Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Whatsapp Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube 9 Giga Up

Primeira Viagem à Lua

Em 20 de julho de 1969, Neil Armstrong e sua equipe colocavam os pés pela primeira vez na Lua. E ali se concretizava um dos maiores sonhos da humanidade.

O Grande Dia

No dia 20 de julho de 1969, domingo, Neil Armstrong, na época, um piloto de testes de aviões e seu companheiro de viagem Edwin Aldrin, piloto de jatos da força aérea dos EUA, ambos com 38 anos, pisaram pela primeira vez na Lua. A viagem foi feita através da nave Apollo 11, que mais tarde cedeu o nome ao evento que foi o maior espetáculo da história humana documentada.

Transmissão

Cerca de 850 jornalistas de 55 países, falando 33 línguas diferentes, registraram o acontecimento. Cerca de 1 bilhão de pessoas (uma em cada 4 pessoas) viram pela TV quando, às 23:56h do dia 20, o comandante Armstrong, ergueu o pé esquerdo e marcou o solo da Lua.

Frase

"Este é um pequeno passo para o homem, um gigantesco salto para a humanidade". Isso foi dito por Armstrong e ficou marcado como a frase símbolo da conquista do Cosmo.

Pegada

A foto da pegada também é contraditória. Para que se forme no solo uma pegada tão bem definida com esta, é necessário umidade no ar. Na Lua não existe ar e muito menos umidade. A pegada se desmancharia logo após o astronauta tirar o pé do solo.

Nave

Estava enfim preparado o caminho para a Apolo 11, uma pequena nave de 45 toneladas, composta de um módulo de comando, serviço e lunar. Ela foi lançada no bico do maior foguete já construído, o Saturno 5, de três estágios e 110 metros de altura, mais alto do que um edifício de 35 andares.

Pés do Módulo

Os pés do módulo que pousou na Lua parece não afundar o solo areado, mesmo o transporte pesando toneladas, enquanto o pé do astronauta ficou claramente afundado e marcado na poeira lunar.

Frango Assado

Durante o trajeto, os astronautas usaram uma técnica para impedir que metade da nave - a que estava voltada para o Sol - literalmente torrasse e a outra se congelasse. Com uma leve ignição dos foguetes auxiliares, eles faziam-na girar lentamente em seu próprio eixo, como um frango assado no espeto. Com o auxílio do computador de bordo, a Apolo executava um movimento de rotação de 3 décimos de grau por segundo, o que significava uma volta completa a cada 20 minutos, para que o calor e o frio se distribuíssem de maneira uniforme por toda a sua superfície.

Combustível

Assim que Armstrong posou na Lua faltavam menos de 30 segundos para que o combustível da nave acabasse.

Luna

Dois dias antes da partida do Apollo 11, uma nave soviética, a Luna 15, perdeu-se em algum lugar entre o planeta e o satélite. Mas a nave não era tripulada. Até hoje não se sabe o que aconteceu com a Luna.

Sol

Esta outra foto foi tirada totalmente contra a direção do Sol. Se fosse aqui na Terra, a foto sairia queimada. Na Lua, a foto queimaria mais ainda, já que não há atmosfera e a luz do Sol entra com mais rigor.

Perguntas Soltas

Ainda muitas perguntam ficam e ficarão soltas para serem respondidas:

1) Como conseguiram manter no espaço as baterias durando tanto tempo sem uma fonte para recarregá-las?

2) Pelo tamanho do Módulo Lunar, dificilmente existiria nele combustível suficiente para colocá-lo em órbita. Como foi feita essa operação?

3) O homem só teria ido à Lua por seis vezes, exatamente durante a gestão de Richard Nixon, num prazo de três anos. Após isso, nunca mais o homem teria voltado à Lua. Por quê?

Cabe a você decidir se acredita ou não. Pesquise mais e tire suas próprias conclusões.

Saudações

Os dois astronautas passaram 2 horas e 10 minutos na Lua. Juntamente com eles havia uma placa comemorativa. Armstrong então leu em voz alta: "Aqui, homens do planeta Terra pisaram na Lua pela primeira vez. Nós viemos em paz, em nome de toda a humanidade". O texto levava a assinatura dos três tripulantes e a do presidente Richard Nixon que os parabenizou ao vivo da Casa Branca através do rádio de comunicação. A dupla ainda ficou a bandeira do Estados Unidos no solo lunar.

