Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Vitor Kley

Se você tem o costume de ouvir a rádio enquanto dirige ou até em casa mesmo, conhece um dos maiores hits de 2018: O Sol. Vitor Kley é o responsável pela música que viralizou no ano passado. Saiba o que o cantor com cara de surfista pensa sobre vários assuntos!

continue lendo
Compartilhar

Não sou um artista de uma música só

Tem gente que quer me assassinar de tanto que O Sol toca nas rádios, dizem que não aguentam mais e muitos falaram que queriam ver se eu era um cara de uma música só. Morena prova que eu tenho conteúdo sim e que não sou um cara de uma música só. Já ouvi várias vezes! Os haters são quem fazem a gente se puxar mais. Sei que tenho músicas com muito potencial, mas respeito é sempre bom.

Ossos do ofício

Hoje tenho o dobro de shows que eu fazia antes, mais programas de televisão, mais fãs. Claro, eu sinto falta de surfar, às vezes não durmo direito, mas faz parte, sou muito feliz com o que faço, minha maior paixão é a música.

Sucesso O Sol

Muita gente acha que na música O Sol me refiro a uma menina, e eu fico feliz com essa ambiguidade. Na real, eu estava voltando de uma tarde de surfe e resolvi escrever uma carta para o sol. A canção sou eu conversando com o sol e dizendo o que acho dele.

Conheça mais sobre Pablo Vittar!

Início na música

Minha mãe me ensinou a tocar aos 9 e aos 10 ela já me colocou num curso de música. Foi aí que comecei a compor e inventar minhas próprias canções.

Referências musicais

Sempre tive boas influências dentro de casa, meus pais sempre ouviram Beatles, Queen, entre outras bandas, ou seja, desde pequeno meu ouvido já era acostumado a ouvir sons que tinham violão.

Relação próxima com os fãs

A gente tem que saber valorizar isso. Eu tenho essa sensação de que eu preciso sempre ficar mais perto dos meus fãs e isso é bom para me manter com o pé no chão, ter humildade sempre.

 

Caminhada tranquila

Perrengue mesmo não passei, nem dificuldade. Foi uma caminhada muito boa para mim. Era um prazer tocar em boteco, correr atrás de me tornar um hit e tal.

Troca de papéis

A gente como filho também tem essa função. Eles nos dão tudo e quando começa a chegar certa idade, as energias começam a se esgotar. A vida vai nos pregando peças. Temos que ser a fortaleza para ele, é o momento em que posso retribuir, levar para o show, até pare ele ver que me criou e meu irmão. Mas é muito massa porque acredito que a vida nunca erra, põe obstáculos para a gente ultrapassar, criar forças e ser muito maior do que quando começamos.

Fama veio na hora certa

Como comecei muito novo, foi no tempo certo. Sou tranquilão mesmo, sou grato por ter começado muito novinho e ter dado certo só agora porque é só agora que me sinto preparado para ser exemplo para as pessoas, para passar uma mensagem boa.

Viver aqui e agora

A gente está na correria do dia-a-dia, mas não pode deixar a vida passar, a gente tem que respirar, a gente tem que viver, aproveitar a vida.

Influência musical

Acho que hoje falta algo na música… Tem muita gente boa tecnicamente, mas que não sabe falar o que a música quer dizer. A música é um poema cantado. E quando escuto o Cazuza eu sinto o que ele queria dizer!

Objetivo é tocar as pessoas

Acho que minha missão é por aí. Quanto mais eu puder estar conectado, seja com quem eu conheço, seja com quem eu ainda não tive a oportunidade de conhecer... Isso é sucesso para mim, não importa se tem cem, dez milhões [de visualizações/streaming]. Para mim o que importa é isso. Essa conexão que eu criei com as pessoas, com sua família, seu filho. Não há preço que pague isso. É muito gratificante.

Pai, jogador de tênis, é sua referência

Ele sempre falou para nós: ‘a vida é agora, tem que viver mesmo, sair, viajar, ir atrás das coisas’. Ele usava algumas metáforas dos jogos, dizendo que ele jogava e mesmo com o joelho destruído, sujo de saibro, tinha que correr para os lados. E por isso eu e meu irmão temos muito isso. Estamos sempre melhorando os shows, evoluindo nas músicas, como se fosse uma partida.

Influenciado pelo esporte

Todo dia eu me lembro do esporte, está presente em nossa vida. Desde o grito de guerra antes de subir no palco, até quando estou compondo uma música que é o meu treino. Estou sempre buscando conhecimento, inspirações novas, a horado palco é o jogo. É a banda aqui e o público ali, mas não existe oponente, é uma conexão para jogarmos juntos.

fechar