Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Afinal, o que é representatividade?

A palavra representatividade vem aparecendo cada vez mais dentro dos mais diversos movimentos sociais, principalmente no meio LGBTQA+. Entretanto muitas pessoas ainda não entendem esse conceito. Entenda o que ela significa e porque ela é tão importante.

O que a representatividade realmente faz ?

Ter um representante LGBTQA+ nos espaços de domínio público, produções, cargos de governo, em destaque na mídia etc., não só serve de exemplo para os membros da comunidade, como também é crucial no combate à LGBTQA+fobia e normaliza a diversidade que existe, além de ser uma ferramente para pressionar e cobrar o governo por mais direitos e políticas de igualdade, que garantem a dignidade humana.

Representatividade na TV brasileira

O primeiro personagem gay apareceu na TV brasileira em 1974, na novela "O Rebu", da Rede Globo. Entretanto, a homossexualidade apareceu na novela em um cenário de crime 'passional' e de dependência financeira de um jovem rapaz por um homem bem mais velho, o que influenciou e reforçou esteriótipos negativos em relação a homossexuais.

Esteriotipação

Por mais que personagens da comunidade LGBTQA+ estejam sendo incluídos nas tramas brasileiras, infelizmente a construção desses é feita de forma exclusiva, desumanizada, reforçando esteriótipos e pré-conceitos já existentes, fazendo com que o público não crie empatia e mantenha seus preconceitos. Como consequência, membros da comunidade LGBTQA+ sofrem com ataques, violência e assédio, diariamente.

Conheça alguns dos nomes que representam a comunidade LGBT pelo mundo

Representatividade na política - Jean Wyllys

Jornalista, professor universitário e político brasileiro, o deputado federal é o único assumidamente gay dentro do Congresso.
Em 2014, na sua reeleição, foi o 7° candidato mais votado no estado do Rio de Janeiro.
Jean já foi classificado pela revista The Economist, em 2015, como uma das 50 personalidades que mais lutam pela diversidade no mundo todo e, em 2012 e 2015, foi eleito, por internautas, como o melhor deputado do Brasil.

Conheça as gírias da comunidade LGBT

LGBTQA+ em Hollywood

Segundo o Índice de Responsabilidade dos Estúdios, realizado pela GLAAD (aliança contra a difamação de gays e lésbicas), em 2015 somente 17,5% dos grandes filmes lançados tinham personagens que se identificavam como LGBTQA+.
Mesmo entre os filmes considerados inclusivos, a representação foi desigual. 77% dos filmes continham personagens gays, 23% personagens lésbicas, 9 % personagens bissexuais e apenas um filme incluiu um transexual.