Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Frases de Michel Melamed

Poeta desde os 15 anos, Melamed abre as portas de sua vida profissional e também pessoal e nos mostra a sua forma ímpar de enxergar as coisas. Contemple a arte desse homem incrível!

10/03/1976
continue lendo
Compartilhar

De olho

Michel Melamed

O acesso à tecnologia é uma nota contemporânea que não se restringe mais ao meio artístico. Agora todo mundo divide a vida toda na internet, então sempre tem alguém de olho.

Reflexão

Michel Melamed

Eu tenho vontade, como artista, de olhar o mundo em que a gente vive e dar o meu depoimento após uma reflexão. E acho que, de alguma forma, isso pode ser quase novidadista hoje, porque não é o que está acontecendo. (Eu não sei o que está acontecendo direito, mas não é isso.) A grande parte dos trabalhos artísticos não tem esse viés, de querer parar e pensar "qualé, o que tá acontecendo no mundo?"

Verdade

Michel Melamed

Que peças eles viram? Que vidas eles estão vendo? O único projeto que tem aqui, claro, é esse: de que não existe uma verdade. Essa é política da coisa. Não tem verdade, malandro.

Identidade

Michel Melamed

Teve um período do espetáculo em que comecei a confundir um pouco, e realmente, antes de entrar em cena eu pensava, nossa, quem vai estar aí, o que essas pessoas querem fazer comigo? Mas era uma distorção. Foi um período que eu fiquei meio apavorado, de “que dureza”, que situação grave. Eu continuo achando grave, mas hoje em dia no sentido artístico, metafórico. Ficou claro pra mim o que é um personagem do espetáculo, e o que sou eu.

Benefícios

Michel Melamed

Em "Afinal, o que querem as mulheres?" foi meio maluco. Apesar de saber que faria o André, não deixei isso em perspectiva ao escrever. Não achei correto me beneficiar. Ou até, involuntariamente, me prejudicar, já que poderia ter deixado de fazer algo legal por receio ou medo.

Produção

Michel Melamed

Regurgitofagia é um trabalho de anos. Menos o livro em si; mais o conceito, a ideia, estar pensando sobre antropofagia, contemporaneidade, ser artista, até chegar no ponto de falar, ah, regurgitofagia, vomitar, um tipo de conceituação. Existe minha produção de textos, ao longo da vida, e em algum momento eu tinha um livro.

 

Audácia!

Michel Melamed

No caso específico de um trabalho em que você tem como base a questão do manifesto antropófago, do modernismo brasileiro, que é o momento auge da produção cultural, eu tô de fato dialogando com a tradição, é lógico que eu espero, eu esperava que as pessoas falassem, porra, esse cara tá pensando alguma coisa! Esse cara tá pensando, que audácia!

Fazendo Arte

Michel Melamed

Estou fazendo arte; não estou fazendo um produto. Não tem público-alvo. Não tem "vamos facilitar aqui", não tem concessão. Tem uma obra, a necessidade de comunicar uma coisa, com a melhor forma de comunicá-la. Ponto. Foi comunicado? Encontrou eco? Bingo! Não encontrou? Foda-se.

Divisão

Michel Melamed

Não existe essa divisão entre obra de arte e entretenimento. Essas coisas estão sempre juntas. Então eu evito fazer a manutenção da ideia de que existe um fosso entre essas coisas. Eu rejeito esse gap.

Paixão

Michel Melamed

Faço tudo, desde que me sinta seduzido. Se desejar e for desejado também, é claro que topo. Só é preciso ter a mesma coisa que é fundamental em qualquer tipo de atividade na vida: paixão.

Teatro

Michel Melamed

No Brasil quando você fala ‘teatro experimental’, parece que é isso: alternativo, independente. Não é isso, não tem alternativo, não tem independente. Não tem underground, isso não existe. É ground, é real, é obra de arte.

Entrevistas

Michel Melamed

Tô preocupado com as entrevistas que eu dou. Quando vou olhar, pô, o leitor deve pensar: "Essa pessoa diz coisas sem nexo!". Porque acaba sendo um discurso de muitas referências, e os istmos entre elas são muito curtos, tênues… então eu acho que tenho que falar mais devagar, sobre idéias mais específicas.

Televisão

Michel Melamed

Sou encantado pela televisão. Acho um veículo potente e com um alcance extremo, mas muitas vezes subutilizado. Faço tevê há 12 anos e tenho muito interesse em continuar. Mas ainda não estou fechando nada para o futuro.

Saber o que quer

Michel Melamed

O cerne é o projeto de ser um artista, é ter uma obra. Eu já sei o próximo espetáculo que eu vou fazer, eu sei o próximo livro que eu vou fazer, sei que quero fazer um cd, etc – isso é o que eu quero fazer da vida. O resto tem suas delícias e suas merdas.

Primeira Vez

Michel Melamed, sobre Regurgitofagia.

Na primeira vez, o espetáculo foi apresentado foi numa galeria de arte. Eu não sabia o texto de cor; tinha quatro horas de texto, que a gente botou num teleprompter, e eu ficava lendo, na galeria, parado, com a máquina, as pessoas ficavam em volta, saíam, entravam… era uma instalação.

Interlocutores

Michel Melamed

Você é um artista, o que você objetiva? Eu entendo que arte é o redirecionamento do olhar, uma re-valoração das coisas… o objetivo é que essas perspectivas que você está propondo encontrem eco, que você possa ter interlocutores e que seja pertinente.

Contribuição

Michel Melamed

Isso aqui é a minha vida, são as palavras que eu escrevi, é como eu penso as coisas, é quem eu sou. Meu maior desafio é estar aqui, sou eu, entendeu, isso aqui existe, é real… é ter gana, vontade de olhar pras coisas e ver qual é. Acho que essa é a contribuição para o momento.

fechar