Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Curiosidades da Parada Gay

Criada para combater o preconceito e chamar a atenção das autoridades sobre a criminalização da homofobia, a Parada Gay é sucesso no mundo todo, sendo a do Brasil a maior do mundo. Livre-se do preconceito e venha conhecer!

Início

A organização de passeatas contra a discriminação e em defesa dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros teve início após um incidente entre a polícia de Nova York e os frequentadores de um bar homossexual.

Eventos

Segundo a SPTuris (Empresa Estatal de Turismo do Município de São Paulo), a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo é o segundo evento que atrai mais turistas à cidade, perdendo somente para a Virada Cultural.

Sugestões

A Associação da Parada do Orgulho LGBT recebe sugestões que devem traduzir as reivindicações da comunidade sobre a violência crescente em todo o país, com foco na criminalização da homofobia e na luta pela igualdade de direitos.

Participantes

Uma pesquisa realizada durante a edição de 2005 do evento, realizada pela associação que coordena o evento e várias universidades (dentre elas, UERJ, USP e UNICAMP), revelou que 57,6% das pessoas que compareciam ao evento o faziam para que os homossexuais tenham mais direitos; 26,7% por curiosidade ou diversão; 8,9% por solidariedade com amigos ou parentes homossexuais; 4,1% para "paquerar"; 1,6% para trabalhar e 1% por outros motivos. Dentre os participantes, 25,9% se declararam heterossexuais.

Maior do Mundo

A partir de 2004, se transformou na maior parada GLBT do mundo, ao mobilizar 1,8 milhões de participantes (segundo dados da Associação do Orgulho GLBT de São Paulo, responsável pela organização). Deixou para trás a de São Francisco (Estados Unidos), a de Toronto (Canadá) e a de Sidney (Austrália).

Mobilização

Em 28 de junho de 1969, o alvo da vez foi o "Stonewall Inn". Ao contrário do que ocorria normalmente, uma mulher decidiu resistir à ação e ganhou o apoio de quem estava presente no lugar naquela noite. O grupo liderou uma série de manifestações, que se prolongaram pelos três dias seguintes e mobilizaram diversas pessoas.

Música

Na Parada Gay, o gênero musical predominante é o pop eletrônico. Os artistas preferidos do público gay são Donna Summer, Depechee Mode e Madonna.

Recorde

A edição de 2011 foi a que os organizadores estimaram o maior número de participantes: 4 milhões de pessoas.

Área VIP

Pressionada pelo corte de verbas para ajustar-se à redução das receitas, a Prefeitura decidiu não aplicar recursos na área VIP, um espaço fechado na Avenida Paulista destinado a recepcionar autoridades e celebridades, com capacidade para 800 pessoas, e nem na Feira Cultural LGBT, evento que tem público estimado de 100 mil pessoas, realizado no Vale do Anhangabaú.

Objetivo

A Parada do orgulho LGBT de São Paulo é uma manifestação social em prol da garantia dos direitos civis da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) que acontece desde 1997 na Avenida Paulista, na cidade de São Paulo.O evento conta com a participação de LGBT, simpatizantes e pessoas curiosas passando no local. A principal reivindicação contida no evento tem sido o combate à homofobia.

Trio Netflix

A vinda das atrizes do seriado Orange is the New Black, Natasha Lyonne, Uzo Aduba e Samira Wiley, está entre as atrações mais comentadas da Parada. Junto ao elenco da série, a cantora Valesca Popozuda também fará parte do grupo do Netflix,.

Stonewall Inn

Em 1970, a comunidade GLBT resolveu organizar uma marcha em comemoração ao aniversário do caso "Stonewall Inn", iniciativa que passou a se repetir todos os anos e ser copiada em outros países.

São Paulo

A parada do gênero mais tradicional no Brasil é a de São Paulo. Ela começou em 1996 como um ato público que reuniu cerca de 300 pessoas na Praça Rooselvet.

Alegorias

Em 1997, a manifestação se transformou em passeata com a presença de trios elétricos e carros alegóricos, reunindo duas mil pessoas.

