Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Ana Karolina Lannes

Com a carreira iniciada em novelas da Rede Globo, Ana Karolina Lannes colocou o seu nome no mundo ao interpretar a filha a vilã Carmina, em Avenida Brasil. Depois disso, a atriz ainda participou de alguns projetos, mas não seguiu a carreira de atriz durante a adolescência. Rodeada de polêmicas, Ana foi criada por seus tios, um casal homossexual, e ainda se assumiu lésbica aos 18 anos de idade, mas sempre mostrou muita confiança em si mesmo e em seus pais. A atriz é ativista e luta pela causa LGBT, além de ter um belo discurso sobre amor-próprio a favor do seu corpo. Continue lendo e conheça mais sobre a história dela, além de algumas frases e pensamentos!

11/05/2000
continue lendo
Compartilhar

Como tudo começou

Ana Karolina Lannes é gaúcha e estreou na televisão em 2007, como atriz mirim na novela Duas Caras, da Rede Globo. Ela também atuou em Ciranda de Pedra, da mesma emissora, e, em 2012, viveu a personagem Ágata, filha da vilã Carminha, em Avenida Brasil. Em 2013, ela também fez uma participação no filme Minha Mãe É Uma Peça, como a versão criança de Marcelina.

Leia frases da inesquecível novela Avenida Brasil

Carreira

A atriz não participou de outros trabalhos cênicos após 2013, mas ingressou na Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) para estudar artes cênicas e também tornou-se DJ.

Sua história

Órfã desde muito nova, a atriz foi criada pelos tios, que formam um casal gay. Em uma entrevista no programa Encontro Com Fátima Bernardes, Ana Karolina Lannes comentou que sempre foi comum para ela ver os tios como um casal e que, no início, o namorado de seu tio apenas os visitavam algumas vezes na semana, até que ela pudesse se acostumar com a ideia e então pudessem realmente morar juntos.

Atriz homossexual assumida

Ana Karolina Lannes

"São poucas as atrizes que são assumidas, porque elas têm muito medo de rejeição. 'Ah, dizem que uma sapatão não pode fazer um papel hétero. Quantos anos já faz que essas atrizes têm essa sexualidade? Desde sempre. E por que agora? Porque agora a gente está tendo uma voz que vai contra uma voz que está nos difamando e nos ameaçando”.

Pessoas que a aceitam

Ana Karolina Lannes

“Na época da escola, uns moleques pegavam no meu pé quando eu não queria ficar com eles, mas só. Não sofro preconceito, mas ele existe. Eu só ando com pessoas que eu sei que vão me aceitar do jeito que eu sou".

Ativista

Ana Karolina Lannes

"Hoje em dia, eu sou muito mais ativista. Aqui em Campo Grande, vou na Parada Gay, tenho um trabalho com a casa que abriga homossexuais despejados de casa. É uma causa muito linda. Eles fazem sarau, eu toco e canto. A casa em que eu toco (como DJ) é uma casa LGBT. Sempre que eu posso, eu divulgo as drags".

Sobre assumir a homossexualidade

Ana Karolina Lannes

"Nunca escondi, mas também nunca falei com todas as letras. Até por causa dos meus pais, porque eu sei da exposição que isso causaria para eles. Mas eu acho que agora cada um está tendo a sua vida. Eu sou lésbica, e não é porque eu fui criada por pais gays. Esse julgamento é o meu maior medo"

 

Quando ela contou

Ana Karolina Lannes

"Contei um pouco antes de sair de casa. Eles tiveram uma reação um pouco controversa. O medo deles seria de eu passar por coisas ruins, como as que eles devem ter passado. Eles me apoiam, perguntam se eu estou namorando e respeitam as minhas escolhas”.

Amor-próprio

Em uma publicação em seu Instagram, a atriz postou uma foto de biquíni e falou sobre como se sente em relação ao seu corpo:

“Pra quem não postava foto de biquíni, foto sentada, então, nunca pensei. Nessas férias eu resolvi ser mais amorosa comigo mesma, entender os meus conflitos, as minhas crises e aprender a aceitar o meu jeitinho louco interno e externo!”.

Aceitação

Ana Karolina Lannes

“Eu sempre me aceitei em relação a tudo: meu corpo, minha sexualidade. Sempre respeitei minhas decisões e meus pais também. Tive mais sorte que a maioria da comunidade. Eu não sofri discriminação em casa, recebi apoio. Talvez essa tenha sido a contribuição da sexualidade deles”.

Críticas da mídia

Em entrevista ao UOL, em 2013, Ana Karolina Lannes disse que enfrentava preconceitos e fofocas por ser criada por um casal homossexual. Ela se emocionou ao dizer:

"Chorei ao ouvir um locutor do Rio criticar meus pais. Falou da minha vida, me magoou, disse que eu seria uma criança frustrada, com problemas psicológicos pois não era normal uma criança, desde pequena, ter pais homossexuais. Que seria prejudicial para saúde e que era inevitável que eu fosse lésbica. Ainda colocaram entrevistas com pessoas com a mesma opinião. Não é justo o que fizeram comigo".

Como se sentiu

Durante uma entrevista no Encontro Com Fátima Bernardes, Ana Karolina lembrou sobre quando as rádios iam às ruas perguntar sobre o que o público pensava a respeito de a atriz ter dois pais:

“As pessoas são muito antiquadas, não estão acostumadas a ver uma família com dois pais. As rádios começaram a sair na rua pra perguntar para as pessoas o que elas achavam da minha vida. Teve uma mulher que falou que eu seria lésbica simplesmente porque meus pais gostam de homem”.

fechar