Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Armin Van Buuren

Armin Van Buuren começou sua carreira aos 14 anos de idade em um club de sua cidade natal. Com seu talento para o trance, foi conquistando o mundo chegando a ser eleito por votação por cinco vezes o primeiro lugar da top 100 DJ da DJs Magazine. Ser o DJ número 1 trouxe um peso muito grande para seus ombros, ele se cobrava demais, e isso acabou culminando em uma depressão. Apesar disso, ele continuou com sua carreira, buscando levar sua música ao mundo. Para ele, música é o que dá cor à vida, e o trance, em especial, é algo que passa sentimento, que toca as pessoas. Ele comenta ainda sobre os festivais em que já atuou e como foi sua passagem e relação com o público no Brasil.

25/12/1976
continue lendo
Compartilhar

Top 100 DJs

O rei do Trance, como é conhecido Armin Van Buuren, foi eleito o número 1 dos top 100 DJs da DJ Magazine por 5 anos, 2007 à 2010 e 2012. A primeira vez que ele apareceu na lista foi em 2002, na quarta posição.

A importância do top 100 DJs

playbpm

“É claro que as vitórias da pesquisa do Top 100 DJs da DJ Mag também foram extremamente importantes para minha carreira. Em 2007, fui votado como número 1 pela primeira vez. Depois que recebi o prêmio em Londres, voei para Los Angeles. Faria um show em um lugar chamado Vanguard. E, de repente, haviam vários caras sem camisa na multidão. Eles não tinham vindo ver o Armin van Buuren, eles vieram para ver o DJ número 1 do mundo. Aí foi quando eu percebi quão grande era esse título, e o quanto isso significava.”, declarou Armin em entrevista.

Relembre os principais hits de Avicii

Armin no carnaval brasileiro

DJ Mag Brasil

“Incrível, é a melhor época para estar no Brasil. O tempo é bom, tem muitas festas em todos os lugares, várias festas dão sold out, brasileiros estão mais livres para curtir já que não precisam trabalhar.”, declarou Armin Van Buuren sobre sua passagem pelo Brasil durante a época de carnaval.

Sobre o público brasileiro

Revista Men SCH

“O público do Brasil é muito intenso, com uma vibe muito positiva. Desde a primeira vez que vim ao Brasil, em 2002/2003, eu sempre fui muito bem recebido. O calor humano brasileiro é uma característica única. Quando eu estive aqui ano passado, a sensação foi justamente essa. Não esperava um público que fosse tão apaixonado pela música.”, declarou Armin sobre sua experiência no Brasil.

Conheça Zedd: o principal DJ da música eletrônica!

A depressão de Armin

playbpm

Ser o DJ número 1 do mundo trouxe uma pressão muito grande à Armin Van Buuren, sobre isso ele comentou: “Com a multidão diferente, veio uma expectativa maior – pelo menos, essa é a pressão que eu coloquei em mim e depois disso veio a depressão que eu passei em 2010. Eu estava com um coach e não estava me sentindo feliz comigo mesmo, não estava gostando do que estava fazendo”.

O melhor festival

The Student Pocket Guide

Quando questionado sobre seu festival favorito, Armin disse: “Oh, cara, eu não posso escolher apenas um. Quer seja o Ultra, o Tomorrowland, o Electric Daisy Carnival, o Untold Festival ou qualquer outro assunto, cada festival é único. Mas o principal é que todos os participantes do festival vão para lá para curtir a música e tirar o máximo proveito dela, e é isso que eu mais amo. Então não importa em qual festival eu me apresente, eu serei o cara mais feliz do mundo. Eu também estou muito feliz que A State of Trance é agora meu próprio festival!”.

Dennis DJ: conheça o músico brasileiro que conquistou as paradas

 

Cada set é único

Armin Van Buuren é um verdadeiro fã de sets mais longos, não é à toa que tocou seis horas seguidas em Ibiza. Ele nunca faz o mesmo set duas vezes seguidas, se ele enjoa de uma track simplesmente não a toca. Armin chega a levar para seus shows mais de 6.000 músicas para escolher.

O peso da primeira posição

playbpm

“(...) dos 10 comentários positivos em um show, haveria um negativo, e isso realmente destruiria minha vida. Eu não conseguia dormir, eu estava usando muito álcool, bebendo demais em casa, e estava me sentindo deprimido. Eu estava realmente deprimido por ser o número 1. Foi muito louco. (...) Isso não quer dizer que eu não quero mais ser o número 1 – é a mesma coisa se você perguntar a Steven Spielberg se ele quer ganhar outro Oscar.”, declarou Armin, e comentou ainda que ficou feliz por outra pessoa ganhar o primeiro lugar.

Confira a trajetória de Alok, o DJ brasileiro expoente

O cenário musical

The student pocked guide

Sobre a mudança no cenário musical desde que iniciou sua carreira, Armin comenta: “Isso mudou muito! Não apenas em nível industrial - a introdução do streaming transformou toda a cena em sua cabeça -, mas também porque a dance music continuou evoluindo ao longo dos anos. E é isso que eu adoro na dance music: a maneira como ela continua mudando e se renovando, é por isso que eu me apaixonei por ela em primeiro lugar”.

Amor à música

Beat for beat

O que Armin ama no trance é a emoção que esse estilo passa, e sobre a música em geral ele declara: “Parece sem importância para muitos, mas para mim é uma das pedras preciosas que temos na vida. É o que dá a cor à vida”.

fechar