Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Carol Celico

Empresária, cantora, mãe de dois filhos e ex-mulher do jogador Kaká, a socialite Carol Celico já foi pastora e agora aposta em seu site, abordando temas como moda, gastronomia, viagens, decoração e lifestyle. Conheça um pouco mais sobre esta linda mulher.

27/07/1987
continue lendo
Compartilhar

Verão

Carol Celico

Acho que estou me preparando para o verão há muito tempo. O branco é uma cor que vai cair muito bem nessa estação, por que transmite leveza. Só que nada é proibido, lógico que também pode se usar preto.

Fundação Amor Horizontal

Carol Celico

É uma maneira de se referir ao ‘amor ao próximo’. Amor vertical é o de Deus para nós. As pessoas serão direcionadas a sites associados. Lá, comprarão alimentos e produtos de higiene para doação. Ninguém me dará dinheiro. O próprio parceiro fará a entrega.

Interesses

Carol Celico

Eu me interesso por religião desde criança, ganhava bíblias de presente quando pequena. Estudei o budismo, tenho judeus e espíritas na família. Sempre gostei também de leitura de mão, feng shui, tudo.

Religião

Carol Celico

Eu achava que a minha igreja estava sempre certa e quem não estava nela não tinha Deus, era um pecador. Só que está errado. Sei que as religiões, quando são uma instituição, precisam de um sistema administrativo, de regras, doutrinas.
Mas não acredito que o caminho para ter Deus seja a oferta, o dízimo, o jejum, nada. Isso até afasta as pessoas Dele. Quando percebi, amava mais o local da igreja, o pastor, do que Ele.

Decisão

Carol Celico sobre a mãe

Quando mudei para a igreja evangélica, foi a minha vez de dizer que o que ela fazia era errado. Ela se assustou bastante com a minha decisão. Queria me proteger, mas ficava nervosa. Brigamos muito. Até quebrei os santos da casa onde morávamos.
Por cinco anos, nossa relação ficou distante.

 

Envolvimento

Carol Celico

Meu envolvimento com a Renascer sempre foi maior do que o do meu marido. Ele, inclusive, me falava para tomar cuidado com a minha entrega. Mas sou muito intensa. Acabei virando pastora, entrei para o ministério e abri uma igreja em Milão. Em 2009, comecei a fazer questionamentos.

Futuro

Carol Celico

Quero investir na vida profissional, trabalhar para tornar meu site pessoal uma referência em conteúdos sobre maternidade, psicologia, dia a dia da casa, bem-estar, viagens.

Filhos

Carol Celico

Não pretendo mais ter filhos. A maternidade é maravilhosa, mas acaba com a intimidade do casal. Quando a gente sai para jantar, o assunto é filho. Tudo gira em torno das crianças.

Crises que vem para o bem

Carol Celico

Eu tinha 18 anos quando casamos, um pouco fora da curva. Qualquer relacionamento, seja de um ano ou 10, tem crise. E toda crise pode vir para o bem. Aproveitei para surfar a onda e amadurecer como pessoa e no relacionamento. A gente tem crise todos os anos, isso é normal. Está tudo lindo agora e depois da tempestade vem o sol.

Criança

Carol Celico

Gosto de criança com cara de criança, mas mas ao mesmo tempo quero que eles estejam mais elegantezinhos. Então combino cores, acho lindo tom pastel pra criança.

Personalidade

Carol Celico

Eu cresci no meio da moda por causa da minha mãe, ela trabalhou quase 30 anos na Dior, então, eu cresci com essa responsabilidade de entender o que está acontecendo, ao mesmo tempo eu sou muito equilibrada, pé no chão naquilo que exagero, aquilo que sai do estilo. E às vezes acho que é uma maneira de deixar nossa personalidade falar mesmo.

Mãe

Carol Celico

Minha mãe sempre me criticou por tudo. Na cabeça dela, estava me ajudando. Na minha, ela nunca estava satisfeita comigo.

Sensualidade e elegância

Carol Celico

Eu procuro ser elegante e sensual ao escolher minhas roupas. Acho que as duas coisas juntas são totalmente possíveis. A sensualidade está no comportamento e na atitude da mulher, e não na roupa que ela veste.

Baque

Carol Celico

Foi um baque perceber que estava querendo agradar mais a pessoas do que a Deus. Olhando as atitudes dos meus líderes, percebi situações em que a palavra não
condizia com a atitude. Na igreja, eu era superheroína da fé,
superpastora, mas chegava em casa tratava mal a pessoa que trabalhava para mim.

fechar