quanto ela foi prejudicial para os negros (principalmente mulheres, como é mostrado na obra por meio de outra personagem).

Saiba as razões que mostram como dizer "não" ao preconceito

Infiltrado na Klan

2018 - Disponível no Telecine Play

Capa do filme Infiltrado na Klan

No longa, que se passa em 1978, Ron Stallworth é um policial negro que recebe a missão de se infiltrar num movimento estudantil Black Power e, por consequência, acaba se infiltrando em um dos grupos mais racistas que existem, a Ku Klux Klan.

Além de mostrar os absurdos dos idealistas do grupo racista, o longa também mostra as dificuldades que Ron enfrenta em seu trabalho por causa de sua cor, sendo obrigado a lidar com comentários e piadas racistas, além da força e da união do movimento negro na época.

 

Histórias Cruzadas

2011

Capa do filme Histórias Cruzadas

Ambientada nos anos 1960, o longa traz Skeeter, uma jovem jornalista que sai em busca das histórias das mulheres negras que trabalhavam nas casas de famílias brancas como domésticas e babás. A empregada de sua amiga, Aibileen Clark, é a primeira a “soltar o verbo”. A partir dela, muitas mulheres se sentem encorajadas a dar seus relatos.

A reflexão da trama é, além do racismo praticado na época – ainda mais exacerbado –, sobre a relação entre patrões e empregadas (negras), que são reflexos da escravidão.

Acabe com a discriminação já! Faça um mundo melhor

A Cor Púrpura

1985

Capa do filme A Cor Púrpura

Esta dramática história nos mostra a vida de Celie, que, além de ter vivido abusos praticados por seu pai durante a infância, é forçada a se casar com um homem repugnante. O que a mantém seguindo em frente é a vontade de reencontrar sua irmã na África.

Além da questão racial e de gênero (pelo fato de ter sofrido abusos), é possível notar no longa a busca pela reconexão com a ancestralidade africana, que muitos negros perderam por terem sua cultura marginalizada.

Confira estes livros sobre discriminação. Respeito sempre!

For Colored Girls

2010

Capa do filme For Colored Girls

O longa se divide em nove histórias de nove mulheres afrodescendentes que precisam lidar com questões relacionadas a raça, gênero (como estupro) e classe social. O filme é basicamente um recorte de como vivem as mulheres negras na sociedade.

Por mais que seja ficção, a obra nos traz nove histórias diferentes, mas com muitos traços em comum porque todas acabam, por fim, vivendo problemas similares e que fazem parte da vida da mulher negra marginalizada.

fechar