Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Precisamos falar sobre aborto

Gerar uma criança é um dos atos mais grandiosos da natureza humana, mas e quando uma mulher decide que não quer dar à luz, mesmo já estando grávida? Ela deve ter esse direito? Reflita sobre a questão e expresse sua opinião.

Tabu

Quando falamos em aborto, precisamos que estar preparados para uma grande e longa discussão, pois há quem seja a favor e quem seja contra. Na realidade, esse assunto é e sempre será um tabu da sociedade. Há quem diga que o tema refere-se a um grande pecado, outros que defendem que é um direito da mulher e até mesmo do feto gerado. Os pontos de vistas são os mais diversos possíveis, sempre de acordo com a crença de cada um.

Decisão

Toda mulher tem o direito. Na verdade, em parte, pois o homem sempre quer ter o controle de tudo que seja relacionado a ela. Mas, na teoria, ela poderia e deveria tomar as decisões de um assunto que diz respeito à sua vida, como a maternidade. Ela devia analisar se está preparada para isso. Afinal, enquanto todo mundo sorri acariciando o bebê, somente a mulher saberá o quanto sofreu ou sofrerá para criar a criança.

Maternidade

Qualquer maternidade que venha sem ser desejada é capaz de trazer problemas futuros, seja para a mulher, para o casal ou para as famílias envolvidas. Quando uma gravidez surge, muda tudo e, se não é planejada, pode ser uma experiência ruim a quem está envolvido.

O casal

Toda gestação deve ser uma decisão que afeta não só a vida da mulher, mas a vida do casal envolvido. Ou seja, sempre vale programar o momento, analisar se é o que querem e, caso venha num momento repentino, que haja preparação para que os pais convivam em paz e para que a criança cresça feliz e saudável.

Afeto

Quando uma gestação não é planejada, pode haver problema na relação da criança com os pais e demais familiares, ou seja, o vínculo afetivo entre a mãe, o pai, tios e avós com o bebê nascido pode ser corrompido quando a gravidez é vista com sofrimento. Além de tudo, com o passar do tempo, a criança pode sentir essa rejeição e ser afetada emocionante por isso.

Perseguir

Vocês já pararam para pensar que, por ser considerado crime, o aborto promove a perseguição às mulheres que optam por este processo? Pois é… Por não terem estrutura para ter um filho ou por não se sentirem preparadas, são julgadas e “caçadas” por algo que fizeram pensando em si, no futuro que têm pela frente. Infelizmente, nem todo mundo entende e vê o lado delas.

Saúde

Quantas mulheres recorrem aos abortos clandestinos por não terem um suporte seguro e legal na sociedade brasileira? A população e autoridades não enxergam que esse tipo de aborto se torna problema de saúde pública. Se a operação fosse legalizada, feita com segurança, diminuiria os gastos com problemas de saúde derivados do processo clandestino, já que a mulher que optasse pela operação estaria num hospital seguro, acompanhado por bons médicos.

Aborto legal

Já parou para refletir que o acesso ao aborto legal permitiria diminuir positivamente o recurso ao aborto? A mulher procuraria o serviço com certeza plena do que deseja. Além disso, passaria pelo procedimento com acompanhamento da família, que muito influencia nessa decisão. Quando algo se torna legal, a procura também tende a cair porque não há mais a adrenalina de fazer algo que não é permitido.

Não desejada

Toda a prevenção da gravidez indesejada está ligada à defesa ao acesso ao aborto legal, afinal, os métodos podem falhar, o homem e a mulher podem agir no calor do momento, mas é um direito deles escolherem se querem ou não ter filhos. Isso cabe somente aos envolvidos e não aos que pensam apenas na forma de constituir uma família. Os tempos se modernizaram e as relações também.

Evite

Sem dúvidas, quando você evita um aborto, preserva a paz da sua consciência e isso será, com certeza, a sua eterna companheira. Não há nada que pague por uma mente tranquila.

Faz

Todo mundo sabe que a proibição não evita que abortos sejam feitos. Quando há a vontade e necessidade, a mulher o faz, mesmo que não haja segurança. Para ela, a prioridade é agir consciente da realidade que ela tem e se pode ou não lidar com a questão de ter um filho, pois não é fácil para todo mundo; nem todas as mulheres têm família estruturada e recursos para que consigam gerar bem a criança.

Consequências

Um aborto mal feito, ou seja, feito clandestinamente, muitas vezes traz sérias consequências, que prejudicam todo o restante da vida de uma mulher. É muito triste uma mulher se sujeitar a isso somente porque a sociedade não está preparada para entender que ela não deseja ou não tem estrutura para gerar um filho. Carregar sequelas para sempre é uma dor imensa e só quem as carrega sabe a dor que é ter que lidar com elas sendo julgada constantemente.

Pessoa

Independentemente da definição, seja feto ou embrião; ser humano já formado ou ainda em formação; cidadão com direitos já assegurados ou não; se tem sentimentos, sentidos e consciência ou não; é um absurdo imenso achar que uma imaginar que um feto de semanas ou menos de um mês já está desenvolvido e deve ter seus direitos assegurados antes mesmo daqueles que a mãe tem.

Classe econômica

As mulheres com um poder aquisitivo alto têm a oportunidade de viajar e de obter um aborto seguro para si, mas aquelas em situação mais precária são levadas a optar por abortos clandestinos ou autoinduzidos. A proibição do aborto é completamente discriminatória, pois dá a chance a quem tem dinheiro e não a julga e garante o bem estar de quem só tem condições financeiras de realizar uma operação clandestina.

Tensões

Quantas são as tensões que uma gravidez indesejada pode trazer às famílias? Além de tudo, pode romper a estabilidade que já há no lar e até empurrar as pessoas para baixo do patamar de pobreza. Nem sempre uma família tem como sustentar um filho que está prestes a chegar e que pode mudar tudo em pouco tempo. Para que não se desconte tudo na criança e evite as tensões, ter um “plano b” pode ser uma solução.

Desejo

Toda criança que vem ao mundo tem direitos. O primeiro deles é o de ser verdadeiramente desejada. A família tem que desejar ter um filho, ter a vontade de viver aquele momento mágico, senão as coisas não irão fluir. A criança, com o tempo, irá sentir falta de amor e a família pode até começar a ter conflitos, ou seja, é importante ter desejo de uma família, independentemente de como ela seja constituída.

Atentado

Dizem por aí que realizar um aborto é um atentado contra a vida do ser humano. Como pode alguém ter coragem de tirar a vida que um ser indefeso, que não pensa e não tem como opinar sobre a própria vida? A cada dia, as pessoas estão mais cruéis.

Escolha

A chance que as famílias têm de escolha é positiva para todos. A liberdade na relação dos parentes é importante no momento de decisões e conversas que envolvam temas mais polêmico. Ter a chance e oportunidade de optar por um aborto faz com que tudo fique claro, que todos entendam os diferentes pontos de vistas e que a escolha seja feita da melhor maneira possível, dando apoio a quem está passando pela situação.

Necessidade

A necessidade faz com que cometamos uma loucura. Acredite: há quem faça aborto por falta de suporte, por precisar trabalhar e ter um sustento.

Irresponsável?

Há quem diga que hoje em dia só engravida quem é irresponsável, afinal, temos diversos métodos contraceptivos e informações sobre gravidez. Mas será que é tão simples assim? Será que é mesmo tão fácil dizer quem está certo e quem não está? Quem engravida é só quem não se cuida e quem não tem um planejamento? É muito difícil tomar um lado quando não se passou por todas as experiências para julgar o que é correto.