Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Séries que te ensinam a ser uma mulher empoderada

O feminismo vai muito além do que simplesmente ouvimos falar por aí. Esse movimento defende mulheres que lutem pelos seus próprios direitos, sonhos e ideais. E você sabia que existem diversas séries de TV que retratam esse tipo de mulher? Confira e encontre a sua inspiração!

continue lendo
Compartilhar

10 séries que te ensinam a ser uma mulher empoderada

Cada vez mais, as mulheres estão enxergando o tamanho do espaço que elas merecem e devem conquistar. Empoderar uma mulher é fazê-la muito mais confiante, feliz e forte, pois depois que ela passa a se enxergar com os próprios olhos, de uma maneira única e especial, ninguém é capaz de dizer o contrário do que ela mesma vai ver e sentir.

Durante muito tempo, as mulheres foram silenciadas e subestimadas. Mas parece que nos últimos anos, acontecimentos e fatos, como o crescimento dos movimentos feministas, serviram de inspiração para reforçar a luta da mulher e representá-la, inclusive, nas telonas e telinhas.

O machismo estereotipado e velado passou a ser apontado em diversos recortes de séries e filmes, além de a coragem, a competência e a garra da mulher serem exaltados como forma de representatividade feminina.

Por isso, listamos dez séries que possuem o discurso explícito dessa discussão e que podem te inspirar a ser uma mulher muito mais forte e empoderada.

How to get away with murder

Viola Davis dá um show de empoderamento no papel de Ana Annalise Keating, uma famosa advogada criminal que também é professora universitária em uma prestigiada universidade da Filadélfia. A advogada, que tem total confiança em si e m sua competência, vence a maioria de seus casos ao lado de cinco alunos que passam a trabalhar com ela. No decorrer da série, todos eles começam a se meter em tramas de assassinatos. Mesmo com todos os acontecimentos da série, Keating não deixa de divar. Em alguns momentos, ela passa por fraquezas, mas sempre se reergue como uma fênix que nasce das cinzas e, com certeza, é uma fonte de inspiração para as mulheres que acompanham a série. Vale a pena conferir.

Orange is The New Black

Não tem como não se empoderar assistindo esta série! Todas as personagens são únicas, cada qual à sua maneira e a representatividade rola solta. A trama, a princípio, gira em torno de Piper Chapman, uma mulher branca e de classe-média que acaba sendo presa por movimentar de dinheiro oriundo de tráfico de drogas que fez alguns anos antes da trama central, mas, ao decorrer da série, outras protagonistas penitenciárias vão ganhando espaço na tela e no nosso coração. Detentas desbocadas e cheias de marra e companheirismo mostram o quanto uma mulher pode se fortalecer com a empatia de outras mulheres em realidades e situações iguais ou diferentes à retratadas na trama.

One Day at a Time

A série traz a história de Penelope, uma enfermeira cubana que serviu na guerra há algum tempo e que, nos dias atuais, enfrenta a batalha diária de criar dois filhos sozinha. A mãe solteira conta com a ajuda de sua própria mãe, uma ex-dançarina cubana fanaticamente apaixonada pelo seu país de origem. A filha mais velha de Penelope, Elena, dá um show de empoderamento feminino e ajuda a mãe a se lembrar, todos os dias, como é ser uma mulher forte. Problemas como o machismo e o preconceito são tratados explicitamente nos episódios, todos superados com uma dose sadia de humor.

Two Broke Girls

Na série, Max e Caroline são duas amigas que estão passando por dificuldades financeiras. Trabalhando como garçonetes, as duas se unem para abrir uma loja de cupcakes. Juntas, provam que a empatia e o companheirismo feminino podem empoderar mulheres e torná-las mais confiantes em si mesmas, mesmo com as adversidades do mundo, aprendendo que podem enfrentar qualquer situação com otimismo e determinação.

Orphan Black

A protagonista Sarah Manning é uma órfã britânica que já cometeu diversos delitos criminais e vivia escondida. Ela, porém, presencia o suicídio de uma mulher e decide assumir sua identidade, mas acaba descobrindo que essa mulher, na verdade, é seu clone. Outros clones acabam surgindo no caminho de Sarah e elas se juntam para desbancar uma grande organização antiética, além de descobrir a verdade sobre suas origens e salvar suas vidas. Os dramas vividos na série raramente são romances e ressaltam as qualidades femininas, como o quanto todas as mulheres são fortes.

Scandal

Ex-consultora de mídia do Presidente dos Estados Unidos, Olivia Pope é um exemplo de mulher poderosa, confiante e com uma carreira incrível. Ela dedica sua vida para proteger e defender a reputação da elite americana e resolve problemas antes que eles virem verdadeiros escândalos. Ela deixa a Casa Branca e abre sua própria empresa, mas, mesmo assim, não consegue se desligar do seu passado. Volta e meia, acaba resolvendo algum problema que só mostra o quanto ela é forte.

 

Unbreakable Kimmy Schmidt

Só pelo fato da série ter sido escrita por Tina Fey, uma das maiores comediantes dos Estados Unidos, já é um bom motivo para assistir. Ela narra a história de Kimmy Schmidt, uma mulher de 30 anos que foi sequestrada na adolescência por um pastor maluco e mantida em cativeiro com mais três mulheres, durante 15 anos. Depois que Kimmy e as companheiras são resgatadas, a protagonista vai viver em Nova Iorque, onde conhece novos amigos, como Titus, Lilian e Jaqueline. A série é uma comédia e traz altas críticas, de maneira irônica, ao machismo. A todo o momento é possível se inspirar na pureza e na determinação de Kimmy, além de dar várias risadas.

Drop dead diva

A série traz as histórias de Deb Dobkins e Jane Bingum. A primeira era uma aspirante a modelo e a segunda, uma advogada. Ambas morrem no mesmo dia. No céu, a modelo não aceita sua partida e tenta voltar para Terra apertando um botão. Só que, em vez de voltar ao seu corpo, acaba retornando como Jane, a advogada. Quando isso acontece, Deb, que agora é Jane, precisa aprender a viver no corpo de outra pessoa, enfrentando diversos problemas, sem abandonar a pureza do coração. É possível perceber diversas quebras de estereótipos no decorrer dos episódios. Vale a pena conferir.

Supergirl

Kara Zor-El é enviada à Terra por seus pais, antes da destruição de Krypton. Ela vem com a missão de cuidar de Kal-Ei, seu primo. Entretanto a nave que a transportava é atingida por uma onda de radiação e ela vai parar numa prisão intergaláctica atemporal. Depois de certo tempo desacordada, ela deixa a zona e alcança a Terra. É nesse momento que ela encontra o primo já crescido, o Superman. Os anos passam e a garota decide compartilhar seus poderes e dizer ao mundo quem realmente é, ajudando o seu primo a se manter seguro. Além disso, ela se divide para ajudar amigos, enquanto tenta viver uma vida normal, assim como muitas mulheres da vida real.

Jessica Jones

A personagem tem um trágico fim de sua carreira como heroína. Ainda com poderes, ela tenta sobreviver como detetive particular, lidando com casos que envolvem pessoas superdotadas na cidade de Nova Iorque. Sem deixar sua força de lado, Jones representa muito bem a determinação das mulheres. É uma excelente série para mulheres que buscam inspiração sobre empoderamento feminino.

fechar