Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Itziar Ituño

Embora tenha ficado conhecida mundialmente por interpretar Raquel Murillo em 'La Casa de Papel', Itziar Ituño é uma atriz espanhola nascida em junho de 1974 e já fez algumas outras aparições nas telas ao longo de sua vida. Além disso, a atriz é uma mulher forte, empoderada, que consegue passar isso nos papéis que interpreta e se mostra ativa em causas sociais, principalmente aquelas que envolvem os direitos das mulheres. Aqui você encontrará um pouco sobre a história da atriz, o que ela pensa de 'La Casa de Papel' e sua personagem, além de alguns dos seus pensamentos sobre a vida. Continue lendo e conheça mais sobre Itziar Ituño e temos certeza que você vai passar a amá-la ainda mais.

18/06/1974
continue lendo
Compartilhar

Carreira

Sua primeira aparição nas telas foi em 1997, no filme "Adeus Olentzero, Adeus". Posteriormente, em 2001, ela conseguiu um papel na novela "Goenkale" em que interpretava Nekane Beitia, uma policial lésbica. Passou por mais alguns papéis até chegar a Raquel Murillo, em "La Casa de Papel".

La Casa de Papel

Em entrevista ao R7, Itziar Ituño explicou porque ela também torce pelos "vilões", em "La Casa de Papel", mesmo interpretando a delegada [Raquel] que investiga o caso:

"[Os assaltantes] São pessoas desesperadas que tentam sair do seu buraco pessoal sem roubar dinheiro de ninguém, mas fazendo um "dinheiro novo" que para eles faz falta. É também uma crítica a esse sistema que injeta capital nos bancos enquanto as pessoas comuns ainda estão em crise. É por isso que acho que [todos] gostam dos ladrões. Eu gosto deles".

Luta de classes

Em entrevista ao 'Bahia Notícias', a atriz foi questionada se o grande assalto da série "La Casa de Papel" era a representação de uma luta de classes. Ela respondeu:

"Sim, realmente. E o fato de cantarem “Bella Ciao”, que é uma canção partigiana, é muito significativo. É como uma rebelião contra esse sistema que somente injeta dinheiro, economia nas grandes elites, enquanto o povo está mal. Então, um pouco por aí, que tem o seu plano de fundo também de resistência, de rebelião, e pode ser que por isso caia bem às pessoas".

Importância de seu papel

Em entrevista ao R7, a atriz também comentou sobre a importância do seu papel na série, sendo uma das personagens principais, mulher e com grande poder, algo que não se via antigamente no mundo audiovisual. Confira no box abaixo o que ela disse!

Mulheres no mundo audiovisual

Itziar Ituño em entrevista ao R7

“Acho importante que as coisas estejam mudando no mundo audiovisual nesse sentido. Já era tempo de as mulheres, não importa quantos anos temos, desempenhar papéis importantes no cinema e na televisão. Eu gosto da Raquel porque ela tem autoridade e capacidade de tomar decisões, embora haja constantemente homens ao seu redor tentando tirar seu poder, ela permanece firme. E ao mesmo tempo ela é uma pessoa empática que cuida dos outros, ela não é uma líder autoritária, ela é uma líder empática e eu acho que se houvesse mais pessoas assim nesse mundo, tudo funcionaria melhor”.

 

Carinho pela personagem

Em entrevista ao site 'Vida Extra Expresso', a atriz comentou o que acha da sua personagem Raquel Murillo em "La Casa de Papel":

"É muito forte, pelo lado de aguentar muito os golpes que sofre, mas é também vulnerável. Era um pouco a antagonista da história. Era como o gato e o rato. O rato era o Professor e a Raquel era o gato. E depois surge um feeling estranho… de repente sentem-se bem em falar um com o outro. Mas o que não se esperava é que depois viriam a namorar… Foi um desafio muito grande interpretar a Raquel Murillo, porque acontece-lhe de tudo".

Luta pelas causas

Itziar Ituño também se mostra muito ativa na luta às causas sociais, principalmente em relação às mulheres. Em suas entrevistas, a atriz deixa claro seu posicionamento. Confira algumas de suas falas, a seguir!

Hora de mudar as coisas

Em entrevista ao 'CulturArte'

“Acho que é absolutamente tempo de nós mulheres nos impormos e começarmos a falar do que podemos fazer e do que queremos fazer. Queremos que o que nós dizemos e fazemos tenha a mesma importância e consideração do que os homens dizem ou fazem. No entanto, para que tal aconteça, é necessário bater com o punho na mesa e mudar as coisas”.

Ensinamento

Em entrevista ao 'CulturArte'

“Acho que o que deveríamos deixar como herança às mulheres vindouras e aos homens também é um exemplo de mulheres livres, autônomas e fortes que se juntam para mudar em conjunto este sistema que não funciona. Não funciona de todo”.

Marielle Presente

Em 16 de março de 2018, a atriz postou em suas redes sociais uma foto de Marielle Franco, morta em 14 de março, no Rio de Janeiro. Na legenda ela colocou:

"Mulher assassinada por lutar por igualdade e liberdade. Não há direito!"

fechar