Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Telegram Copy Up Check

Siga-nos

Matheus Fagundes

Aos 11 anos, Matheus Fagundes iniciava sua carreira de ator no cinema. Logo depois, mostrou o seu talento em diversos outros trabalhos, inclusive chegou a vencer prêmios de melhor ator. Conheça sua trajetória!

23/06/1997
continue lendo
Compartilhar

Filme “Ausência”

Matheus Fagundes

Eu me senti muito satisfeito e realizado com o que eu vi, mas não esperava que ele fosse ganhar dois prêmios de melhor ator, que o filme fosse entrar no Festival de Berlim e seria exibido lá em três sessões lotadas. Eu também não esperava todo esse carinho que as pessoas me dão depois de assistir o filme, e isso tudo é muito bom. Estou muito feliz e orgulhoso.

Trabalhar com Adriana Esteves

Matheus Fagundes

Ela é uma pessoa fantástica e uma atriz maravilhosa. Só tenho elogios porque nós criamos uma parceria muito boa, tanto dentro quanto fora de cena, nos demos muito bem. Eu admiro muito a pessoa que ela é, os trabalhos grandiosos na televisão e no cinema. Foi uma oportunidade que eu quero que se repita mais e mais vezes.

 

Colégio São Luís

Matheus Fagundes

O Colégio São Luís é muito bom porque ele não forma apenas alunos, ele forma cidadãos. Me ajudou em muitas coisas como a formação que eu tive, o aprendizado. As coisas que eu vivenciei lá vou levar comigo para o resto da minha vida. A oportunidade de ter estudado lá foi outro presente.

Por que não seguiu a carreira de jogador?

Matheus Fagundes

Eu acabei optando pela carreira de ator, então, em um determinado momento, eu acabei largando o futebol. De 14 para 15 anos, eu decidi que eu não ia mais jogar bola. Pode ser que, se eu tivesse continuado, talvez eu já estaria em algum clube, não sei também. Não que não deu certo, eu não dei uma sequência. O futebol não acabou rolando e passou a ser um hobby, não um sonho, uma profissão.

Ganhador de dois prêmios de melhor ator

Matheus Fagundes

Um prêmio é muito bom! Ter o seu trabalho reconhecido. Você ser premiado pelo seu trabalho é um sonho incrível! Eu tive o privilégio de ter essa sensação aos 17 anos de idade. Para mim é uma novidade, e fiquei muito feliz, lógico, estimula e mostra que você está no caminho certo. Um prêmio não é garantia de nada, é o reconhecimento de um trabalho.

Como lida com a exposição

Matheus Fagundes

Eu procuro não pensar muito nisso não. Se precisar eu pego o metrô, o ônibus. Rola um reconhecimento nas ruas, mas não fico nessa de “como reagir”, “o que fazer”. Eu adoro. As coisas vão acontecendo naturalmente e eu vou me adaptando.

Prêmio de melhor ator em 2014

Matheus Fagundes

Ganhar o prêmio de melhor ator no festival de Cinema do Rio foi mais um sonho que se realizou na minha vida. Eu não imaginava que iria ganhá-lo, pois estava concorrendo com atores consagrados. Tinha uma leve esperança, já que havia sido indicado. Fiquei muito feliz quando soube, foi o ápice de uma emoção.

Primeiros trabalhos no cinema

Matheus Fagundes

Em tudo o que a gente faz podemos tiramos algo de aprendizado. Foram meus dois primeiros papéis no cinema e eu era muito novo, então eu via mais como uma diversão naquela idade do que como profissão. Mas mesmo assim, são trabalhos que eu pude criar um repertório para exercer a minha função hoje e que me acrescentaram muito.

Visita à Berlim

Matheus Fagundes

Eu achei incrível. Fiquei encantado com a cultura, a comida e com as pessoas. Berlim me encantou de uma tal forma que eu quero voltar o mais rápido possível. É uma cidade cheia de histórias, que mistura o novo com o antigo. Eu gostaria de ficar pelo menos um mês lá para descobrir mais coisas sobre o holocausto, visitar os campos de concentração.

A dificuldade de se tornar jogador

Matheus Fagundes

Eu acho, para ser bem sincero, que no futebol tem uma máfia. Existem grandes talentos espalhados pelo Brasil. Meninos que, se fossem trabalhados virassem jogadores brilhantes pela Europa, mas faltam melhores oportunidades. A concorrência é muito grande, então, não tem como ver todos os que jogam bola no Brasil. Eu acho que é um meio mais fechado. Tem que ter sorte, tem que ter alguém pra te ajudar.

Início da carreira de ator

Matheus Fagundes

Quando as oportunidades começaram a aparecer, eu vi que era isso o que eu realmente queria para mim. Depois de escolher essa profissão, comecei a estudar atuação no Ateliê de Artes e Ofícios, onde continuo até hoje e não pretendo parar. Mas eu primeiro trabalho profissional foi em 2007, no curta-metragem “Bicho”, do diretor Vitor Brandt.

Papéis preferidos

Matheus Fagundes

Não digo o preferido porque todos os papéis eu faço são com a mesma entrega e dedicação, mas o Serginho foi o que me exigiu mais tempo por ser o protagonista. O filme é o Serginho, então, foi o que me exigiu mais trabalho. Mas o meu preferido são todos.

Se não fosse ator, seria jogador de futebol

Matheus Fagundes

Todo menino tem o sonho de ser jogador de futebol. É uma coisa até cultural, e comigo não foi diferente. Meu pai sempre me influenciou, sempre me levou para fazer testes. Não cheguei a jogar em nenhum clube de fato, mas joguei em centros de treinamentos. Em 2012, fui para a Itália jogar bola com um grupo de amigos. Passei 15 dias. Eu jogava de lateral esquerdo, como eu sou canhoto, jogava como meia-esquerdo.

Guinada na carreira

Matheus Fagundes

O filme “Ausência” foi um divisor de águas na minha carreira. Eu sou muito grato ao Chico Teixeira por este personagem, por este filme. Foi um projeto maravilhoso, o qual eu tive o privilégio de ser o protagonista. A partir de Ausência as pessoas ficaram conhecendo o meu trabalho como ator.

A que atribui o seu sucesso como ator

Matheus Fagundes

Eu não tive ninguém. Eu estudei, me aprimorei. Fui fazendo meus trabalhos. Graças a Deus fiz bons trabalhos. As pessoas foram conhecendo o meu trabalho. Surgiu uma oportunidade e, graças a Deus, deu certo. Claro, tive sorte também, competência. Mas não tem uma coisa só que define, são vários fatores. É um conjunto de várias coisas.

Como é fazer um protagonista

Matheus Fagundes

É desafiador você protagonizar um filme, porque, de todas as diárias, no set de gravação, eu só não estive em uma. Eu estou no filme do começo ao fim. O que faz um filme ficar bom ou ruim, não é uma cena ou outra, é a obra inteira. Todas as cenas. Então, você precisa estar bem em todas as cenas. Isso é muito desafiador. Sempre exige muita entrega, muita vontade, muita dedicação, muito querer, e eu estava disposto.

fechar