Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Nun

O deus Nun é um dos mais misteriosos entre os deuses egípcios. Acredita-se que ele, juntamente com outros 7 deuses, criaram o universo. No entanto, é difícil encontrar registros sobre ele, já que sua existência precede a criação de tudo. Saiba mais sobre Nun e a criação do mundo.

continue lendo
Compartilhar

Uma divindade complexa

Na mitologia egípcia, Nun (também conhecido como Nu ou Ny) é uma divindade muito complexa por ser, na verdade, um deus “subjetivo”. Ele, juntamente com a sua contraparte feminina, Neunet, faz parte do chamado Ogdóade (Hemenu) de Hermópolis, um panteão de deuses responsáveis pela criação do universo que, assim como ele, existiam antes da criação de tudo. Não dá para afirmar que ele existe de fato, pois sua presença precede a existência, então só a partir do momento em que o universo é criado que ele passa a ser real. Sua versão objetiva é chamada de Atum. Aqui, vamos tentar explicar um pouco sobre esse deus e a criação do universo, segundo o antigo Egito.

Religião henoteísta

Mitologia egípcia é o nome dado para a crença religiosa adotada pelos antigos egípcios. Inicialmente, a mitologia egípcia se tratava de uma religião politeísta, isto é, uma religião que crê em vários deuses. Entretanto foi se tornando henoteísta ao longo do tempo, ou seja, a religião baseava-se na crença de um único deus criador do universo e, a partir dele, revelava-se outras divindades independentes, mas hierarquicamente inferiores.

Conheça mais sobre a mitologia egípcia!

A origens dos mundos

Nun está intimamente relacionado ao mito da origem do universo na mitologia egípcia. E, apesar da maioria das religiões possuírem um mito desse gênero, a egípcia é considerada uma das mais complexas. Portanto a explicação precisa ser feita por partes, para entender a concepção de vários fenômenos abstratos e distantes da nossa cultura. Além disso, também é preciso ter em mente que existem várias versões do mesmo mito.

Ogdóade de Hermópolis

Hermópolis (nome dado pelos gregos, que associavam o deus cultuado pela cidade, Toth, com o deus grego Hermes) era a capital do XV nomo do Alto Egito e faz parte de vários mitos da mitologia, incluindo o mito da criação. Era lá que viviam os deuses da Ogdóade (ou Hemenu, em egípcio) de Hermópolis, incluindo o deus Nun. A interação de todos eles formaram o universo, em uma espécie de explosão.

Antes da criação

Antes, nada existia, apenas muita água em uma imensidão sem forma. Essa água era Nun e a sua contraparte, Neunet, juntos, eles formavam as Águas Primordiais. Eles, ainda em sua versão subjetiva, faziam parte de um panteão de oito chamado “Ogdóade de Hermópolis”.

Você sabe o que é mitologia?

O que é neter?

Para entender melhor o deus Nun, é preciso entender o conceito de neter. Sendo a mitologia egípcia uma religião henoteísta, devemos entender que os egípcios acreditavam em um deus todo-poderoso e criador, e, a partir dele, deuses secundários. Esse deus superior era chamado de “neter”, porém esse único deus se desdobrava em vários, mas continuava sendo um, portanto, essa pluralidade de grandes deuses se chamava “neteratu”.

Os deuses da Ogdóade

Eram oito os gregos da Ogdóade, ou melhor, quatro pares, sendo cada par composto da versão masculina e feminina do mesmo ser. Nun e Neunet (as águas primordiais), Heh e Hehet (a eternidade e o espaço infinito), Kek e Keuket (as trevas, ou melhor, “aquilo antes da luz”) e Amon e Ameunet (o ar em seu aspecto oculto).

 

A criação

A criação se deu com o envolvimento de todos os deuses da Ogdóade e com a explosão criadora do universo. Nun, enfim, transformou-se em sua versão objetiva, isto é, na sua versão real, a sua versão “existente”: Atum, o completo.

Práticas religiosas da mitologia

Atum

Atum é um neter, é a versão objetiva de Nun. Criou todos os corpos celestes do universo. Então, transformou-se em sol, assim, “tornando-se a si mesmo” e passando a ser Rá, o disco flamejante do sol, o qual criará tudo o que existe, pronunciando os seus nomes secretos. Há também uma versão que indica que a criação vem a partir das lágrimas do deus-sol. A noção de “torna-se a si mesmo” seria complexa demais para os seres humanos entenderem, pois é algo divino demais para a compreensão dos mortais.

Rá, deus do sol, possuía o obelisco como insígnia, considerado um raio de sol petrificado. Podia-se transformar em falcão, leão, gato ou no pássaro Benu. Era um deus de muitos nomes e associado a vários outros deuses, sobretudo, os deuses primários, como Atum (e a sua fusão, muitas vezes, é denominada de Atum-Rá). Foi um neter, responsável pela criação do mundo e também pelos deuses secundários, os chamados “Neteru Primordiais”, sendo eles: Shu e Tefnut, Geb e Nut, Osíris, Seth, Ísis e Néftis.

Motivos para acreditar na mitologia!

fechar