Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Coisas que você não deve dizer a uma mãe solo

A maternidade não é uma tarefa simples e fácil para nenhuma mulher, afinal tudo muda, a rotina, o corpo, o metabolismo e as relações, ainda mais sendo mãe solo. Mas uma coisa que não muda nunca, e deveria, é a quantidade de "pitacos" que as pessoas acham ter o direito de dar na vida de uma mãe solo. Além de não ajudar em nada, esse comportamento pode afetar seriamente a saúde da mulher, por isso já passou da hora de mudarmos! Descubra as coisas que você não deve dizer a uma mãe solo e transmita mais empatia. Pode ter certeza de que você vai conseguir ajudar verdadeiramente e tornará o mundo em um lugar melhor!

continue lendo
Compartilhar

“Poxa, é mãe solteira”

Mãe segurando filho recém nascido

Mil vezes não. Ser mãe não é um estado civil. Não existe mãe solteira, mãe casada, mãe divorciada, mãe viúva. Mãe é mãe e pronto. Aprenda, de uma vez por todas, que o status de relacionamento não classifica a maternidade. E a mãe que cria o filho sozinha se chama mãe solo. Que nem voo solo, carreira solo. Solo = sozinha. OK? Memorize, para não dar mancada.

Mãe é mãe

Ter filhos é a melhor coisa do mundo. Toda mulher que sonha ser mãe fica imaginando como vai ser depois que o bebê nascer. Ela já fica preparada para encher sua cria de amor e para experimentar todas as dores e delícias da maternidade. O que nenhuma mãe precisa aguentar são os palpiteiros de plantão. Agora imagina isso com a mãe solo? Vamos listar aqui algumas dicas que jamais – nunca, never, em tempo algum – devemos dizer à mãe solo. Fica a dica.

Aprenda mais sobre os tipos de parto que existem

“Como é que você foi dar esse mole?”

Mãe segurando filho

Uma novidade que pode chocar apenas os desavisados: nem toda mãe solo engravidou por “acidente”. Pode ter sido um planejamento, no qual um pai presente não estivesse incluído. E mesmo que tenha sido uma gravidez inesperada, não cabe a nós julgar o que cada um faz da vida. Experimente estender a mão, em vez de apontar o dedo.

“O pai paga pensão direito?”

Mãe e filha posando para foto no meio da rua

Não seja essa pessoa! Não é da nossa conta a trajetória dessa mãe. Se o pai da criança paga em dia, se ela não precisa de pensão, se ela fez “produção independente” e o pior: se ela está numa via-crúcis para receber o que lhe é de direito. A última situação é ainda mais vexatória e pode trazer à tona uma série de mágoas e angústias. Não invada o sofrimento de alguém.

“Nossa, mas ele(a) não se parece nada com você. Cadê o pai pra gente ver?”

Mãe e filha sentadas em campo de trigo

Já reparou que todas essas frases, perguntas ou opiniões são sempre deselegantes? É bastante desagradável dizer isso a uma mãe solo, que é solo por motivos que não nos dizem respeito! O contrário também é igualmente deselegante, pois sempre vai levar a uma comparação com um pai que, por alguma razão (que também não é da nossa conta), é ausente ou não existe.

 

“E quem está com a criança agora?”

A mãe acaba de topar com alguém num barzinho, festa ou mesmo passeando pelo shopping sem a cria. A primeira coisa que perguntam é isso. Quem disse que mães não podem se divertir sem os filhos? E no caso da mãe solo, parece que é um consenso: ela não tem direito a nada. O mais engraçado é que essas pessoas depois vêm dizer que ela precisa se cuidar mais, se distrair... A dica é simples: se não tem o que dizer, fique calado. E vida que segue.

Desconstrua sua visão sobre a maternidade

“Passar por uma gravidez sozinha deve ser barra, hein!”

Mulher grávida

Em primeiro lugar, quem disse que essa mãe vai passar a gravidez sozinha? E se ela tem uma rede de apoio que dispense o pai da criança? Pessoas que vão acompanhá-la nos exames, que vão dar todo suporte emocional e físico (aliás, você poderia ser uma delas, hein!). E se essa mãe realmente for passar por isso sozinha, essas palavras podem machucar. Não seja desnecessário.

“Você não sente falta de um marido, companheiro, namorado...?”

Gente! Por mais que sejamos íntimos da pessoa, essa é uma pergunta que não devemos fazer a ninguém, tampouco a uma mãe. Se ela sente falta ou não de um parceiro, amigo, namorado, amante, não é da nossa conta e isso não interfere na maternidade. Além de as mulheres serem capazes de tudo, repita este mantra: “Não é da minha conta”.

fechar