Turistas Nacionais

Quanto ao mercado brasileiro, os viajantes do Rio de Janeiro representaram 21,8% das buscas totais, seguidos pelos moradores de Brasília (10,9%) e Belo Horizonte (10%). Porto Alegre e Curitiba aparecem "lado a lado" na quarta colocação (8,2%). De acordo com o site de viagens Trivago, o valor médio da diária nos hotéis está em torno de R$ 300 e, até o momento, São Paulo é a quarta cidade mais buscada para o período.

Nível Nacional

O Brasil tem cerca de 18 milhões de gays (10% de toda a população). Só em São Paulo, vivem 40% dos gays brasileiros. No Rio de Janeiro, estão outros 14%, em Minas Gerais, 8% e no Rio Grande do Sul, outros 8%. O público gay consome 30% a mais do que os heterossexuais. Deles, 47% são da classe B, 36% da classe A e 16% da classe C. Além disso, 57% têm nível superior, 40% têm ensino médio e 3% completaram apenas o ensino fundamental. Os dados são do Instituto de Pesquisa e Cultura GLS.

Economia

Na Parada LGBT de 2012, quase 40% do público era composto por turistas. Destes, a maioria era formada por turistas domésticos (97,4%) e 2,6% eram estrangeiros. As principais origens desses visitantes internacionais foram Peru, Estados Unidos, Holanda e Argentina. De acordo com o levantamento, os turistas da Parada ficam mais de três dias na cidade e gastam, em média, R$ 1.272 no período.

Tema

Em sua 19ª edição, a Parada do Orgulho LGBT terá como tema "Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim: respeitem-me". Se nas Paradas anteriores a organização do evento fez alusão às diferentes manifestações de homofobia, neste ano o discurso oficial falará da alegria e da celebração do orgulho LGBT, sem perder o tom de protesto e de luta, mas lembrando de que a alegria e o amor também podem revolucionar o mundo.

Violência

A Parada Gay brasileira mais violenta da história aconteceu em 2009. Além de brigas e confusões, ocorreu a explosão de uma bomba caseira no Largo do Arouche, que deixou ao menos 20 pessoas feridas.

Turismo

Segundo levantamento da Hoteis.com, 43,2% das buscas realizadas no site da empresa para reservas entre 4 e 7 de junho, data em que acontece o evento, foram feitas por norte-americanos. Na sequência, aparece Taiwan (7,4%), Japão (5,7%), Canadá (5,6%) e Coreia do Sul (3,9%). Entre os países latino-americanos, apenas México e Argentina ficaram entre as 10 principais nacionalidades, com 2,4% e 2,3%, respectivamente. Chile (1%), Venezuela (0.7%) e Peru (0,6%) ficaram no final da lista.

Verba

A verba de R$ 1,3 milhão é para a organização da parada, estrutura de saúde e segurança, trios elétricos e banheiros químicos. Além disso, a Prefeitura apoia o show de encerramento e outros eventos que ocorrem no mês de junho relacionados ao evento.

Trios Elétricos

De acordo com o presidente da Associação da Parada LGBT de São Paulo, Fernando Quaresma, neste ano deverão desfilar 15 trios elétricos.

Cortes

A Prefeitura de São Paulo vai gastar R$ 1,3 milhão com a organização da 19ª Parada do Orgulho LGBT, que será realizada dia 7 de junho, na Avenida Paulista, em São Paulo.
O valor é R$ 500 mil a menos do que os R$ 1,8 milhão gastos na edição 2014 do mesmo evento.

Link Ao Vivo

A Parada deste ano inova ao ter transmissão em tempo real, sendo possível acompanhar toda a manifestação pelo link: paradasp.aovivonaweb.tv.

Participações

Em 2015, a Parada Gay terá a participação de 18 trios elétricos e, entre os destaques, estão os trios das festas Priscilla e Gambiarra, da rádio Energia 97 e da boate Tunnel. O carro que abre a manifestação será comandado pela Tchaka Drag Queen.