Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Amanda Nunes

Amanda Nunes, nascida em Pojuca no dia 30 de maio de 1988, é uma lutadora brasileira de artes marciais e campeã brasileira da categoria peso-galo feminino e peso-pena do Ultimate Fighting Championship. Além de ser a primeira atleta brasileira a conquistar um cinturão nas categorias, Amanda também é uma das poucas lutadoras homossexuais assumidas no esporte e a primeira atleta gay do UFC. A Leoa começou a lutar com apenas 16 anos, sempre sendo incentivada pela mãe, que também acompanhava o tio de Amanda em lutas de vale-tudo. Determinada e dedicada, ela está sempre pronta para trazer novos cinturões para o Brasil. Conheça algumas curiosidades e frases ditas pela grande lutadora!

MMA

Amanda começou sua carreira nas artes marciais mistas em 8 de março de 2008, no Prime MMA Championship 2. Ela foi derrotada por Ana Maria no primeiro round. Depois venceu cinco lutas seguidas por nocaute e fez sua estreia no Strikeforce em 2011. Após isso, ainda acumulou muitas vitórias na modalidade.

UFC

Já no UFC, sua estreia foi no octógono contra Sheila Gaff, no UFC 163, em agosto de 2013. Ela venceu por nocaute técnico no primeiro round e tornou-se a primeira brasileira a vencer no UFC. Passou por muitas disputas desde então e tem marcado seu nome na história da modalidade.

Ser forte

Amanda Nunes

“Você precisa ser forte e estar preparado para tudo, porque MMA não é uma piada.”

Fantástica

Após nocautear Holly Holm aos 4m10s do primeiro round em Las Vegas, em julho de 2019, Amanda declarou como se sentia ao conquistar o cinturão:

"Me sinto fantástica. Muita gente fala que o que acontece em Vegas fica em Vegas, mas esses cinturões vou levar para casa."

Sentimento único

Ainda sobre levar o cinturão para casa em julho de 2019, Amanda Nunes também declarou como se sentiu após suas 11 vitórias por nocaute ou finalização:

"Eu sou a melhor de todos os tempos. Ah, velho, ela teve duas chances. Em nenhuma das duas ela provou nada... Eu queria isso. Eu queria chegar a todos os rounds com uma menina duríssima como ela para me testar."

Amor entre lutadoras

Em entrevista, Amanda Nunes contou que ela e sua namorada, a também lutadora Nina Ansaroff, sempre assistem uma à outra nas noites anteriores às lutas para se certificarem de que está tudo bem:

"A luta começa no próprio sonho, porque a gente não consegue se desligar, fica agitada", disse Amanda.

Primeira lutadora homossexual

Em entrevista, Amanda Nunes declarou como se sente ao ser a primeira campeã de UFC assumidamente homossexual:

“É incrível (ser a primeira campeã gay), sou feliz comigo mesma. É isso que importa.”

Como tudo começou

Em entrevista, Amanda contou como conheceu sua namorada, a também lutadora Nina Ansaroff:

“Nina apareceu do nada, como uma amiga minha, e começou a treinar comigo. Começamos a treinar, e eu falei: ‘Essa menina vai me ajudar’, porque eu nunca tinha treinado com uma mulher. A gente começou a sair e aí começou a namorar, então tive que separar um tempo pra mim, aproveitar minha vida, não só pensar em treinamento, sair com minha namorada e assistir a um filme, passear num parque e brincar com meu cachorro.”

Gratidão

Em entrevista coletiva após ganhar o cinturão por vencer Holly Holm por nocaute no UFC 239:

“Estou muito feliz com a minha vida. Minha trajetória até aqui é muito legal de ser vista. O recado que eu gostaria de deixar para as meninas que querem entrar para o MMA é que nunca deixem de acreditar em vocês mesmas. Encontrem uma boa academia para que isso seja feito da maneira correta”.

Motivação

Em entrevista, foi perguntado a Amanda sobre de onde tira a motivação para seguir no topo das categorias em que luta. Sua resposta foi direta:

"Continuar fazendo história, o MMA é feito para isso. É você sozinha tentando passar por todos os obstáculos que a vida vai mostrando. Vai conquistando as coisas para você ter memórias, e falar para os filhos. Para provar para mim mesma, ajudar outras pessoas, para olharem para mim e pensarem: 'Poxa, a Amanda conseguiu, eu também posso'. Só basta acreditar e continuar. Tenho vontade e fome de continuar fazendo história. Claro, com os pés no chão, mantendo a cabeça no lugar, é isso que me trouxe até aqui. Ser positiva, e é isso, manter o cinturão que é o mais importante, os dois (risos). É um momento muito importante na carreira, que bom que estou conseguindo dividir com todo mundo. Com os fãs, com a mídia, a minha família, meu time, bem legal."

Mãe

Antes da Amanda Nunes se tornar lutadora profissional, ela tinha um tio que lutava vale-tudo, e a mãe dela sempre o acompanhou e o auxiliou em tudo. Por esse motivo, ela sempre apoiou Amanda a lutar.

E não para por aí

Em entrevista ao “The Noite”, Amanda declarou que sua mãe também não aceita derrotas, chegando a ficar sem falar com a filha por um dia ou mais quando ela perde. A lutadora ainda disse que, quando se machuca durante as lutas, sua mãe fica brava e diz que ela não deveria ter deixado aquilo acontecer.

Cinturão para o Brasil

Em entrevista ao “The Noite”, Amanda comentava sobre sua vitória no ano de 2016 contra a campeã de UFC, Miesha Tate. Durante a fala, ela comentou sobre uma conversa que teve um dia antes com sua mãe:

"Um dia antes da luta, eu falei com ela, e ela falou: 'O primeiro [round] é seu, eu não quero ver a Miesha nessa luta, você vai dominar do início ao fim'. Então eu disse para ela: ‘Ppode deixar, esse cinturão eu vou levar para o Brasil."