Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Fernando Cayo

O ator Fernando Cayo nasceu em 1968, e no ano de 1976 já subia aos palcos. A paixão pela atuação sempre existiu e se consolidou quando ele estudou na Escola de Artes Dramáticas de Valladolid. Seus primeiros papéis de destaque no teatro, cinema e televisão vieram nos anos 80 e 90. Fernando ficou ainda mais conhecido graças ao filme "A pele que eu habito " e as séries televisivas "Homens de Paco" e "La casa de papel". Em La Casa de papel, o ator integra a terceira temporada como Tamayo, novo personagem na quadrilha. Apesar do sucesso na TV, a vida do ator é marcada principalmente pelas peças em que atua na Espanha.

22/04/1968
continue lendo
Compartilhar

Males da atuação

O ator fala sobre o que o incomoda na profissão

“Especialmente a política, em que não levam a cultura a sério. E então a intermitência para trabalhar que essa profissão tem. Não tanto para mim, a verdade é que me sinto com muita sorte e trabalho durante toda a minha vida no cinema, teatro ou televisão. Quando eu não tive, eu produzi meus próprios shows com os quais eu nunca tive esse sentimento de desemprego absoluto. No entanto, existem muitos colegas que sofrem essas intermitências.”

Conheça todos os personagens dessa série que parou o Brasil

Talento

O ator fala como só o talento não basta para ser um bom ator

“Você não vai a um cirurgião que não tenha uma boa carreira médica, embora tenha muito instinto e muito talento. Ninguém se colocaria nas mãos de um cirurgião nessas circunstâncias, certo? Isso é o mesmo, tem que haver treinamento e então tem que haver instinto, talento, garra ou como você quiser chamar. Você tem que juntar os dois.”

Relação com os personagens

Fernando fala sobre como os papéis mudam sua vida

“Para mim existem personagens que te impregnam mais e que você fica mais tocado. Por exemplo, quando terminei o monólogo de “Inconsolable” que fiz no CDN (National Dramatic Center), em textos de Javier Gomá e dirigido por Ernesto Caballero, foi um espetáculo que tocou muito sobre a morte do pai. Esse trabalho me referiu muito à minha própria experiência e também era quase autobiográfico.”

 

Rotina

Fernando conta o que faz em um dia normal

“Poderíamos resumir o meu dia em: eu acordo muito cedo, vou gravar as sequências que me tocam, saio à tarde e começo a estudar, geralmente andando de bicicleta ou na esteira correndo para o Mens sana sana, em corpore sano. É porque assim, em movimento, retenho muito melhor tudo que eu estudo. Então eu tomo um banho, janto e tento ir cedo para a cama pela manhã que me espera no dia seguinte.”

fechar