Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Ana Paula Arósio

Começou a carreira bem cedo, como modelo e atriz de comerciais de TV. Depois disso, foi só evoluindo: filmes, novelas na Globo e no SBT e minisséries. Ana Paula diz o que pensa sem rodeios ou medo de críticas negativas, mostrando a sua personalidade como ela é.

16/07/1975
continue lendo
Compartilhar

Curtir a vida

Ana Paula Arósio

Desde menina eu queria parar de trabalhar ce­do para curtir a vida. É comum ouvir: `Quando eu me aposentar, vou...´, mas aí a pessoa está cardíaca, diabética, não consegue andar e gasta todo o dinheiro que juntou com hospital. Quis gastar comigo antes disso.

Um passo de cada vez

Ana Paula Arósio

Esse foi o papel [Lady Macbeth, de "A Floresta que se Move"] que fez eu voltar a me apaixonar pelo ofício. Aprendi que, pela minha saúde, é melhor fazer uma coisa de cada vez. Mas aí aparecem esses papéis e a gente não resiste.

Ter filhos

Ana Paula Arósio

Nós somos criadas para isso. Você cresce ouvindo a história do príncipe encantado, que você vai casar e ser feliz pra sempre e vai ter um monte de filhos. Conforme você vai crescendo, vê que a coisa não é exatamente assim. Hoje em dia, eu acho que a gente tem que trabalhar muito antes, tem que pensar muito. Filho é uma coisa muito definitiva.

Sobre Lady Macbeth, de "A Floresta que se Move"

Ana Paula Arósio

A gente já começou a conversar sobre o personagem, sobre o filme, sobre as coisas que ele pensava, assim em termos de imagem e interpretação. Eu já tinha o roteiro na mão. A gente já começou a fazer umas leiturinhas. Então foi bem gostoso, assim. Acho que foi um jeito suave de começar a trabalhar o personagem. Foi importante a gente ter esse tempo para conversar, para dar um pouco de risada antes da pedreira, sabe? Porque depois começou. É um personagem quase irrecusável. Ter o privilégio de fazer esse personagem é muito bom.

 

Memórias emotivas

Ana Paula Arósio

Eu não uso as minhas memórias emotivas para os personagens. Eu gosto de criar as memórias deles. Mas o personagem vai te abrindo os olhos para as suas coisas, por exemplo algumas situações, você fala: "nossa, já fiz isso" ou "nossa, já e senti assim".

fechar