Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

10 filmes que falem sobre crise existencial

A crise existencial é nada mais nada menos do que as questões que temos sobre o sentido e o propósito da existência. Afinal, quem nunca questionou os fundamentos da vida ou o valor dela? Conheça e reflita com os 10 filmes que reunimos para você e que tratam desse assunto!

continue lendo
Compartilhar

Relatos selvagens

“Relatos selvagens” reúne uma série de histórias engraçadas e trágicas sobre a coisa mais comum e familiar que pode existir: o ponto de explosão em que as pessoas simplesmente dizem “chega”. Você já esteve a ponto de jogar tudo para o alto e fazer alguma loucura no ápice da raiva? Pois essas pessoas fizeram. Neste drama irônico e completamente familiar, você encontrará o que precisa para refletir sobre a sua própria vida e as consequências dos seus atos caso você realmente fizesse tudo o que deseja fazer.

As vantagens de ser invisível

Originário do livro homônimo, “As vantagens de ser invisível” conta a história de um jovem que não consegue se encaixar no ensino médio – especialmente depois que seu melhor amigo se suicidou. Tímido e introvertido, Charlie (Logan Lerman) se enturma com um grupo dos estranhos e fica próximo especialmente dos irmãos adotivos Patrick (Ezra Miller) e Sam (Emma Watson) que o ajudam em uma jornada de autodescobrimento enquanto passam por todas as tristezas e humilhações existentes na fase mais insuportável da vida de alguém: a adolescência.

Medianeras: Buenos Aires na Era do Amor Virtual

“Medianeras” é uma tragicomédia romântica que simplesmente vai aquecer o seu coração ao mesmo tempo em que vai fazer com que você reflita sobre a forma como nos relacionamos na era da sociedade em rede. O filme conta a história de duas pessoas, um homem e uma mulher, que aparentemente são almas gêmeas, moram em prédios vizinhos, já se cruzaram em diversas situações, têm os mesmos gostos, mas nunca se conheceram pessoalmente. “Medianeras” é um filme sensível o suficiente para te alegrar em um dia frio e chuvoso, mas ao mesmo tempo, te fazer refletir sobre as loucuras que a gente faz nos dias de hoje – por amor, por trabalho e pela vida em si.

Comer, rezar e amar

Fruto de livro do mesmo nome, “Comer, rezar e amar” se tornou um clássico em pouco tempo por contar a história de Liz Gilbert (Julia Roberts), uma escritora de sucesso que, de repente, vê sua vida perder o sentido – é, isso mesmo, da noite para o dia ela perde tudo o que conquistou ao longo dos anos. Completamente desnorteada e sem saber o que fazer, ela decide seguir a profecia que um guru indiano previu para ela um ano antes e decide fazer um ano sabático: alguns meses na Itália, redescobrindo seu apetite pela vida, um tempinho na Índia em busca da sua conexão com o seu espírito e o de um ser supremo e o final deste tempo em Bale, tentando descobrir a si mesma e curtindo a sua conexão consigo. “Comer, rezar e amar” vai te fazer refletir sobre o que você tem feito no seu caminho, mas também vai te abrir o apetite: melhor assistir enquanto come uma pizza.

E o vento levou

Um clássico da literatura e do cinema – especialmente com a aclamada frase “I don’t give a danm, my dear” –, “E o vento levou” conta a saga da corajosa, ignorante e egoísta Scarlett O’Hara durante a Guerra da Secessão, nos Estados Unidos. Sulista, meio estadunidense e meio irlandesa, Scarlett simplesmente não consegue enxergar a verdade ou a derrota nem que estejam escaradas bem na sua frente. Apaixonada por Ashley Wilkes, Scarlett simplesmente não consegue deixar de fazer tudo por seu amor, mesmo quando conhece Rhett Buttler – o cafajeste que todos nós amamos odiar. “E o vento levou” é aquela ótima pedida para quando você precisa de um pouco de motivação na vida – se Scarlett conseguiu, todos nós conseguiremos também.

Lembranças

Estrelado pelo queridinho das jovens dos anos 2000, Robert Pattinson, “Lembranças” é um drama com o qual qualquer pessoa em seus vinte e poucos anos poderá se identificar, pois retrata a história do jovem Tyler Roth que simplesmente não consegue encontrar o que quer e nem sabe o que quer encontrar. Perdido e completamente desamparado depois que o irmão mais velho e melhor amigo se suicidou, Tyler segue sem saber o que fazer até conhecer Ally (Emilie de Ravin), uma universitária que simplesmente sabe exatamente o que quer e como deseja viver.

Lulu nua e crua

Filmes franceses são extremamente julgados pela sociedade – especialmente porque eles são, muitas vezes, um tanto quanto parados, não é mesmo? Mas não esta comédia reflexiva. “Lulu nua e crua” conta a história de uma mãe, esposa e mulher que viaja para outra cidade para uma entrevista de emprego e, chegando lá, decide não voltar mais para casa. É isso mesmo o que você leu: em seus quase cinquenta anos, Lulu decide que precisa se redescobrir como mulher e resolve entender quem é, o que precisa e o que ainda não sabe sobre si mesma. Essencial para quem precisa de um pouco de coragem para tentar de novo.

 

O fabuloso destino de Amélie Poulain

“Amélie, você não tem ossos de vidro. Pode suportar os baques da vida” – se nenhum amigo nunca jogou essa frase na sua cara em um momento de drama, então, você precisa seriamente rever as suas amizades. “O fabuloso destino de Amélie Poulain” consegue ser mágico, sincero, real, gentil e reflexivo – tudo ao mesmo tempo. Amélie é uma moça como a gente: cheia de receios e dúvidas. Aos vinte e poucos anos, no entanto, Amélie decide ousar e parte em busca de um caminho que nem mesmo ela não sabe onde pode dar, afinal, ela não tem ossos de vidro, não é mesmo?

A sociedade dos poetas mortos

Triste, mas necessário. Este belíssimo filme, estrelado por nosso querido Robbie Willians, conta a história de um internato para meninos em que um professor de literatura começa a fazer perguntas sem respostas, gerando reflexões, questionamentos e inquietações em seus jovens alunos. “Oh, captain, my captain” vai fazer você chorar, suspirar e refletir sobre o que tem feito sobre sua própria vida.

O lado bom da vida

Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) foi internado em um hospital psiquiátrico após perder completamente o controle ao ver sua esposa com outro homem. Recuperado de seu surto psicótico, Pat volta para a casa dos pais e conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), a cunhada viúva de seu melhor amigo, e que conhece a ex-esposa de Pat – por quem ele ainda é obcecado. Decidido a reconquistá-la, Pat se aproxima de Tiffany, que também precisa de um ombro amigo ao se ver completamente sozinha e sem crédito na vizinhança. Juntos, os dois formam uma dupla improvável e, sinceramente, meio doida que vai animar o seu fim de semana, mas também vai te fazer refletir sobre o que raios você está fazendo ligando para quem não liga para você...

fechar