Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

O poder de amar quem quiser

A beleza do amor está nas diversas possibilidades que esse sentimento é capaz de abranger. Por isso, siga seu coração e deixe o amor falar mais alto do que qualquer tipo de preconceito ou restrição imposta pela sociedade! Permita-se sentir o poder de amar quem quiser.

continue lendo
Compartilhar

Sem preconceito

As pessoas muitas vezes se concentram em coisas tão pequenas, assuntos tão insignificantes. O preconceito contra as pessoas LGBT é um deles.

O fato de pessoas gays, lésbicas, bissexuais e transexuais existirem não afeta diretamente a vida de nenhum ser humano. A orientação sexual das pessoas diz respeito somente a elas mesmas. Ser LGBT não significa ser anormal ou doente e nós devemos desconstruir este tipo de visão. Todos os dias a população LGBT sofre algum tipo de violência ligada diretamente à sua sexualidade e nós não podemos permitir que isso continue acontecendo.

As pessoas devem ter o direito de amar quem quiserem, de se relacionarem com quem quiserem. O preconceito é irracional e infundado. A sua liberdade acaba onde a do outro começa. É preciso que exista a inclusão dessas pessoas na sociedade, é preciso que exista justiça e direitos iguais. E isso não depende de uma lei específica. Depende de cada um de nós. Não basta somente criminalizar a homofobia. Cada um de nós tem que se conscientizar para parar de reproduzir esse preconceito e para tratar as pessoas LGBT com o respeito que elas sempre mereceram.

Vou amar quem eu quiser

Estou cansada de me esconder, de passar por cima dos meus sentimentos, de me sentir errada e sozinha. Não há nada de errado comigo por eu querer amar alguém do mesmo sexo que eu. Amor não é algo que pode ser medido ou controlado. Não é algo que podemos escolher. Ele simplesmente acontece. Nos visita quando menos esperamos.

E é nessa hora que temos que decidir: seguir o nosso coração ou agradar as outras pessoas?

Eu já perdi muito tempo tentando agradar aos outros e tudo isso foi em vão. Vou amar quem eu quiser, vou amar quem me ama de volta e quem me faz feliz, seja homem ou mulher. Amor não tem gênero, o amor apenas é.

Machismo

A homofobia não existe por acaso. Ela é filha do machismo. Machismo esse que afeta a todos na sociedade. Os conceitos machistas desprezam tudo o que vêm do feminino e tudo o que está ligado à feminilidade. Além de também ditar papéis sociais, em que a mulher deve ser a fraca e submissa e o homem o forte e dominador. Em que a mulher deve concentrar-se em cuidar da família e da casa e o homem do trabalho, devendo prover para a família. O conceito machista não engloba casais homossexuais, pois parte do princípio que uma relação romântica é constituída por um homem e uma mulher. É daí que surge a homofobia e todos os preconceitos ligados a isso. Faz com que homens que sejam mais “femininos” sejam excluídos e ridicularizados na sociedade, assim como mulheres que sejam mais “masculinas”.

A verdade é que, além desse muro de regras construído há séculos, existem pessoas que desejam viver como querem, que desejam a felicidade. E não encontram a felicidade dentro dos padrões impostos pelo machismo. Pessoas que saem do comum.

Tudo bem seguir o padrão ou não. O importante é que exista respeito com as pessoas que fogem do que é considerado o padrão “correto”. Não existe certo ou errado quando se debate essas questões. Existem apenas pessoas que desejam viver suas vidas do jeito que lhes faz mais feliz.

Foi difícil até aqui

Foi difícil até aqui, agora eu quero mais é ser feliz. Se assumir homossexual não é nada fácil em uma sociedade que é diariamente homofóbica, violenta e machista. Agora que já passei por isso, tenho certeza que posso enfrentar qualquer coisa. Foi uma experiência que mudou a minha vida.

Durante esse momento, existiram pessoas que me apoiaram e que me julgaram. Houve ódio, mas também houve muito amor, vindo de pessoas que eu não esperava. Surpreendentemente, foi tudo muito bom, apesar de ter sido difícil.

Posso dizer que aprendi muito com tudo o que aconteceu. Aprendi sobre amor-próprio e tolerância. Aprendi que cada um tem seu tempo de aceitar as coisas. Aprendi sobre ser gentil comigo mesma. Aprendi a viver de forma mais harmoniosa, comigo mesma e com os outros também.

Com que direito?

Com que direito uma mãe expulsa uma filha de casa por ela ser lésbica? Com que direito uma pessoa agride outra por causa de sua orientação sexual? Com que direito ditamos o que as outras pessoas podem ou não fazer de suas vidas?

Contanto que ninguém seja prejudicado, as pessoas devem ter o direito de fazer o que tem vontade de suas vidas, em relação ao jeito de se vestir, de falar, de se comportar e com quem se relacionar.

