Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Snoop Dogg

Um rapper que tem milhões de seguidores por todo o planeta, esse é Snoop Dogg. Conheça mais sobre as opiniões e o trabalho desse grande artista.

O que o cabelo de um homem diz sobre ele?

Snoop Dogg

É sua viagem. É isso. Com certeza, esse é o meu estilo desde o começo, meu cabelo sempre foi meu foco principal. Sempre me certifico de que está tudo bem com meu cabelo e, se assumo um estilo novo, alguma coisa que combine comigo e que seja diferente. Mesmo quando eu usava maria-chiquinha ou fazia permanente igual à Shirley Temple, o que quer que fosse, era sempre ousado. Era tipo: "Uau, ficou legal". Mas era sempre diferente, então, mesmo agora que estou prendendo o cachorro, sou eu sendo eu mesmo. Meu cabelo sempre contou uma história e essa é minha jornada neste momento.

Eminem

Snoop Dogg

Eu não ouço as músicas do Eminem, não é desrespeito, mas eu não ouço as músicas do Eminem. Eu sou um Gangsta.

Parte do meu estilo

Snoop Dogg

De repente, ele (Perry White) se tornou parte de meu estilo porque representava muito quem eu era. Foi meu primeiro statement no mundo da moda; mostrou que eu tinha sim um estilo e que manjava de estilo, mesmo sendo gângster e da costa oeste dos EUA

Jóias

Snoop Dogg

Ainda tenho algumas (jóias), mas a maioria é coisa do passado. Elas se foram com o tempo.

Sobre o seu site Merry Jane

Snoop Dogg

Nós estamos abastecendo a indústria com algo que não há no momento. Nós somos a melhor fonte de informações para cannabis. Somos o que está faltando.

Sobre a série Game of Thrones

Snoop Dogg

Eu vejo por razões históricas, para entender como era o mundo antes de eu existir. Eu gosto de saber como saímos de lá e chegamos até aqui e também as semelhanças entre aquela época e agora

Mudança para o visual executivo

Snoop Dogg

Era uma questão de me transformar, de artista a chefe, e tentar ser mais eficiente nos negócios não só na parte criativa, mas também entender que, criativamente, sou o chefe porque estou criando tudo que as pessoas querem comprar e ver — então, por que não ter o controle disso? Tenho que despedir pessoas e ter mais controle sobre o que faço e digo. Eu precisava de um estilo que combinasse com isso. Você precisa parecer o personagem para interpretá-lo. Ninguém me levaria a sério se eu chegasse usando uma roupa esportiva. Pensariam que eu estava indo malhar. Então, eu tinha que colocar um terno para saberem que eu estava fazendo negócios. O negócio que eu faço tem que ser divertido. Quando passa a ser divertido, ele se torna um grande empreendimento, porque se for divertido, vamos adorar trabalhar e vamos fazer isso o tempo todo.

Como começou a usar camisetas de hockey

Snoop Dogg

Sabe o que foi? Eu tinha uma estilista na época chamada Toi Crawford. Ela comprou camisas de hockey porque eu curtia os moletons de universidades afro-americanas que se usava na época — aqueles de faculdade de negros. Aí ela disse: "Experimenta essa camisa de hockey". Tinha um índio nela ou coisa assim. E outra tinha uma folha, tipo uma folha de maconha. Eu curtia aquela camisa. Tinha outra preta e amarela do Pittsburgh Penguins. Tinha muita coisa nessas camisas que eu achava legal. Eu curtia a aparência delas e elas eram grandonas. Foi um lance: "Ninguém usa essa parada. Isso sou eu, esse é o meu estilo". Eu me sentia bem com elas.

Personal stylits

Snoop Dogg

Tive vários personal stylits, e também encontrava coisas diferentes. Gostei daquele sombreiro porque já tinha visto vários malandros usando chapéus, mas ninguém nunca tinha usado um daqueles. Já tinha visto o Bispo Don “Magic” Juan com um desses, parecia Louis Vuitton. Quando você usa um terno bacana e um sombreiro, isso sim é moda de verdade.

Marcas que mais usou

Snoop

Elas (Polo e Adidas) se mantêm fiéis ao que fazem e me atraem porque não mudam. Elas fazem o que fazem, e sou assim: gosto de usar roupas e coisas que representem as mesmas coisas que represento, e essas duas marcas, a Polo e a Adidas, se mantiveram fieis às ruas. Elas se mantêm fiéis ao estilo delas e fazem roupas que ficam bem no verdadeiro malandro.

Sobre usar roupas antigas

Snoop Dogg

Nada foi embora. Sempre incorporo um pouco de qualquer coisa e de tudo. Sempre olho para o ontem, e é bom poder me encontrar completamente naquele momento, naquela época, com aquela cabeça, e poder captar isso.

Outras bandas que gosta

Snoop Dogg

Gosto muito não só de Black Eyed Peas, mas de Kanye West. Adoro a música deles. E também é por isso que adoro festivais. Porque me dá a chance de voltar a ser um fã. Então, durante os shows, estarei no lado do palco, cantando e me divertindo, sem precisar ser 'o artista'. Será um dia lindo

Quando começou a se vestir como cafetão

Snoop Dogg

Era pomposo e excêntrico. O lance daquele estilo é que representava você, suas meninas, o carro que você dirigia, o mundo do cafetão. Representava o cafetão. Se a paleta de cores dele fosse verde e amarela, ele vestia verde e amarelo, o carro dele era verde e amarelo, o apartamento era verde e amarelo, as meninas vestiam roupas verdes e amarelas, e tudo tinha aquelas cores específicas. Tudo combinava, de cima a baixo. Tinha a ver com charme, glamour e pompa, e tudo isso vem da era em que cresci. Fiquei encantado quando vi isso de fora. A maioria dos meus tios se aventurou na cafetinagem, e o pai da minha mulher era um dos maiores cafetões da região. Para mim, era fascinante ver aquele estilo, adotar aquela moda e afirmar que eu fazia parte daquele mundo. A sensação era maravilhosa, porque sei o significado da moda: é uma verdadeira afirmação de estilo. Sou um malandro de verdade, mesmo enquanto faço as unhas no estilo francesinha. O cara ordinário não se imagina pintando as unhas, mas não sou um cara ordinário.

Com qual estilista mais se identificava

Snoop Dogg

Tinha mais a ver com o que ficava legal, tá ligado? Se algum estilista… Por exemplo, se o Tommy Hilfiger tivesse uma camiseta legal, eu comprava a camiseta do Tommy Hilfiger e um sapato Capezio ou talvez uma calça Girbaud e um moletom da Guess. A moda que eu seguia era qualquer moda que meu dinheiro pudesse pagar e, ao mesmo tempo, qualquer coisa que ficasse bem em mim. Não era ditada por um estilista ou marca, era mais uma questão de estilo, e algumas marcas tinham estilos diferentes que ficavam bem em mim, então, eu pegava e me apropriava.