Partida

A saída da Terra se deu no dia 16 de julho do mesmo ano. Um milhão de pessoas acompanharam o espetáculo com câmeras e binóculos no Cabo Canaveral, que mais tarde, passou a ser chamar Cabo Kennedy, onde ocorrem até hoje a maioria dos lançamentos espaciais americanos.

Ausência de Luz

No início da foto, já há evidências de fraude. Esta é a foto de abertura da página e é a que foi encontrada o maior número de direções de sombras. Para ficar mais fácil a visualização das direções das sombras, foi desenhada uma reta vermelha para cada direção encontrada. Há, no mínimo, 4 direções diferentes de sombras, num local onde a única fonte de luz é o Sol e todas as sombras deveriam estar numa mesma direção. E não há desculpa de se ter tirado a foto com ausência de luz solar (noite, na Lua) se recorrendo ao uso de uma iluminação artificial, pois, no fundo esquerdo da foto, há incidência de luz solar, de cima para baixo, no Módulo Lunar.

Há Tempos

Aquela viagem vinha sido cogitada desde o final da II Guerra em 1945. Os vencedores, Estados Unidos e União Soviética, começaram a disputar a famosa corrida espacial. A União Soviética saiu na frente com o lançamento do primeiro satélite artificial, Sputnik.
Em 12 de abril o russo Iúri Gagárin completou o primeiro vôo orbital tripulado e até então havia se tornado o primeiro humano a ver o planeta do espaço. Gagárin informou: "A Terra é azul." E então o líder soviético Nikita Kruschev lançou o desafio: "Que os países capitalistas tentem alcançar-nos". Os americanos aceitaram.

Controvérsias

Há quem duvide da ida ao homem à Lua. Muita gente acha que toda a população foi enganada e que os EUA fizeram isso apenas para impressionar a União Soviética. Algumas fotos foram acusadas de ser fraudes e foram reproduzidas aqui mesmo na Terra.

Sombra

Veja mais uma foto que mostram sombras em mais de uma direção. Mais um detalhe: o que são as luzes existentes no canto superior esquerdo destas fotos? A NASA afirma que não se trata de iluminação artificial são apenas brilhos que incidem nas lentes da câmera fotográfica e os refletem no fundo do interior da câmera, causando este "defeito visual" no filme, também encontrado em diversas outras fotos. Agora, note como são perfeitas as definições de sombra na roupa do astronauta Edwin Aldrin sendo que, na Lua, não há refração da luz. Ou seja, não existe penumbra.

Bandeira

Uma das fotos mais famosas do evento é esta com a bandeira do EUA tremulante. Como pode balançar há a ausência de vento na Lua. Segundo à NASA isso se deu ao vento solar existente. Mas, será que o Vento Solar tem a capacidade de balançar uma bandeira com tamanha força?

Estrelas

Outro ponto que torna a história ainda mais controvérsia é a falta de estrelas no fundo das fotos. A Lua não possui atmosfera, isso faria com que as estrelas tivessem um brilho intenso no satélite, mas em nenhuma foto as estrelas apareceram. Segundo a NASA, as estrelas foram ofuscadas pelo intenso brilho do Sol.

Iluminação

O britânico David Percy, fotógrafo profissional, expõe como argumento que a iluminação das fotografias das missões Apollo só se poderiam conseguir num estúdio da Terra. Também diz ter um informador da Nasa, que filtrou informações sobre a fraude. Outros afirmam que a Nasa não contava com o tempo suficiente para desenvolver a tecnologia que poderia levar os homens a Lua. A isto soma-se outra duvida: por que não voltaram a enviar outra missão?

Contaminação

Após oito dias sem tomar banho, os tripulantes vestiram um traje à prova de contaminação antes de descer da nave aqui na Terra. Era uma precaução para que nenhum possível micro-organismo lunar prejudicial aos terrestres entrasse em contato. Após isso ficaram em quarentena por alguns dias.

Acontecimento

Passados vinte anos, nunca mais houve um acontecimento na história da conquista espacial de impacto comparável à ida na Lua, à exceção da tragédia da Challenger em janeiro de 1986. A ida à Lua, vista na perspectiva do tempo, representa acima de tudo o triunfo da vontade humana.