Ficar ou não

Ficar no armário é doloroso para quem é LGBT, mas também há uma grande dúvida se é possível sair dele e assumir para todos quem realmente somos. Há muito medo em relação ao que os outros vão pensar, principalmente em relação à família. Há medo de rejeição e medo de agressões, sejam elas físicas ou psicológicas. Para todos que sofrem com essa questão, eu desejo força e paciência. Espere o momento certo para lidar com tudo isso. Trabalhe na sua autoaceitação primeiro. Se respeite e siga o seu próprio tempo. Se priorize.

Por mais que não pareça, isso tudo vai passar.

Medo

Vivemos com medo, vivemos nos escondendo. Não podemos demonstrar afeto em público, não podemos andar de mãos dadas. Vivemos com medo porque não sabemos o que pode acontecer conosco. Ouvimos nos jornais as notícias, os crimes de homofobia relatados todos os dias e assim o medo nos envolve. A necessidade de se proteger é iminente. E sofremos. Sofremos calados, muitas vezes por não haver quem possa nos ajudar, quem possa nos ouvir desabafar.

Mas não estamos sozinhos. Para todos os que sofrem com a homofobia e o medo que ela causa em todos nós, é necessário ser forte e ter confiança de que os tempos estão mudando e hoje em dia somos mais livres. Hoje em dia temos mais voz.

Ainda falta muito para melhorarmos e para conquistarmos. Mas vamos assim, um passo de cada vez. Vamos juntos!

 

Tolerância

Tolerância deveria ser regra e não exceção. Respeito deveria ser obrigação. Os espaços públicos deveriam ser seguros para todos, mas infelizmente não são. Existe ainda muito preconceito, intolerância e violência. Todos nós temos que lutar contra isso, independente de isso nos afetar diretamente ou não.

Se você acredita que pessoas LGBT devem ter os mesmos direitos de pessoas heterossexuais, como o direito ao casamento, apoie essa causa.

Não vou me esconder

Não vou mais me esconder, não tenho mais tempo para fingir algo que não sou. Nunca seguirei os padrões de gênero, mas isso não se deve à uma escolha minha. As coisas não são tão simples assim. Eu não escolhi ser homossexual, assim como outras pessoas não escolheram ser heterossexuais. É simplesmente algo que acontece e faz parte da vida.

As pessoas são diferentes, cada uma tem suas peculiaridades. Devemos nos respeitar, respeitar as diferenças e celebrar a diversidade.

Você não está errado

Você não está errado por ser assim. Você não está errado por ter se apaixonado por alguém do mesmo sexo que você. Amar nunca é errado. Embora a sociedade diga que isso é algo abominável, você sabe como se sente. Sabe que seus sentimentos são puros e não foram algo que você escolheu. Quando você se deu conta já havia acontecido.

Você não precisa se perguntar o que há de errado com você. E sim o que há de errado com uma sociedade que prefere ver dois homens segurando armas ao invés de dois homens segurando as mãos.

Celebrar as diferenças

Que graça o mundo teria se fôssemos todos iguais? Se todos gostassem do azul e ignorassem o amarelo?

O bom da vida é a diferença, é a diversidade. O que faz com que as nossas relações sejam tão proveitosas é justamente o fato de que somos pessoas diferentes, que vieram de diversos lugares e que tiveram diferentes experiências de vida. É isso que faz com que tudo se una de forma tão bela.

Não é escolha

Eu não escolhi ser assim, eu nasci assim. Obviamente, seria muito mais fácil ter nascido heterossexual em uma sociedade como a nossa. Eu não teria que enfrentar tantos problemas. Mas isso não é algo que se escolhe. Não é questão de preferência.

Eu nasci assim e vou ser assim a minha vida inteira. Não há cura para mim, porque eu não estou doente. Essa é quem eu sou e eu não vou mudar por ninguém.

Que diferença faz?

Que diferença faz para você se o seu amigo beija outros garotos em festas? Que diferença faz para você se sua professora é casada com uma mulher? Não deveria fazer! Eles são pessoas normais, com rotinas normais, iguais você. O que os outros fazem entre quatro paredes não lhe diz respeito. Relacionamentos são de responsabilidade apenas de quem faz parte dele e de ninguém mais.

E cada um vive da maneira como desejar, enfrentando os benefícios e as consequências de cada escolha que faz.

Nós existimos

Nós existimos e resistimos. A cada crime de homofobia, nós nos unimos mais ainda. Encontramos apoio e solidariedade nas pessoas que sentem o mesmo que nós. Nos nossos amigos e família que nos apoiam. Nós continuaremos existindo, resistindo e lutando pelos nossos direitos. Até que nenhum LGBT tenha que morrer ou ser agredido, até encontrarmos paz!

Mereço respeito

Mereço respeito como qualquer outra pessoa. Quem eu beijo não lhe diz respeito. As minhas escolhas sou eu quem faço e quem cuida da minha vida sou eu. Não preciso me dar ao respeito, pois o respeito já é meu por direito. Sou humana, sou uma pessoa como qualquer outra. E exijo o que é meu por direito.

fechar